Em boa hora: Mutuários da extinta Cohab em Paulista e Igarassu recebem indenizações do seguro e se emocionam

1
Foto: Blog do Carlos Britto

PAULISTA (PE) – Dinheiro é sempre bem-vindo, ainda por cima quando a esperança de se contar com ele era mínima. Foi o que aconteceu com 77 mutuários da extinta Companhia de Habitação Popular do Estado de Pernambuco (Cohab), neste município, e de mais 10 em Igarassu (PE) – ambos localizados na Região Metropolitana do Recife (RMR). Após quatro anos de espera, eles conseguiram receber suas indenizações do seguro referentes a prejuízos estruturais que tiveram com seus imóveis obtidos pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH) nos anos 80. No Estado, a aquisição desses imóveis aconteceu pela antiga Cohab.

O ginásio municipal esportivo de Paulista foi o local escolhido para a entrega dos cheques referentes às indenizações dos mutuários da cidade. A cerimônia contou com a presença da vereadora de Petrolina Maria Elena (MDB), a qual recebeu o convite do vereador e vice-presidente da Câmara de Paulista, Antonio Camelo (PSB). Popularmente conhecido como ‘Camelo do Seguro’, ele encampou essa bandeira de luta numa época em que praticamente ninguém acreditava que obteria êxito. Já Elena, inspirada no colega de Legislativo, também está tomando essa iniciativa em Petrolina, pois há muitos moradores na mesma situação na cidade sertaneja.

A emoção de quem recebeu seu cheque estava estampada no rosto de cada mutuário em Paulista. É o caso do encarregado de produção Pedro Silva de Medeiros. Ao Blog, ele contou que já não tinha mais expectativas de receber o que tinha direito. “(Esse dinheiro) chegou em boa hora, porque estou com minha casa para ajeitar”, afirmou Medeiros, ao receber quase R$ 48 mil da indenização. A média paga dos processos ganhos a cada mutuário, aliás, gira em torno dos R$ 30 mil.

A dona de casa Simone da Silva também é uma das contempladas. Ela já havia sido indenizada, por meio de acordo, há 11 anos, no mesmo residencial onde morou Camelo do Seguro, porque o prédio foi interditado devido a rachaduras. Agora morando em residência, Simone conseguiu novamente outra indenização, também através de acordo. Segundo ela, a casa apresentava infiltrações e problemas no telhado. “É um dinheiro que vai servir para fazer os reparos da casa”, afirmou.

Foto: Blog do Carlos Britto

Femocohab-PE

O elo entre os mutuários e o escritório de advocacia responsável pela negociação das ações é a Federação das Associações de Moradores dos Núcleos da Cohab e Similares do Estado de Pernambuco (Femocohab-PE). Camelo, quando iniciou a luta dos moradores, era diretor da entidade e depois passou a presidente. Hoje, a Federação tem à frente Vânia Santos, a qual informou que o trabalho de assegurar os direitos dos mutuários em todo o Estado começou em 2001. Ela lembra que a grande maioria deles não sabia que poderia entrar com a ação de indenização, nem mesmo a própria Femocohab-PE, até uma tragédia ocorrida no final dos anos 90 em Olinda, quando um desabamento de dois prédios deixou alguns mortos.

Representantes do escritório, cuja sede fica em Santa Catarina, entraram em contato com Camelo do Seguro e Vânia, que à época ainda era diretora, para buscar as indenizações desses moradores por meio de um acordo. A partir de então, deu-se início a um árduo trabalho de mapear os mutuários. A Femocohab-PE, que atua também em processos referentes ao extinto Programa ‘Minha Casa Minha Vida’, atua também em outros Estados. É o caso de Juazeiro, na Bahia, onde esse trabalho começou antes mesmo do que em Petrolina. De acordo com a atual presidente, o desafio ainda é grande porque ainda existem milhares de mutuários, em todo o Estado, para receber sua indenização. “Somente em Paulista acredito que haja mais de 50 mil pessoas”, estimou. Na próxima matéria da série, o Blog abordará o papel do vereador Camelo do Seguro nesse trabalho.

Por Antonio Carlos Miranda

1 COMENTÁRIO

  1. Parece que não existe critério nenhum, aqui em Petrolina Cohab 1 Areia Branca (Sul América), já rola na justiça fazem treze anos, como informou o próprio, Femocohab, morreram vários beneficiários, já vai ser os dependentes os beneficiados. Deveriam pagar primeiro os mais antigos, se bem que todo mundo fica na expectativa e é um direito, esse de Paulista por exemplo tem só 4 anos. E com essa pandemia chegaria em boa hora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

dezessete + dezenove =