Ednaldo compara “manobras” de Dr.Pérsio a Eduardo Cunha e pergunta: “A quem interessa não fazer a regularização?”

3

ednaldo lima

O líder de governo na Casa Plínio Amorim, vereador Ednaldo Lima (PMDB), perdeu de vez a paciência com seu colega de Legislativo, Dr.Pérsio Antunes (PMDB). Na sessão da última quinta-feira (25), Ednaldo soltou o verbo contra Dr.Pérsio, por conta do impasse em torno do projeto da regularização fundiária da zona norte de Petrolina, de autoria do Executivo Municipal. Presidente da Comissão de Justiça e Redação da Casa, Dr.Pérsio recusa-se a dar o parecer ao projeto até que a prefeitura lhe envie as informações sobre as 1.529 famílias que serão contempladas pela regularização. Para Ednaldo, o vereador tenta fazer as mesmas manobras que o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), vem fazendo para prejudicar o Governo Dilma.

“Fico preocupado com um vereador, que representa um grupo político, protelar um projeto usando os instrumentos da Casa. Quem bem fez isso foi Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados. Só gostaria de saber a quem interessa que Petrolina não faça a regularização”, desabafou.

Bastante aborrecido, Ednaldo disse que a bancada do PMDB – da qual Dr.Pérsio ainda faz parte – não hesitará em usar o Regimento da Casa e a Lei Orgânica Municipal para garantir que a cidade continue sendo beneficiada “com projetos exitosos de políticas sociais para a população”. O recado foi bem claro a Dr.Pérsio, que há quase dois anos rompeu politicamente com o prefeito Julio Lossio (PMDB).

“Dr.Pérsio ocupa um espaço na bancada do PMDB, e regimentalmente deve seguir as diretrizes do partido. O que queremos é que o projeto (da regularização) venha para plenário, para que os vereadores se posicionem”, ressaltou o líder, reforçando a possibilidade de substituir Dr.Pérsio da Comissão, que pertence ao partido. “Se o Regimento Interno da Câmara diz que temos três dias para dar os pareceres nas proposições, nos projetos para irem a plenário, o que justifica esse projeto estar desde o dia 20 de novembro (de 2015) tramitando na Casa e não ser votado? a quem interessa isso? quem não quer a regularização?”, indagou Ednaldo. Ele também atacou o discurso de meia hora do Dr.Pérsio, que não passou de um “café requentado” pelo fato de que a questão fundiária sequer tinha entrado na pauta da sessão.

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

20 − seis =