Documentário vai evidenciar cotidiano de pescadores do Vale do São francisco

1

O dia a dia de homens que realizam uma das profissões mais antigas da humanidade, a pesca, será tema de um documentário com cenas gravadas no Balneário de Pedrinhas, localizado em Petrolina (PE), região do Vale do São Francisco. O filme Pescadores na Rede: os peixes, o afeto e a alimentação” tem como objetivo evidenciar o cotidiano dessas pessoas, as relações de afeto entre entre eles e o território social, cultural e gastronômico local.

Fruto de pesquisas sobre a atividade da pesca – atividade tradicional e geradora de renda e de alimento para diversas famílias que vivem em terras banhadas pelo Velho Chico -, o documentário acende questionamentos importantes: até que ponto a cultura da pesca, tão antiga, está sendo preservada? sofreu mudanças? tornou-se obsoleta, ou seja, ultrapassada, tendo em vista a ação de grandes empresas produtoras de peixe?

Para Ananda Mariposa, que fez a direção de imagens e entrevistas com os pescadores, a produção mostra, com sensibilidade, como a atividade da pesca vai além do trabalho braçal, e coloca os pescadores enquanto protagonistas de histórias de identidade e pertencimento. O documentário será disponibilizado no YouTube em breve. Outras informações sobre o projeto podem ser conferidas no Instagram @pescadoresnarede e na página oficial no Facebook ‘Pescadores na Rede’.

O projeto tem apoio financeiro do Estado de Pernambuco, através da Secretaria de Cultura e da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial de Cultura do Ministério do Turismo. A produção executiva é de Agda Terra; a direção de imagens e entrevistas, de Ananda Mariposa; o roteiro, de Kris de Lima; e a decupagem e edição de vídeo, de Marina Nunes de Oliveira.

1 COMENTÁRIO

  1. Ainda dá tempo de se fazer uma escada para peixes na Barragem de Sobradinho, podendo-se inclusive aproveitar e perenizar o Rio Tatauí, do Canal da Batateira até a sua foz no Rio São Francisco. Esse mesmo Canal da Batateira pode ser prolongado até a montante do Povoado do Junco na margem do Rio Salitre e perenizar também esse trecho do Rio Salitre. Margeando o Rio Salitre são muitas as terras irrigáveis. Infelizmente a construção das barragens prejudicaram em muito a procriação de peixes no Rio São Francisco. A pesca predatória nos oceanos, são muito, mas muito mesmo mais maléficas ao planeta do que as emissões de CO2, diga-se de passagem, o CO2 é o gás da vida. Aquecimento Global, Efeito Estufa, Buraco na Camada de Ozônio, são as grandes mentiras da atualidade, nada disso existe. Paremos de comprar plásticos e peixes enlatados e aí sim, estaremos contribuindo com o planeta. Entrem na Internet e pesquisem Dr. Carlos Mollion.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

4 × 1 =