Diretoria de Diversidade de Juazeiro se pronuncia sobre assassinato de transexual e diz que caso será acompanhado para que a justiça seja cumprida

por Carlos Britto // 18 de janeiro de 2019 às 13:00

(Foto: Reprodução)

Por meio de nota, a Diretoria de Diversidade de Juazeiro (BA) disse que vai acompanhar o caso envolvendo o assassinato de uma mulher trans, ocorrido na última terça-feira (15), no Bairro Country Club, para que a justiça seja cumprida. “Josiclaudia” (cujo nome de nascimento é Josiclaudio Felix de Lima) foi morta a pauladas, na Praça Alsus Sangalo, onde vivia em condições de rua e cuidava do equipamento público.

O suspeito do crime foi preso pela Polícia Civil (PC) e encaminhado ao Conjunto Penal de Juazeiro (CPJ). Ele alegou que a vítima teria lhe furtado R$ 150,00. No entanto, testemunhas relataram um suposto relacionamento homoafetivo entre a vítima e o suspeito, o que pode ter sido a verdadeira motivação do crime.

Acompanhem a nota, na íntegra:

A Diretoria de Diversidade vem por meio desta se solidarizar com os familiares e a população LGBTQ+, especificamente as (os) transexuais pela morte de Josicláudia (Cláudia), que foi brutalmente assassinada.

Josicláudia era assistida pela Secretaria de Desenvolvimento Social, Mulher e Diversidade, através da Superintendência de Políticas Sociais e de sua Diretoria de Diversidade. Recebeu assistência psicossocial, acompanhamento na retirada de documentos cíveis, foi possibilitado a ela o acesso aos seus direitos básicos evidenciados no CadÚnico do Governo Federal, como o programa bolsa família, recebia assistência do Centro POP, que faz o acolhimento a pessoas em situação de rua.

É com pesar que lamentamos seu falecimento. Cláudia, como se apresentava e gostava de ser tratada pelo seu gênero de identificação, queria inserção no mercado de trabalho conquistando seu espaço. A Secretaria de Desenvolvimento irá acompanhar esse caso, a fim de que a justiça seja cumprida, para que não haja impunidade.

Diretoria de Diversidade de Juazeiro

Diretoria de Diversidade de Juazeiro se pronuncia sobre assassinato de transexual e diz que caso será acompanhado para que a justiça seja cumprida

  1. Cidadão disse:

    A nota da diretoria de diversidade me deixou confuso, não sei se foi um ato de auto promoção citando as ações que foram feitas em prol da vítima ou se foi uma justificativa do tipo “fizemos tudo que podíamos”. De fato, todas as ações não foram o suficiente, que sirva de lição para vcs repensarem o tipo d assistência que vcs prestam. A família, que Deus os conforte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *