Dia Nacional de Luta contra reforma da Previdência leva agricultores, estudantes, sindicalistas e lideranças políticas às ruas de Petrolina

por Carlos Britto // 22 de março de 2019 às 17:49

Foto: divulgação

A exemplo do que ocorreu em Juazeiro (BA), a proposta do Governo Bolsonaro de elevar para 60 anos as aposentadorias de homens e mulheres do campo levou agricultores familiares de Petrolina (PE) a protestarem com estudantes, sindicatos e servidores públicos nesta sexta-feira (22), no Centro da cidade. A concentração ocorreu na Praça do Bambuzinho, Avenida Souza Filho, onde representantes de classe discursaram.

O ato começou por volta das 9h e prosseguiu com os manifestantes se dirigindo à sede do INSS, na Rua Tobias Barreto. De acordo com a presidente do Sindicato dos Agricultores Familiares (Sintraf), Isália Damacena, é inconcebível a forma como o governo tem lidado com a categoria.

Com essa reforma, as dificuldades para aposentadoria dos agricultores aumentarão mais ainda; e isso diante de um povo que só é lembrado nas horas da austeridade e do aperto“, lamentou.

Os agricultores não concordam com as novas propostas do Ministério da Economia, que, além da elevação da idade mínima, iguala os requisitos para homens e mulheres, elimina o auxílio dos sindicatos na hora da declaração de atividade rural e fixa o tempo mínimo de contribuição rural em 20 anos.

Lideranças

Conforme a organização, quase 1.500 pessoas se reuniram no movimento em Petrolina, seguindo a agenda nacional de protestos desta sexta-feira. Na Praça do Bambuzinho, estiveram lideranças sindicais de Lagoa Grande, Ouricuri, Dormentes e Afrânio; os vereadores Paulo Valgueiro (MDB) e Gilmar Santos (PT); o ex-deputado estadual e atual presidente do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), Odacy Amorim, e o deputado federal, Danilo Cabral (PSB).

Danilo, que já antecipou na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara seu posicionamento sobre a constitucionalidade da Reforma da Previdência, voltou a ser enfático. À Isália, afirmou estar se reunindo com diferentes sindicatos buscando entender suas aflições e que deve comprar a luta da categoria. “Ele disse que votará contra“, comentou ela sobre o deputado. As informações são do Sintraf.

Dia Nacional de Luta contra reforma da Previdência leva agricultores, estudantes, sindicalistas e lideranças políticas às ruas de Petrolina

  1. Paulo rogerio de araujo disse:

    E turma que não gosta do trabalho gosta so do dinheiro sexta so para aumentar o feriado.

    1. João Neto disse:

      Concordo. Eu queria me aposentar com 20 anos de idade, mas sei q é impossível. Então não se trata de querer, mas é necessária a reforma ou não teremos mais previdência no futuro. Sem falar que várias classes como políticos, por exemplo, também se adequarão a nova realidade. Ninguém quis pegar essa batata quente, nem FHC, nem LULA, DILMA ou TEMER, ,as foi pra isso que bolsonaro foi eleito, para fazer o que é necessário para o país. Outra coisa, não sei como esse povo de sindicato tem tanto tempo pra protesto, etc… será bem porque vivem disso e não de trabalho. Vão trabalhar rebanho de vagabundos.

  2. Marcius disse:

    O bom é que a mamata desses dirigentes de sindicado é tão ruim que eles não querem largar o osso. Pq não fazem um rodízio de dirigentes. Exemplo disso é que no sindicado do comércio de Petrolina as mesmas pessoas estão faz 20 anos, na construção civil TB ficaram esse tempo e nos outros com certeza é assim. No rio de janeiro alguns sindicatos empregam a mesma família com salários que chegam a 60 mil.

  3. Marcius disse:

    TD cidadão que pensa um pouquinho, sabe que é reforma é fundamental, até o próprio Lula dizia, se essa não está boa, pq os sindicatos não ajudam a propor algo bom para TD mundo, mas a intenção é apenas de atrapalhar o país e jogar qualquer governo que vá contra os interesses deles.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *