Descontraído, Zico afirma que seu projeto social pode abrir portas para garotada da região, mas meta é a escola

3

Zico em PetrolinaAos 60 anos o eterno ídolo do Flamengo, Arthur Nunes Coimbra, ou simplesmente Zico, continua a protagonizar grandes lances no futebol. Mas agora, fora de campo. Idealizador de um projeto social que mescla educação e esporte, o “Galinho de Quintino” – como também é conhecido – concedeu ontem (25), em Petrolina, uma entrevista coletiva para falar sobre a iniciativa.

Em clima de descontração e esbanjando simpatia, Zico lembrou que esta é a segunda vez que vem à região. A primeira aconteceu no início dos anos 90, quando era secretário de Esportes da Presidência da República. O ex-craque do Fla começou falando sobre a boa receptividade que o projeto “Golaço Social” tem recebido pelas cidades por onde já passou.

O projeto, que vem implantando escolinhas de futebol “Zico 10”, contemplará também Petrolina e Juazeiro. “Nossa preocupação sempre foi com a educação, e não em revelar jogadores”, ressaltou o craque.

Ele lembrou que sua iniciativa nasceu entre 2007 e 2008. Na época ele trabalhava fora do Brasil e, numa de suas vindas ao Rio de Janeiro, deparou-se com uma triste notícia divulgada por um grande jornal da cidade, na qual destacava que mais de 3 milhões de crianças abandonavam a escola ainda no antigo primário (hoje, ensino fundamental). “Eu, que tive a oportunidade de fazer todo o primário, ginasial, me formar e chegar à universidade, fiquei preocupado porque o estudo nunca me atrapalhou no futebol. Então, por que não dá uma pequena contribuição? Sei que é muito pouco, pelo que o país precisa, mas cada um contribuindo um pouquinho, a gente chega num número grande”, ressaltou.

Ele aproveitou para lembrar outros ex-jogadores que também desenvolvem projetos parecidos, a exemplo de Cafu, Raí, Leonardo, Marcelinho e Deco. Zico informou que o Golaço Social já passou por 22 estados, beneficiando mais de 40 mil crianças. “Eu quero, realmente, ter uma escola Zico 10 em todo o País”, disse o Galinho, destacando que faltam poucos estados para atingir seu objetivo.

Talentos

Perguntado se, apesar do cunho social do projeto, as escolinhas Zico 10 podem servir também para abrir espaços a jovens talentos na região, que não encontram espaços para seguir o caminho trilhado pelo juazeirense Daniel Alves (hoje uma das estrelas do Barcelona), o ex-craque explicou que pode dar um ‘empurrãozinho’, mas sem deixar de focar a meta principal.

Para formar jogador a gente já tem muitos clubes por aí, então a gente não precisa estar preocupado com isso. O máximo que a gente pode fazer é, se alguém se destacar e quiser nosso apoio para aconselhar e encaminhar (a algum clube), a gente faz numa boa. Mas a preocupação é que as crianças realmente frequentem a escola. Para isso eu procuro pressionar meus coordenadores, meus professores, para que acompanhem de perto como está a situação de cada criança na escola”, enfatizou. Presente à entrevista, o juiz da Vara da Infância e Juventude, Marcos Bacelar – que já tinha sido elogiado pelo Galinho por seu trabalho na educação em Petrolina – devolveu os elogios ao destacar que o ídolo do Fla abraça uma grande causa social, após tudo o que fez pelo futebol.

O compromisso de Zico em Petrolina inclui uma palestra motivacional, ao custo de R$ 100, às 19h de hoje (26) no Centro de Cultura Dom Bosco, além de um jantar na Chácara Bougainville, em Juazeiro, cujo convite custa R$ 250 e um jogo entre a Seleção de Zico, formada por ex-jogadores de nível nacional e internacional, e a seleção do Sertão. O evento acontecerá a partir das 14h no Estádio Paulo de Souza Coelho, em Petrolina. O ingresso custa R$ 30.

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome