Deputado Antonio Fernando reforça reivindicação dos pipeiros sertanejos

0
Foto: Alepe/divulgação

Em pronunciamento feito ontem (18) durante sessão plenária virtual da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), o deputado estadual Antonio Fernando (PSC) reforçou a reivindicação dos motoristas e donos de caminhões-pipas do Sertão do Estado quanto ao pagamento de valores atrasados do Exército brasileiro e governo federal referentes à Operação ‘Pipa’. Nesta semana, mais de 200 profissionais com serviços já realizados pela operação – que é coordenada pelo Exército – fizeram protestos em frente ao 72º Batalhão de Infantaria Motorizado (BIMtz), em Petrolina.

Também houve protestos em mais duas cidades  do Sertão. Em Moreilândia, os pipeiros se reuniram na PE-507, entrada da cidade. Já em Parnamirim, o protesto aconteceu na BR-316, saída para Salgueiro.

“Os pipeiros estão sofrendo muito pela falta dos pagamentos referentes aos meses de dezembro de 2020 e janeiro de 2021, que já estão atrasados. E os pagamentos referentes a fevereiro estão próximos de também vencer“, explicou Antonio Fernando, em seu pronunciamento. “Além das populações sertanejas e agrestinas que estão sem receber água, a falta de pagamento gera um problema em cadeia, prejudicando a sociedade e as economias locais. Em primeiro lugar, sofrem os pipeiros, que ficam sem renda para o sustento de suas famílias. Em seguida, sem o pagamento pelo Exército, os Pipeiros ficam sem condições de honrar os seus compromissos, como a compra a crédito de combustível, muito comum nas regiões de atuação da Operação Carro-Pipa em todo Nordeste“, afirmou Antonio Fernando.

O deputado citou Ouricuri como um exemplo emblemático desse problema. “Em Ouricuri um empresário do ramo de postos de gasolina nos informou que está enfrentando dificuldades para manter o seu negócio. Ele sofre com as dívidas de vários pipeiros que compraram óleo diesel fiado, e agora não podem saldar os débitos por conta da falta dos pagamentos por parte do Exército e do governo federal“, informou

Resposta

Através de uma nota do 72º BIMtz, o Exército informou ser responsável apenas pela fiscalização da Operação Carro-Pipa. Os recursos – segundo a nota – são de responsabilidade da União, via Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR). Além disso, os pagamentos também não foram feitos porque a Lei Orçamentária de 2021 ainda não foi aprovada pelo Congresso Nacional. Antonio Fernando estendeu o pleito à Câmara dos Deputados e ao Senado Federal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

quinze + 7 =