Deputada diz que Rede PEBA está ‘negligenciada’ e sugere a criação de nova rede de atenção à saúde

1
Deputada Socorro Pimentel em pronunciamento na Alepe. (Foto: Assessoria/ Divulgação)

A deputada estadual Socorro Pimentel (PSL) lamentou as más condições com que tem funcionado a Rede PEBA (Pernambuco-Bahia), como é popularmente conhecida a Rede Interestadual de Saúde do Médio São Francisco. Durante pronunciamento na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), ontem (26), a parlamentar disse que a rede está ‘negligenciada’ e sugeriu a criação de uma nova rede de atenção à saúde.

Criada em 2009 a partir de um pacto firmado entre o Ministério da Saúde, as Secretarias de Saúde dos Estados de Pernambuco e da Bahia e 52 municípios da Região, a Rede PEBA tinha como principal objetivo diminuir a alta migração de pacientes entre Petrolina e Juazeiro da Bahia e ainda aprimorar o fortalecimento da atenção básica de cada município.

De acordo com Socorro Pimentel, nove anos depois, a Rede PEBA já não é capaz de atender de maneira efetiva o contingente populacional de quase 1 milhão e 900 mil pessoas.  “A superlotação impacta na qualidade assistencial, impede o atendimento de pacientes que precisam dos recursos adquiridos com verba pública e imobiliza todo sistema de saúde e remoção de pacientes. O atendimento hospitalar da Rede PEBA tem sido rotineiramente questionado por usuários do sistema“, disse.

Em seu pronunciamento, Socorro apresentou como sugestão a criação de uma nova rede de atenção à saúde estabelecida entre os estados de Pernambuco e Ceará, a Rede PECE.

A medida beneficiaria, em média, 19 municípios do Sertão do Araripe e do Sertão Central, além de 6 municípios do Ceará que teriam o Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha como referência. No Araripe, mais de 300 mil habitantes seriam beneficiados, assim como os mais de 170 mil do Sertão Central, além de uma população de mais 600 mil do Ceará. Teríamos ainda como vantagem a redução da distância, com um menor custo para o deslocamento, além do desafogamento da Rede PEBA“, afirmou.

Solicitação

A parlamentar também informou que irá encaminhar uma solicitação à Comissão de Saúde da Assembleia para que o tema seja debatido na Casa Legislativa em uma audiência pública. “Para garantir assistência à saúde integralizada e equânime com gestão compartilhada, as federações, para além dos interesses próprios e limitações burocráticas, devem caminhar estrategicamente articuladas e em sintonia para garantir o desenvolvimento regional, a cidadania ativa e o bem-estar da população“, finalizou a deputada.

1 COMENTÁRIO

  1. Parabéns!
    Pela visão é desse tipo de políticos que precisamos. Só sabe o quanto a Rede PEBA tem sido ineficiente quem precisou e precisa de atendimento. Só que ainda falta uma atenção maior dos governos municipais quanto ao cumprimento de um dos mais importantes princípios do SUS que é a descentralização dos serviços de saúde com enfase aos municípios, ou seja, cada Prefeito tem que assumir a saúde nos três níveis de atenção: primária, média e alta complexidade. Ressalvando a importância de uma Atenção Primária mais resolutiva, afinal ela é a porta de entrada do SUS, desta forma não teríamos tantos problemas na média e alta complexidade. Como por exemplo: um diabetes que evoluiu para um AVC, insuficiência renal, IAM e etc. por falta de acompanhamento na atenção primária.
    Parabéns mais uma vez e que essa atitude sirva de exemplo para outros parlamentares.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome