De menino sonhador a apaixonado pela música: Aluísio Gomes lança seu primeiro CD de forró

1

Aluisio GomesO professor e publicitário Aluísio Gomes é um sonhador. Quando menino, sonhava com as coisas da cidade, com o mundo artístico e que lá, depois da porteira, tudo era feito de sonho.

Voz grave, olhar desconfiado, chegou para estudar e virar doutor, com o irmão Edvaldo. Esse virou doutor e vereador. Aluísio virou doutor no rádio e na comunicação. Mas também estudou e agora corre atrás de mestrado e doutorado. O matuto que cruzou a fronteira e saiu da roça vai terminar também virando doutor, mas a roça nunca saiu dele. E jamais sairá.

Para ajudar a garantir essa marca em sua vida, Aluísio acaba de gravar um CD que fala das coisas e da gente do seu lugar. Mas fala de forma apaixonada, em um trabalho autoral que mergulhou confiante, com a mesma convicção do menino que empunhava a enxada vereda adentro no caminho do roçado.

Entre as lembranças da tarde na roça com a família e a vontade de contribuir com a disseminação e valorização da cultura nordestina, o agora empresário, produtor cultural, músico, poeta, publicitário, professor universitário e jornalista deu cores ao seu 1° álbum de forró.

Forró e Romance  

Intitulado “Forró de Terreiro e Romance de Salão”, o CD tem 15 faixas autorais e conta a história dos sertanejos que encaram a luta árdua em busca dos seus sonhos, protestos e a nostalgia dos tempos em que jogar conversa fora nas reuniões familiares era um hábito prazeroso.

O despertar para a música começou na infância, quando a família se reunia na varanda de casa para cantar e tocar instrumentos feitos artesanalmente, como, por exemplo, o surdo feito de Umburana de Cheiro, que o músico guarda até hoje. “Nós conhecíamos o mundo através da música que tocava no rádio e papai ainda fazia uns improvisos e confeccionava os próprios instrumentos. Tenho até hoje o surdo de Umburana de Cheiro feito por ele. Ainda tínhamos pandeiro feito de Grajaú, um cipó da caatinga e couro de bode”, relembra.

Aluísio recorda ainda a sua chegada a Petrolina, quando, mesmo sem o incentivo do pai, perseverou no sonho de ser artista. “Meu pai dizia: ‘tem que estudar, esqueça isso!’. Mas o viés artístico sempre esteve presente em minha trajetória. Minha primeira música eu ifz com 13 anos, cantava e tocava violão na igreja e participava de festivais. Estou sempre próximo da arte. Quando não sou o autor, sou o patrocinador cultural”, conta.

Contribuição cultural

Ele conta estar desenvolvendo sua tese de doutorado em Educação Ambiental, na qual acredita que sua maior contribuição é poder mesclar a academia e a cultura popular para que os nordestinos e as gerações futuras valorizem o que temos de melhor. “Meu sonho é conversar com a juventude, mostrar para eles a hisóoria do forró, das raízes, da caatinga, mostrar a beleza que nela existe. Atualmente, a Fundação Nacional das Artes (Funarte) aprovou dois projetos meus e no segundo semestre farei 10 apresentações, onde conto e canto as nossas histórias”, afirma.

A contribuição cultural e o estímulo aos jovens, segundo Aluísio, é seu maior objetivo com o projeto. “Não quero ser cantor profissional e não estou preocupado em fazer sucesso, mas queria deixar o registro. Se você tem um talento, por menor que seja, deve haver o registro, senão as pessoas jamais saberão que você tinha este talento. Como posso estimular um jovem se eu não sigo os meus sonhos, os meus projetos? Quero provas que podemos criar qualquer coisa que imaginamos”, explica.

No seu trabalho musical Aluísio brilha os olhos para falar da entrega dos músicos e das horas no estúdio. “O pessoal abraçou o projeto. Fizeram a mesma coisa várias vezes e repetiam outras tantas. Todos queriam fazer um trabalho de qualidade e é isso que mostramos no CD. E o melhor nem é a gravação em si, mas a oportunidade da gente se apresentar em escolas, eventos… Levar um pouco da nossa história e nossa cultura para as gerações que não viveram isso”, relatou.

O trabalho foi viabilizado através da Oscip Jovem Sertão, que conseguiu aprovar o projeto para ter apoio do governo federal.

1 COMENTÁRIO

  1. Aluísio você merece.
    Cabra trabalhador e honesto.
    De família simples.
    Exemplo de luta e sucesso..
    Jornalista por tradição.
    Comunicador de primeira.
    Que Petrolina conhece com alegria e satisfação.
    Prá mim não é supresa.
    Desejo tudo de bom nas festas juninas.
    Riqueza e cultura de nossa Petrolina.

    .

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome