Como PSB e PT de Pernambuco vão lidar com seus ‘rebeldes’?

por Carlos Britto // 15 de novembro de 2022 às 12:12

Foto/arquivo reprodução

A expectativa dentro do PSB de Pernambuco, para 2023, é saber como a legenda vai se relacionar com a governadora eleita Raquel Lyra (PSB), já que decidiu apoiar a adversária dela, Marília Arraes (SD) no segundo turno.

Mais do que isso: qual será o posicionamento da cúpula socialista em relação a alguns ‘rebeldes’ que desobedeceram as diretrizes do partido e seguiram com a tucana, em vez de abraçarem a candidatura de Marília. Entre os dissidentes estão dois quadros relevantes do PSB: Lucas Ramos e Gonzaga Patriota. O primeiro foi eleito pela primeira vez à Câmara dos Deputados; o segundo não conseguiu o tão sonhado 11º mandato na Alta Casa.

O mesmo acontece com o PT no Estado, que também fechou com Marília no segundo turno. Porém, a deputada estadual Dulcim Amorim e seu marido, Odacy Amorim, também optaram por Raquel. Além deles, a prefeita de Serra Talhada, Márcia Conrado, foi outra que ‘tucanou’.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.