Comitê e outras entidades se unem em ação de salvamento de peixes em Xique-Xique

0
(Foto: Henrique Oliveira/CBHSF/Divulgação)

O Ibama, em parceria com as Prefeituras de Xique-Xique e Gentio do Ouro (norte da Bahia), Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), Codevasf, Inema, Universidade do Estado da Bahia (Uneb), Colônia de Pescadores e bombeiros civis voluntários, estão realizando a segunda etapa da ação de salvamento de peixes nas lagoas marginais do Rio São Francisco. A ação ocorre no município de Xique-Xique e resgatou até o momento mais de 30 mil peixes em lagoas que se encontravam praticamente secas na região.

Os peixes estão sendo devolvidos ao leito do rio, numa ação coordenada e rápida. Assim, espera-se que pelo menos 10% dos espécimes resgatados cheguem à vida adulta e possam abastecer o mercado pesqueiro e, mais importante: possam se reproduzir e ajudar na manutenção da biodiversidade do rio. “Com essa ação, nós pretendemos fazer aquilo que antes era um processo natural. Nós precisamos devolver os peixes para o rio porque não existe mais a ligação das lagoas com o rio e principalmente com a Lagoa de Itaparica, que era o principal berçário do Rio São Francisco”, explicou Roberto Rivelino, secretário municipal de Meio Ambiente de Xique-Xique.

De acordo com informações do Ibama, essa segunda etapa complementa ação de salvamento iniciada no mês passado e que já havia resgatado dezenas de milhares de peixes na região. Para o secretário de Meio Ambiente do município de Xique-Xique, Roberto Rivelino, o salvamento é uma intervenção extremamente positiva no sentido de se preservar a ictiofauna desse trecho do Rio São Francisco, responsável pela formação de berçários para mais 50 espécies de peixes, como Dourado, Surubim, Traíra, Piau, Lambaris, Curimatás, Matrinchãs – entre outros. “Nós pretendemos continuar com essa ação no próximo ano e esperamos contar com a colaboração dos nossos parceiros (e quem sabe de novos) para realizamos essas atividades tão importantes para o ecossistema da região e, principalmente, para as lagoas marginais do Rio”, afirmou.

Salvamento

O salvamento de peixes é uma ação que compõe uma série de intervenções no complexo lagunar do Médio São Francisco que o CBHSF, em parceria com Instituições como Ministério Público, Ibama e prefeituras locais, tem promovido em defesa do Velho Chico a partir de uma preocupação com os seus principais berçários de peixes e espécies nativas. Ações como o desassoreamento de canais que ligam as lagoas marginais ao rio, associadas à promoção de atividades de educação ambiental, além da complexa e tão esperada revitalização da Lagoa de Itaparica estão dentre as prioridades para os próximos meses e para o ano de 2020.

De acordo com o coordenador da Câmara Consultiva Regional (CCR) Médio São Francisco, Ednaldo Campos, essa união de esforços é muito importante para que se enfrente a atual crise do São Francisco na região com realismo e, acima de tudo, com ações práticas. “Nós sempre nos colocamos com especial entusiasmo para defender o São Francisco. Estamos aqui para isso. Para trabalhar com outras organizações e com toda a população em defesa do rio. É por isso que o CBHSF investe recursos e procura firmar novas parcerias”, explicou Campos.

A ação de salvamento de peixes em 2019 regatou e devolveu ao leito do rio, ao todo, cerca de 80 mil peixes. Após o período de cheia do rio, um novo rol de ações será executado pelas instituições parceiras com o objetivo de avançar na recuperação de áreas degradadas e na preservação, por meio de um processo mais duradouro de educação e conscientização, das riquezas ambientais que formam a diversidade e importância do Velho Chico.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome