Comissão Especial da Alepe fiscaliza atendimento às crianças com microcefalia no HDM

1

Na tarde de hoje (31), os deputados Socorro Pimentel (PSL), Simone Santana (PSB), Odacy Amorim (PT), Lucas Ramos (PSB) e Miguel Coelho (PSB), membros da Comissão Especial de Acompanhamento aos Casos de Microcefalia da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), estiveram no Hospital Dom Malan (HDM)/Imip, em Petrolina, para acompanhar de perto o atendimento às gestantes e às crianças com a doença, para que seja repassado ao governo e à secretaria Estadual de Saúde as demandas do hospital, que dá suporte ao Sertão pernambucano. Os deputados se reuniram com a equipe da 8ª Gerência Regional de Saúde (Geres).

Durante a visita a Comissão concedeu entrevista à imprensa local e falou sobre os aspectos analisados no HDM. A presidente da Comissão, Socorro Pimentel, fez uma avaliação da visita. Para ela, é necessário haver uma descentralização dos serviços. “As ações que o Estado implantou para que a 8ª Regional de Saúde fosse responsável pela macrorregião – das outras duas regionais 7ª e 9ª, que houvesse uma descentralização dessas atribuições, pois o nosso entendimento é que o HDM está se esforçando e cumprindo o seu papel. A descentralização é necessária para que os hospitais e Ouricuri e de Salgueiro comecem a fazer esse tipo de atendimento”, ressaltou.

Para Miguel Coelho, a 8ª Geres e o HDM estão realizando um bom trabalho no atendimento aos casos de microcefalia. No entanto, o hospital estaria há quatro meses sem receber os repasses destinados para ajudar nos custeios. “O HDM está tendo uma grande demanda. O hospital está recebendo a demanda do Sertão Central e do Sertão do Araripe. São mais de 25 cidades que vêm aqui para receber atendimento. Aqui foi dito que o Dom Malan está há quatro meses sem receber a verba da microcefalia, que é exatamente para realizar o custeio dos exames e da equipe técnica”, disse Miguel.

De acordo com Socorro e Miguel, a demanda encontrada no HDM será repassada ao governo do Estado, para que as providências sejam tomadas. Socorro ainda falou sobre a questão da capacitação dos profissionais. “A gente vai levar isso [a demanda] para o Secretario de Saúde. Outro ponto foi a questão da capacitação dos profissionais de saúde envolvidos nesse tipo de atendimento. A gente sabe que pediatras e neuropediatras tem carência em todo o País, e em Pernambuco não é diferente. Elas [as crianças] precisam ter atendimento de reabilitação, que é o mais importante para o desenvolvimento delas”, finalizou. (fotos/ André Santos)

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

5 × dois =