Coluna do Blog

6

A greve, o direito e a incoerência

Já está marcado. A Praça do Bambuzinho, no Centro de Petrolina, vai receber profissionais de educação do setor público e privado para movimentarem a greve nacional, que deve acontecer no próximo dia 15 em todo o Brasil. Em Juazeiro, a mobilização ocorrerá na Univasf, no bairro Santo Antônio.

A greve se coloca contra a reforma da previdência e o congelamento de verbas da educação, propostas pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL). Para este protesto você verá representantes de centrais sindicais, professores, estudantes e diversos trabalhadores de diversas categorias.

E é assim que tem que ser. O cidadão precisa se movimentar e buscar seus direitos, mas os políticos ou politiqueiros não podem se aproveitar disso para empunharem as bandeiras dos dos seus próprios interesses se esquecendo que o seu time pratica o mesmo. Nessa guerra não tem santo.

Se vão bater em Bolsonaro, precisam bater também no governador da Bahia, Rui Costa (PT), que promoveu o confisco do orçamento das universidades nos últimos anos, no desrespeito a autonomia universitária, no corte dos recursos para o ensino, a pesquisa e a extensão, na desvalorização dos professores ao não garantir o previsto em lei, regime de trabalho, promoções, salários.

Ambulância para Abóbora

O vereador Josafá Mota (PTC) esteve na Secretaria de Saúde e solicitou à secretária Fabíola Ribeiro uma ambulância permanente para o distrito de Abóbora, zona rural de Juazeiro (BA). “É uma reivindicação antiga dos moradores e que muito preocupa por conta de estarem desamparados de assistência médica emergencial”, argumenta o vereador. Se a comunidade ganhará a ambulância, isso é outra história.

Lideranças agradecidas

Presidentes e diretores de seis associações rurais do município de Sobradinho, no norte da Bahia, comemoram a entrega feita pelo Governo do Estado da Bahia, de máquinas forrageiras e reboques que serão usados no incremento da produção animal a partir do cultivo e armazenamento de forragem, muito importante em períodos de estiagem. O ato de entrega ocorreu na sexta-feira (10), em Juazeiro e contou com a presença de prefeitos, deputados e demais lideranças regionais.

Não falam a mesma língua

Em Curaçá,no norte da Bahia, prefeito e vice não falam a mesma língua há muito tempo. Enquanto Pedro Oliveira busca ajuda para tentar se reeleger no ano que vem, seu vice, Robson Murilo Bomfim, já teria lugar certo no grupo da oposição. É bronca.

6 COMENTÁRIOS

  1. Farão greve e não terá aula.
    Mas, quero ver o número de professores presentes. Estado e Município de Petrolina têm mais de 3000 professores.
    Minha previsão: feriado para 2700 professores que nem pisarão no Bambuzinho.

  2. Os verdadeiros responsáveis estão escondidos, incentivando o povo ir para rua, enquanto eles ficam assistindo suas aposentadorias de 17, 23, 33 mil se manterem.
    E o povo vai a rua achando que está defendendo seus direitos, quando na verdade vão manter um monte de gente ganhando suas gordas aposentadorias.
    Basta fazer a conta de quantos trabalhadores são necessários para pagar um único salário de um deputado, que ganha 26 mil depois de 4 mantados ou 16 anos. Até mesmo os que saem de suas carreiras e no primeiro mandato na politica se aposentam.
    Se o povo quer resolver, primeiro tem que ir a rua para cortar os privilégios como a escandalosa compra de lagostas para o paladar aguçado do STF e os milhares de cargos comissionados e assessores de políticos que não fazem nada.

    Eles jogam a isca e o povo morde.

  3. O pessoal que comanda os grandes sindicatos, só querem manter o poder e a volta das contribuições que só serviam para empregar um monte de gente que não gosta de trabalhar e o luxo que eles viviam, sem precisar prestar conta a ninguém.

    Está na hora do desmonte dos grandes sindicatos e focar naqueles que lutam de verdade pelo direito do povo. Tem partido que agora está revoltando com os cortes que são de 3,5% e não de 30% como estão divulgando, mas que na época de Dilma se calou com o corte 47% e também ficou quieto com o corte de 30% que Lula fez.

    A hipocrisia reina no nosso país..

    • Amigo de Petrolina vc está certíssimo. Muita hipocrisia.
      Quanto aos professores pararem no dia 15, o fato é que topam qualquer coisa a fim de não irem pra escola e na Verdade, ficam em casa de perna pra o ar. Gatos pingados comparecem à praça. Essa é a verdade!

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome