Coluna do Blog

9

Candidatos de ‘DNA’ político fazem sua estreia nas eleições 2018  

As eleições deste ano serão marcadas pelo debut de primogênitos de lideranças políticas conhecidas no país. Em Alagoas, por exemplo, Fernando James vai disputar uma vaga de deputado federal pelo PTC. Ele é filho do senador Fernando Collor.

Na Bahia, Otto Alencar Filho também tentará conquistar o primeiro mandato de federal com o apoio do seu pai, o senador Otto Alencar (PSD). Em Pernambuco, os jovens estreantes também querem seguir o legado dos seus herdeiros políticos.

É o caso de João Campos (PSB), que quer chegar à Câmara dos Deputados para iniciar uma trajetória semelhante à do seu pai, o ex-governador Eduardo Campos. A diferença é que Eduardo começou como estadual.

A Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), aliás, foi também por onde começou o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB). E é por onde quer começar o filho mais novo dele, Antônio Coelho (DEM), para reforçar a representação política de Petrolina e do Sertão.

Dos quatro filhos do senador, dois já estão militando no cenário: Fernando Filho (DEM), que tentará o quarto mandato de federal, e Miguel Coelho, que iniciou em 2014 como estadual, e dois anos depois foi eleito prefeito do município. Normalmente esses herdeiros têm boas chances de êxito. Primeiro pelo fato de não poderem ainda ser cobrados, já que não possuem mandato; depois porque o DNA político que trazem também pesa bastante. Mas a cobrança do eleitorado será a mesma, ou até maior, caso alcancem seus objetivos. Eles estão cientes disso.

Nova data

O secretário de Transportes de Pernambuco, Antônio Júnior, anunciou uma nova data para a entrega do Aeroporto Santa Magalhães, em Serra Talhada, no Sertão do Pajeú. A entrega já foi adiada ouras vezes e há quem diga que ainda não será daqui a 90 dias, conforme informou o secretário a uma rádio de Serra talhada. É aguardar.

Economia afetada

A administração do Mercado do Produtor de Juazeiro (BA) ainda levará um bom tempo para contabilizar os prejuízos causados pela greve dos caminhoneiros. O entreposto está sem produtos para comercialização há mais de uma semana. A Autarquia Municipal de Abastecimento já havia informado que não tem condições de realizar os dados da cotação, pois o mercado não tem mercadoria. A economia de Juazeiro certamente sofrerá uma grande baixa quando a greve acabar e os números forem colocados no papel.

Compromisso mantido

Mesmo diante do cenário econômico complicado por conta da crise dos combustíveis, a Prefeitura de Petrolina manteve o compromisso de pagar antecipado os salários de seus servidores. Segundo o prefeito Miguel Coelho, essa antecipação é uma prática da gestão para valorizar o quadro municipal. “Continuamos honrando os pagamentos em dia ou de forma antecipada. Isso mostra o planejamento da prefeitura e o compromisso e respeito com o servidor”, disse.

9 COMENTÁRIOS

  1. Se há um bem que a população brasileira pode e deve fazer é não eleger nenhum “herdeiro” político (É como se seu voto fosse propriedade do pai político e este pudesse, sem pagar nenhum imposto de herança, dividir entre seus filhos- como se não bastasse a divisão das riquezas “acumuladas” por ser político).

  2. Se estes jovens querem mostrar que são competentes e solidários, pois que vão mostrar sua competência na iniciativa privada, ou ajudar em instituições de caridade, não se juntar ao parasitismo estatal.

  3. Essa prática de querer passar de pai pra filho o comando político é ruim para o pais e, já foi comprovado isso, vejam o ‘quadrilhão’ que foi formado no pais. Temos que acabar com os ‘caciques’ políticos em todos estados do pais, eles querem perpetuar o poder político e, em muitos casos com dinheiro SUJO de propinas e exploração de estatais. Portanto em out/2018 ELEIÇÕES, é nossa chance de fazer uma faxina na política do pais, não REELEGENDO ninguém dos que ai estão, nem apadrinhados ou herdeiros dos caciques, vamos colocar gente nova e sem experiência na política, político é a classe quanto mais experiente pior, se não for corrupto é no mínimo conivente, porque encoberta a sujeira no congresso.

  4. A população tem que dar respostas na próxima eleição: nem pai e nem filho. E não votar em quem tem mandato e nem nos seus parentes. Assim, curto e grosso. Só desta forma, há alguma chance de mudar alguma coisa do que está aí. Caso contrário, é mais do mesmo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome