Coluna da Folha: Uma estrada, várias promessas e o movimento político

por Carlos Britto // 12 de agosto de 2022 às 07:00

Foto: Rosalvo Antônio/divulgação arquivo

Uma bronca que os políticos não resolveram se estende por mais um capítulo. A Comissão Permanente pela PE-630, coordenada pelo líder comunitário Zezinho de Mindú, e o Conselho Popular de Petrolina (CPP) estão planejando uma carreata para reforçar a cobrança ao governo do Estado referente às obras de pavimentação da rodovia. Esse foi o principal resultado da 10ª audiência popular sobre o tema, realizada de forma virtual na última quarta-feira (10).

A ‘Carreata pró PE-630’, como está sendo chamado o movimento, deverá mobilizar os integrantes da comissão dos seis municípios cortados pela rodovia estadual (Petrolina, Afrânio, Dormentes, Santa Filomena, Trindade e Ouricuri).

De acordo com o CPP, a carreata vai fazer paradas nos municípios e distritos ligados à rodovia, onde haverá distribuição de panfletos denunciando “o descaso” do governo e das lideranças políticas do Estado.

Recentemente a Comissão entregou nas mãos do governador Paulo Câmara um documento reivindicando a obra. Segundo informações, o gestor comprometeu-se a assinar o projeto de execução até o final do mês de julho último, mas até o momento ficou só em mais uma promessa. A pavimentação asfáltica solicitada pela comissão é 148 km da PE-630, que atualmente está difícil de trafegar devido à falta de estrutura da estrada.

Com a rodovia pavimentada haverá significativos benefícios econômicos não só para o Polo Gesseiro do Araripe, como também para a caprinovinocultura e a fruticultura no Sertão do São Francisco. Existe ainda o lado cultural e religioso, já que a região se torna movimentada em épocas de festividades e eventos realizados anualmente, o que gera receitas e incrementa setores como o turismo, educação e saúde. A PE-630 está com os serviços de terraplanagem totalmente parados desde o ano de 1982.

Maria no ataque

Quem está apertando o passo para fazer bonito é a candidata à Câmara Federal, Maria Arraes (Solidariedade), irmã de Marília. Ela foi prestigiou a missa de encerramento da tradicional Festa do Padroeiro São Lourenço Mártir, a famosa Festa de Agosto, na Região Metropolitana do Recife. Foi a primeira festa celebrada após o período mais rígido de pandemia e reuniu milhares de fiéis.

Com o sindicato

O deputado federal Augusto Coutinho está comemorando o apoio do Sinpospetro-PE, sindicato que representa os frentistas. Ele atuou para barrar o projeto de lei que criava o autosserviço nos postos de combustíveis e ameaçava os empregos de 500 mil profissionais no país – incluindo 30 mil aqui no Estado.

Memorial

Em Serra Talhada, a prefeita Márcia Conrado (PT) inaugurou o Memorial em Homenagem às Vítimas da Covid-19. O local da homenagem é ao lado do Museu do Cangaço, local representativo na Capital do Xaxado, e terá a biografia das 203 vítimas da doença no município.

A disputa do sorriso

A candidata a governadora Raquel Lyra (PSDB) criticou o que chamou de “briga” dos seus opositores na disputa em querer medir forças para saber quem é mais amigo de Lula ou Bolsonaro, em claro recado a Anderson, Danilo e Marília. “Tem uma briga danada aqui entre os candidatos para ver quem é mais amigo de Lula ou de Bolsonaro. Disputam para ver se o sorriso de Lula está mais bonito na foto de um ou de outro, e não é isso que vai resolver os problemas do dia a dia da nossa gente em Pernambuco“, criticou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.