Coluna da Folha

2
Foto: divulgação

Depois da emoção da vitória, prefeito de Santa Maria se depara com desafios

Protagonista de uma vitória histórica nas eleições de 15 de novembro de 2020, o atual prefeito do município sertanejo de Santa Maria da Boa Vista, George Duarte (PP), não terá apenas essa emoção para se lembrar. Após assumir a gestão no último dia 1º de janeiro, ele já percebeu que passará por outros momentos semelhantes, mas agora do outro lado da moeda.

George já sentiu o drama entre seu próprio grupo político. Recentemente, ao anunciar o secretariado do primeiro escalão, o prefeito acabou gerando rumores na cidade sobre uma suposta insatisfação de aliados. Isso porque no anúncio dos nomes não estavam presentes a vice-prefeita, Dra.Elivânia, o ex-prefeito Jetro Gomes (esposo dela) e o ex-candidato a prefeito Cidinho Andrade.

Como deve ser, George procurou apagar qualquer princípio de incêndio. Ele assegurou que escolha de seus secretários e demais assessores foi feita levando-se em conta a capacidade de cada um e aconteceu em comum acordo com todos os aliados. Também descartou qualquer insatisfação no grupo.

O pior, no entanto, ainda estava por vir. O atual prefeito disse ter se deparado com um verdadeiro ‘caos’ administrativo deixado pelo seu antecessor. “Não imaginei encontrar a administração municipal nessa bagaceira”, desabafou.

George já reúne uma boa experiência política no currículo. Foi vereador na Câmara Municipal e tem um irmão ex-prefeito, Leandro Duarte, o qual pode também lhe repassar orientações relevantes acerca do Executivo. O resto terá de ser com o próprio George, e ele precisa provar que pode dar conta do tamanho desse desafio.

Minimizou

Cumprindo agenda em Petrolina, o deputado federal Fernando Filho (DEM) minimizou a responsabilidade sobre os investimentos do governador Paulo Câmara (PSB) em Petrolina. Apesar de adversário do socialista, o parlamentar declarou a uma rádio local que todos os gestores estaduais olharam pouco para o município, e não só o atual, e que Petrolina sempre teve mais verbas federais porque: 1) suas principais lideranças políticas estavam em Brasília; 2) porque, evidentemente, o governo federal tem muito mais recursos que o estadual.

Chutou o balde

Chateado por não ter recebido as devidas informações da gestão passada, o atual prefeito Marcones Libório de Sá (PSB), de Salgueiro, no Sertão Central, decidiu decretar estado de calamidade administrativa e financeira no município, motivado pela ausência de documentos com informações contábeis e orçamentárias. O ato foi publicado ontem (13). Sem tais documentos, o município ficou impossibilitado de abrir o Orçamento 2021.  Com o decreto, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) permitiu à gestão iniciar as atividades sem conhecimento das despesas anteriores, realizando um corte contábil e operando com os ajustes futuros.

Servidores

Em Garanhuns, no Agreste, a Secretaria de Administração da prefeitura vem realizando transferências de servidores entre setores e repartições dentro das secretarias. A remoção de servidores é regulamentada na Lei Estadual 6.123/73, em seus artigos 40 e 41, que rege também o município. O artigo 41 deixa clara a legalidade destas transferências. “A remoção pode ser a pedido ou de ofício, atendida sempre a conveniência do serviço”, frisa a pasta.

Sogra no poder

Em Serra Talhada, Sertão do Pajeú, após a ex-primeira-dama Karine Rodrigues desistir da Secretaria de Saúde menos de duas semanas após assumir o cargo, a prefeita Márcia Conrado (PT) já escalou a nova titular da pasta. Trata-se da enfermeira Lisbeth Rosa de Souza Lima, sogra da gestora.

2 COMENTÁRIOS

  1. Já começou mal. O que se passou na cabeça dele Em colocar esse sec de saúde? Será que não viu o que ele fez anteriormente na gestão de outras cidades? Santa Maria infelizmente não tem como mudar assim, já tô me arrependendo do meu voto. Se liga dra Elivania. Cuidado pra não sujar seu nome que eh sinônimo de seriedade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome