Coluna da Folha

0
Foto: reprodução

Eleição da Câmara de Gravatá vai para o ‘tapetão’

Em Gravatá, um dos principais municípios do Agreste pernambucano, o vereador Léo do Ar (PSDB) não se conformou com a derrota para a presidência da Mesa Diretora. Essa era a terceira vez que ele tentava comandar o Poder Legislativo local, mas pelos votos dos demais pares, não deu.

Léo, então, incorporou o presidente norte-americano Donald Trump, que até agora não consegue aceitar a vitória de Joe Biden e tenta um golpe de Estado no país. Em Gravatá, Léo se utilizou do mesmo expediente e, sem nenhum embasamento jurídico, anulou o resultado que sacramentou a vitória do vereador Luiz Prequé (PSD/foto).

A atitude do até então presidente da Câmara de Gravatá foi vista como “arbitrária e antidemocrática”. Mas pelo visto, Léo não está nem aí para as críticas. Quer mesmo é o terceiro mandato de presidente da Casa Elias Torres.

Para anular a posse de Prequé, ele alegou que seu adversário não apresentou a documentação correta para assumir a função. Agora, o pleito está nas mãos da justiça. isso porque já foi impetrado um mandado de segurança, visando a tornar sem efeito a decisão de Léo.

Prequé e Léo do Ar obtiveram o mesmo número de votos: sete. Nino da Gaiola conquistou um voto apenas. Por ser o mais velho, Prequé levou a melhor, e aí causou toda essa revolta no candidato derrotado.

Para a imprensa local, Prequé se disse “confiante de que a justiça vai reverter essa decisão totalmente descabida e autoritária do candidato perdedor. Fui escolhido pelo povo e, posteriormente, pelos meus companheiros vereadores, e não vou abrir mão do meu direito. Que seja respeitada a vontade da maioria”. Coisas da nossa política.

Só efetivos

Já na Câmara Municipal de Tabira, Sertão do Pajeú, o presidente da Mesa Diretora, vereador Djalma das Almofadas (PT) prometeu uma ‘limpa’ de cargos comissionados naquela casa legislativa. Ele assegurou que só ficarão os servidores efetivos.

Revolta de concursados

Em Serrita, Sertão Central, a revolta entre os aprovados no concurso público da prefeitura é generalizada. Tudo porque o recém-empossado prefeito Aleudo Benedito (MDB) anulou a convocação dos aprovados. O gestor tomou por base a recomendação a recomendação conjunta nº 01/2020, expedida pelo Fórum Permanente de Combate a Corrupção em Pernambuco (FOCOS-PE), formado pelos Ministério Público Federal, Ministério Público do Trabalho, Ministério Público de Contas e Tribunal de Contas de Pernambuco (TCE-PE). Os aprovados garantem que vão recorrer.

Exonerados

Em Lagoa Grande, Sertão do São Francisco, o prefeito Vilmar Cappellaro (MDB) tinha adiantado que não faria grandes mudanças na segunda gestão quanto ao seu secretariado. De fato, Cappellaro manteve os mesmos nomes. Em compensação, os demais funcionários comissionados foram praticamente todos demitidos.

Para Cachoeirinha

O município de Cachoeirinha, no Agreste, terá R$ 280 mil para melhorias nos serviços de saúde. Os recursos serão viabilizados pelo deputado estadual João Paulo Costa (Avante), através de emendas parlamentares. O investimento servirá para a compra de uma ambulância, equipamentos de saúde e reforço no atendimento aos pacientes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome