Codevasf e Exército norte-americano discutem contrato de cooperação técnica para obras da hidrovia

por Carlos Britto // 10 de julho de 2012 às 19:00

A hidrovia do São Francisco – futura via de escoamento da produção dos agricultores situados nos Vales do São Francisco e do Parnaíba – está recebendo investimentos de R$ 73 milhões até o final deste ano para cumprir a meta de, numa primeira etapa, tornar 657 quilômetros do Velho Chico navegáveis.

Essa e outras informações foram repassadas repassadas pelo presidente da Codevasf, Elmo Vaz, à comitiva do Comando Sul das Forças Armadas dos Estados Unidos (Commander of US Southern Command), liderada pelo comandante Douglas Fraser, tenente-brigadeiro da Força Aérea daquele país, na manhã desta terça (10) em Brasília (DF).

O objetivo do encontro foi discutir o contrato de cooperação técnica assinado entre a Codevasf e o Corpo de Engenheiros do Exército Americano (USACE) para consultoria, visando ao desenvolvimento da hidrovia do São Francisco mediante o controle de processos erosivos, melhoria de navegabilidade e contenção de margens. Na comitiva do tenente-brigadeiro Fraser também fizeram parte líderes da comunidade americana. O secretário extraordinário da Indústria Naval e Portuária do Estado da Bahia, Carlos Costa, participou do encontro, ao lado de diretores e técnicos da Codevasf.

De acordo com o contrato, o USACE irá providenciar assistência técnica ao longo do São Francisco, em tempo integral, com especialistas em áreas de hidráulica, geotécnica, dragagem e engenharia de construção (incluindo outras especialidades a serem requeridas pela Codevasf), com experiência em estabilização de margens de rio, controle de erosão, dragagem, escavação em rocha e navegação.

A consulta técnica de seleção de projetos, concepção, construção, dragagem e escavação de rocha está prevista para ser realizada ao longo dos três anos do acordo. Foi identificado um total de 12 projetos de navegação aquaviária, que serão avaliados nos primeiros doze meses. No primeiro ano, está sendo avaliada a programação dos três anos do contrato. Para o primeiro ano, até agora foram identificados os projetos de avaliação do campo de provas, em Barra (BA), e a aplicação dos tubos de geotêxtil, na Ilha Sambaíba, e Curralinho.

Ações

As ações foram iniciadas em março deste ano com a coleta de dados e visita ao campo de provas. O monitoramento do projeto pelo USACE envolve também investigação geológica, avaliação geotécnica, análise da qualidade da construção, análise hidrológica e outros estudos. O campo de provas é uma experiência piloto da Codevasf para contenção de margens e melhoria da navegabilidade do São Francisco.

No local estão sendo aplicados métodos de bioengenharia, com aproveitamento de vegetação nativa da região, para fixação da mata ciliar. As intervenções envolveram diversas etapas desde a análise do solo, levantamento topográfico até o trabalho de conformação de margens, com a confecção de trincheiras e defletores.(fonte: Ascom Codevasf/foto reprodução)

Codevasf e Exército norte-americano discutem contrato de cooperação técnica para obras da hidrovia

  1. desafeto disse:

    Não me agrada nem um pouco essa parceria com os americanos, principalmente em solo brasileiro, será que não tinha outro país disposto a cooperar? ” afinal de contas já ouvir declarações de presidentes americanos dizendo que a amazônia não é nossa, deles é que não é.” dispensamos a presença de soldados americanos aqui.

  2. Fabiano Silva disse:

    Olha só a FRANAVE empresa do próprio governo fazendo falta agora, e olha que ela pode ate ter sido acabada em outras épocas mais foi ESTINTA, ou melhor, “MORTA” pele presidente LULA que por sinal é do PT. E agora todo o dinheiro que poderia ser investido com mão de obra brasileira, será empregado em outros pais, ISSO É BRASIL!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *