Cliente se recusa a medir temperatura para entrar em supermercado de Petrolina e causa tumulto

40
Foto retirada do vídeo

Diante da reabertura do comércio em Petrolina, algumas medidas de segurança se tornaram obrigatórias para que os estabelecimentos funcionassem, como a medição da temperatura logo na entrada. 

Infelizmente, em um vídeo que o Blog recebeu, um homem se recusa a passar pelo procedimento na entrada de um supermercado da cidade e, segundo informações, teria tentado invadir o local. Por conta da situação, a Guarda Civil Municipal (GCM) foi chamada para conter os ânimos. Mesmo assim, como pode ser visto no vídeo, não foi o suficiente e o homem – que se identificou como estudante e servidor público – foi retirado do interior do estabelecimento.  

O Brasil é um país livre, todos têm o direito de ir e vir, mas há uma pandemia e o momento é atípico. A responsabilidade de um é a responsabilidade com todos e ninguém está acima da saúde coletiva.

40 COMENTÁRIOS

  1. Seria importante alguém informar a esse “estudante e servidor público”, que essas duas caraterísticas do seu perfil o obrigam a saber que ele está insistindo em descumprir o que determina um decreto. Ou seja, está desrespeitando uma ordem emanada de uma autoridade superior – a Prefeitura Municipal de Petrolina, que deve ser cumprida por todos os seus munícipes.E que o seu descumprimento incorrerá em penalidades estabelecidas nos termos do referido decreto municipal.

  2. Funcionário público em horário de trabalho, o que ele fazia no supermercado. Espero que o departamento dele averigue. A lei é para todos.
    Minha proteção é ele estar circulando hígido, papel do supermercado é averiguar a temperatura minha e dele.
    Mais um bolsonarista querendo interpretar A lei.

    • Quem aparelhou toda maquina publica com petralhas, foi os nove dedos. parasitas, nao fazem nada e ficam esperando as migalhas do estado.A intepretação dos pettralhas da lei e: roubar, meter a mao no erario pubico

  3. Além de idiota e querer descumprir regras essenciais para o controle da disseminação da pandemia, o “funcionário público e estudante” está construindo provas contra a si mesmo e terá que se explicar porque estava em um supermercado em horário de trabalho. Ele acha que conhece os seus direitos mas, não quer assumir seus deveres de bom cidadão.

  4. Lamentável, mas vimos isso constantemente. Alguns não querem usar máscaras ou não querem higienizar as mãos, usando desculpas de que fizeeram em casa, no carro… não tem obrigação, em alguns casos agridem os colaboradores na entrada da loja, “fazem barracos” ameaçando ” entrar na justiça” contra o estabelecimento. Só ele, individualmente tem direitos, ninguém mais…
    Parabéns, para a equipe dos colaboradores do Econômico e Parabéns para a equipe da Guarda Municipal.

  5. Percebe-se a clara intenção de fazer tumulto, constrangido simplesmente por checar a temperatura? Por que esse “estudante e funcionário público” não segue um decreto municipal? É uma vergonha. Parabéns ao Mercado Econômico que em respeito aos funcionários e clientes chamou a guarda municipal.

  6. A lei na mãos de Bolsominion jumento, vira papel papel higiênico, pois sempre que estão fazendo merda querer usar a lei para se limpar…. Os Guardas aí cometeu corporativismo, deveria ter conduzido o meliante a delegacia e lavrado o flagrante pelos crimes:

    1) Afronte ao decreto;
    2) Crime contra a saúde pública (pois quem garante que ele está gozando de plena saúde) quando se nega a aferir a temperatura;
    3) O mesmo no final do vídeo aparece com a máscara baixa, outra infração previsto em decreto.

    Espero que a Polícia identifique esse meliante, para que ele responda pelos crimes e espero que se abra processo administrativo para que ele perca o emprego, afinal de contas o mesmo confessa que está em horário de trabalho… Desde quando pagamos servidor público para dar expediente em supermercado na função de baderneiro?

    A lei é pra todo, CADEIA nele.

    A população Petrolinense cobra uma resposta da justiça e do órgão que ele for lotado.

    BASTA de ficarmos refém desse Bolsominion dementes.

    • Este commentario idiota so pode ser de um petralha, se o meliante do 9 dedos tivesse construido hospitais ao invez de estadio de futerbol, talvez a situação fosse outra bem melhor. espera o que de uma organização criminosa que durante 20 anos assaltou os cofres publico do pais

      • Aí está o verdadeiro nome do “servidor e estudante”, a carapuça lhe vestiu bem, afinal de contas não foi citado nome para vc se sentir ofendido ou defender o errado.
        O “servidor e estudante” aí se estivesse preocupado com hospital, se prevenia e nunca colocaria a vida de terceiros em risco.

  7. Deve ser eleitor do aloprado do Presidente que chama a população a descumprir à lei, e a invasão de hospitais, faltou mostrar a cara do Servidor Público, que deveria dá exemplo na rua, e não fazer isso.
    Faltou mostrar as fuças deste Sr. para desmoraliza lo.

  8. É só processá-lo também quem se sentiu constrangido por ele se recusar a seguir uma determinação em decreto durante uma pandemia em uma rede particular de supermercados, inclusive os funcionários e servidores citados e filmados.

  9. Esse camarada é o exemplo do que prega o chefe dele Bozo, baderna, arrogância desobediência civil, prepotência. Ele acha que essa doença é apenas uma gripezinha e ele está imune. Fica em casa maluco!!

    • E até mesmo, independente do que ele acha, regras, leis, normas são para ser cumpridas. Gostemos ou não. Essa, é a dificuldade de retomar as atividades, pessoas que se dizem “estudantes”, mal educados. Ele que constrangeu todos os funcionários que ali estavam no cumprimento das suas atividades.

  10. Minha opinião é que o ser humano esta a flor da pele sem paciência e sem o temor de Deus. pois como já visto no vídeo o estabelecimento esta cumprindo um decreto por partes dos governantes e o cidadão que não é leigo e que descumprir a lei que foi estabelecida e tem que ser cumprida por todos os cidadãos brasileiros…sem mais…..

  11. Desse a madeira , aí ele aprende a respeitar o decreto municipal e estadual, e aprende a respeitar principalmente as pessoas, já que o uso da máscara e averiguação de temperatura é obrigatório.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome