Candidato a federal, Cabo Nadelson mostra disposição na reta final da campanha e destaca preocupação com a segurança em Pernambuco

1
Cabo Nadelson Costa, candidato a deputado federal. (Foto: Blog do Carlos Britto)

Com propostas voltadas para o âmbito da segurança pública, o candidato a deputado federal por Pernambuco nas eleições 2018, Nadelson Costta, o ‘Cabo Nadelson’ (PSL), destacou a sua plataforma política durante entrevista a este Blog. Bacharel em Direito e vice-presidente da Associação de Cabos e Soldados de Pernambuco (ACS-PE), ele mostrou disposição e ressaltou que tem como propósito melhorar o setor no Estado e em todo país, buscando a valorização dos policiais e bombeiros antes de tudo.

Fechado com militares e evangélicos, Cabo Nadelson acredita que conseguirá uma vaga na Câmara Federal com cerca de 30 mil votos. “Já trabalho com a categoria (PMs e Bombeiros) e também conto com o apoio do público evangélico, mas temos projetos para toda a sociedade. Acredito que conseguiremos chegar lá com 28 a 30 mil votos. Estamos na coligação de Armando e apoiando Bolsonaro“, explicou.

Para o candidato, o trabalho do policial militar em Pernambuco tem ficado cada vez mais difícil, mas a categoria vem sendo injustiçada há muito tempo. “Existe há 200 anos uma injustiça na PM. O policial que está respondendo a processo fica impedindo de ser promovido  e de ir para a reserva depois dos seus 30 anos doados à sociedade”, comentou. “Também queremos a redução de impostos para a compra de arma particular para policiais militares“, reforça.

Cabo Nadelson também fez críticas ao Governo de Pernambuco, que teria prometido um kit para os policiais. “O Governo de Pernambuco prometeu um kit (arma, munição e algema) para os PMs, mas não cumpriu a diretriz que ele mesmo criou“, afirmou.

Punição disciplinar

Questões relacionadas a punições contra o policial militar também estão sendo debatidas pelo candidato a federal. Ele acredita que há “perseguição” em muitos casos. “Pernambuco não aceita que o policial falte ao serviço, chegue atrasado, barba por fazer, roupa amassada… se ele chegar 15 minutos atrasado, ele leva punição disciplinar e é preso. Isso não pode acontecer. Temos que humanizar o código disciplinar, que é de 1965. Mas, para alguns comandantes, isso fortalece, porque eles pegam a rédea no sentido de perseguição ao policial. Em quatro estados do país não existe mais prisão disciplinar (Santa Catarina, São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul)“, endossou.

Cabo Nadelson também aproveitou a oportunidade para dizer que tem outro candidato a federal em Pernambuco que estaria “ludibriando” a tropa, inclusive fazendo santinhos com foto de Bolsonaro, sendo que ele é da coligação de Paulo Câmara (PSB), que apoia Fernando Haddad (PT).

Preocupação

Questionado sobre o crescimento da violência em Pernambuco, Nadelson mostrou-se preocupado. “Em 2016, Pernambuco emplacou mais de 5 mil assassinatos. Em 2017, foram cerca de 400 a mais. Então, o Estado deixa a desejar em segurança pública. Falta valorização do profissional de segurança pública e o quadro da PM é defasado. Através de concurso, vão entrar 500 novos, mas vão sair, no final do ano, cerca de 2 mil que estão se aposentando. A quantidade de bombeiros também é bem baixa”, finalizou, dizendo que o Estado tem que criar projetos que tirem os jovens das drogas e criar uma política de empregos. As demais propostas de campanha do Cabo Nadelson podem ser conferidas em suas páginas nas redes sociais.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome