Candidato a estadual, Osinaldo Souza diz que lutará por industrialização de Petrolina e critica líder socialista

2
Foto: Gabriel Siqueira/Blog do Carlos Britto

Pela segunda vez o vereador Osinaldo Souza (PTB) vai tentar uma vaga à Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). Na primeira, encontrou dificuldades porque não estava com mandato na Câmara Municipal de Petrolina. Mas nas eleições deste ano a história é diferente, e ele esbanja otimismo – apesar do desafio de ter de conquistar mais de 30 mil votos para sair exitoso.

Estou muito confiante, e confio também no bom senso do povo de Petrolina, que sabe escolher. As pessoas sabem que só voto em favor do trabalhador, faço de tudo para atender as demandas da população. Então me coloco como um bom político, sensível às causas do povo”, pondera.

Segundo o candidato, há várias bandeiras que já defende na Casa Plínio Amorim, a exemplo da saúde, educação, emprego e segurança pública. Mas na sua campanha a deputado estadual ele terá como principal foco a indústria. Nesse item Osinaldo não poupa críticas ao Distrito Industrial de Petrolina, que para ele poderia ter um cenário bem diferente do atual. “Às vezes faz até vergonha. Lá tem uma pista de motocross, muito lixo, mas não tem indústria”, cutucou.

Caso eleito, Osinaldo comprometeu-se pela implantação de uma zona franca do semiárido, cuja sede ele afirma que lutaria para ser em Petrolina. Para isso, espera contar com a força de outras lideranças da região no Congresso Nacional. Caso não consiga viabilizar tal projeto, ele batalhará pela vinda de grandes empresas do país e do exterior para se instalarem no principal município do Sertão pernambucano.

Nossos jovens estão estudando engenharia, mas não têm onde atuarem. Quantos advogados não temos hoje em Petrolina, ‘batendo cabeça’, porque não têm mais espaço para trabalhar? com essas novas indústrias, ofereceremos empregos qualificados e com melhores salários”, destaca. Outros pontos importantes, segundo ele, são o Projeto Pontal e o Canal do Sertão, que ajudarão a aumentar o PIB e a renda de Petrolina e cidades circunvizinhas.

Críticas

Nesse quesito, o vereador-candidato não isenta de críticas o ex-governador Eduardo Campos, que no boom econômico vivido por Pernambuco nos seus dois mandatos, não priorizou investimentos na industrialização de Petrolina. “Eduardo pegou mais de 160 grandes indústrias e empresas e levou para a Região Metropolitana, e não trouxe sequer uma para nossa região (…)você chega na campanha, diz que vai governar Pernambuco do Sertão ao Litoral, mas faz a mesma coisa que os outros fizeram, de governar do Litoral ao Sertão. Acho que faltou esforço, sim, de Eduardo e de outros governadores em industrializar nossa cidade”, afirma.

Parceria

Osinaldo acredita que contará com a parceria forte junto ao seu aliado, o candidato a governador pelas oposições Armando Monteiro Neto (PTB), o qual já foi presidente da Confederação Nacional das Indústrias e comandou uma pasta dessa área durante o Governo Dilma. “Vamos botar a mão na massa e trazer as indústrias que Petrolina precisa. Seja do São Paulo, Rio de Janeiro, Estados Unidos, Europa ou China”, pontua.

Correndo trecho

Osinaldo ressalta que tem conseguido conciliar sua campanha com o papel de vereador na Casa Plínio Amorim. De poucas faltas no Legislativo, ele diz que quando precisa se ausentar não costuma inventar desculpas. “Faltei a duas sessões, mas não quis justificar porque o povo sabe que estou em campanha. Não vou inventar ou dizer que é falta justificada. Não me licenciei (do cargo), estou em campanha e o povo sabe que nossa luta é para beneficiar o povo”, frisa.

A menos de um mês das eleições, Osinaldo tem intensificado suas andanças pelo Estado. No final de semana, por exemplo, passou por Dormentes e Lagoa Grande, no Sertão do São Francisco. Já na semana passada, foi até o Recife e a algumas cidades da Região Metropolitana. “Vamos aumentar o ritmo. Temos 26 dias de campanha, será um ritmo acelerado para dar certo dessa vez. Estou animado”, finaliza.

2 COMENTÁRIOS

  1. O povo de Petrolina sabe votar. Então explique como os vereadores de Petrolina conseguiram se eleger? Sua conversa é tipica do político enganador. O Brasil é o primeiro lugar do mundo em que o político destrói o seu próprio país. Politico brasileiro (um contrassenso) dá mais trabalho para o sistema de justiça que os chamados bandidos propriamente ditos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome