Betão chama de “engodo” anúncio dos 40 PMs para Petrolina e endurece discurso contra Governo de PE

0

betãoO vereador Adalberto Filho ‘Betão’ (PSL) já considerava insatisfatório o número de 50 PMs confirmados pelo Governo de Pernambuco para reforçar o 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM) em Petrolina. Mas ao tomar conhecimento de que a quantidade confirmada pelo secretário estadual de Defesa Social, Alessandro Carvalho, será de apenas 40 PMs, Betão não se conteve e endureceu o discurso.

Na sessão de ontem (8) na Casa Plínio Amorim, Betão chamou de “engodo” a decisão do governador, uma vez que o 5ºBPM irá perder 30 policiais no mês que vem (entre os 2.500 da Polícia Militar do estado, que irão para a reserva).

Sem esconder a indignação, o vereador lamentou também o fato de Petrolina ser tratada “de maneira diferente” em relação a Caruaru, no Agreste, que irá receber mais do dobro de PMs. Betão disse que ainda tentará sensibilizar o secretário e o governador de que a segurança pública da cidade “está caótica”, lembrando os recentes assassinatos de mulheres e um crime ocorrido na última quinta –feira (3), quando presenciou, juntamente com seu colega Edilsão do Trânsito (PSL), um homem ser esfaqueado por outro em plena orla de Petrolina.

Betão citou ainda casos de frequentes arrombamentos em residências do bairro Jardim Maravilha e das condições precárias de trabalho dos PMs. “Fui procurado por alguns amigos da Polícia Militar, preocupados, dizendo que quase morriam num veículo, próximo a Pedro Baiano, porque o veículo estava sem freios”, afirmou Betão, criticando o sucateamento não só da PM, quanto da Polícia Civil.

Outra preocupação do vereador é com o fato de que já foram liberados cem presidiários que cumpriram pena na Penitenciária Dr.Edvaldo Gomes, e outros cem também deixarão em breve a unidade prisional. “Essas pessoas não têm onde trabalhar”, alertou.

“Desamparado”

Em tom de desabafo, o vereador disse que pelo fato de ser aliado do governo, não deixará de fazer suas críticas, até porque pediu votos em Petrolina para o governador. Betão, no entanto, evitou afirmar que se sentia traído por Câmara. “Ainda não me sinto assim. Estou me sentindo desamparado, não sou eu quanto à população, e não posso concordar com o que está acontecendo. Eu saí às casas das pessoas pedindo votos para ele (Câmara), e é como se eu tivesse enganado meu eleitorado. Não vou perder a confiança dessa população porque o meu governo não está fazendo um bom trabalho”, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome