Barragem de Retiro pode evitar que rejeitos de Brumadinho atinjam Rio São Francisco, avalia governo

1
Barragem que rompeu em Brumadinho. (Foto: Divulgação)

Relatório repassado por técnicos do governo ao ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, nesta sexta-feira (25), mostra que os rejeitos da barragem da Vale, que se rompeu em Brumadinho, Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG), devem atingir nas próximas horas o reservatório da Hidrelétrica de Retiro Baixo, a 150 quilômetros do local do desastre.

Segundo os técnicos, os rejeitos poderão chegar ao Rio Paraupebas e serem canalizados até Retiro Baixo, que serviria como uma espécie de barreira de contenção para evitar que os rejeitos de minério atinjam o Rio São Francisco.

Segundo o corpo técnico do ministério, a barragem de Brumadinho está situada na Bacia do São Francisco, o que, em primeira análise, sugere que a primeira estrutura receptora dos impactos seria a Barragem de Retiro Baixo, a mais de 150 km do ponto de rompimento.

Os integrantes do governo avaliam que as primeiras medidas saneadoras deverão ser adotadas pelos órgãos ambientais do governo de Minas Gerais, o responsável pelo licenciamento e fiscalização da barragem. Ao ministro Salles, os técnicos chegam a apontar prioridades nessas primeiras horas seguidas do desastre: resgate de vítimas e proteção de pontos de captação de água.

Ao Jornal O Globo, o secretário do Meio Ambiente de Minas, Germano Luiz Gomes, afirmou que estava voando para o local do desastre e não poderia comentar os efeitos do rompimento. (Fonte: O Globo)

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome