Bancada de oposição na Alepe denunciará Governo Paulo Câmara por suposto abuso de poder econômico

por Carlos Britto // 10 de agosto de 2017 às 08:20

A bancada de oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) voltou a centrar fogo contra os governos socialistas de Paulo Câmara, no Estado, e de Geraldo Júlio, na Prefeitura do Recife. O deputado Silvio Costa Filho (PRB) apresentou, nesta quarta-feira (9), no plenário da Alepe uma denúncia contra ambos, por possível abuso de poder econômico durante as eleições de 2016.

Segundo levantamento realizado pelo deputado, entre dezembro de 2015 e outubro de 2016 o Governo Paulo Câmara desembolsou um total de R$ 101,51 milhões para a Prefeitura do Recife, favorecendo o candidato à reeleição Geraldo Júlio.

Os valores destoam dos repasses pré e pós eleições. “Até novembro de 2015, o Estado tinha repassado apenas R$ 2,15 milhões para a administração municipal, dando início em dezembro à operação Geraldo Júlio, com a transferência de R$ 42,46 milhões“, detalhou o parlamentar, destacando que os números não incluem os repasses constitucionais obrigatórios, como a cota-parte do ICMS.

Entre janeiro e outubro de 2016 foram desembolsados outros R$ 59,05 milhões. Passadas as eleições, o Governo fez três repasses em dezembro, que juntos somaram R$ 2,44 milhões. Já em 2017, foram liberados apenas R$ 497,50 mil até o final de julho. “A liberação de R$ 100 milhões entre dezembro de 2015 e julho de 2016 coincide com o período em que o Governo Paulo Câmara apontava a União e a crise econômica como responsáveis pelo atraso de pagamento a fornecedores, falta de insumos básicos na rede pública de saúde, paralisação de obras, entre outros problemas identificados no período”, comparou.

“Ação eleitoreira”

De acordo com o deputado, os números falam por si só e não deixam dúvidas de que houve uma “ação eleitoreira” do Governo Paulo Câmara, favorecendo o seu correligionário Geraldo Júlio na disputa pela Prefeitura do Recife. “Vamos encaminhar esse relatório ao Ministério Público de Pernambuco e ao Ministério Público Eleitoral para que eles possam analisar esses dados”, afirmou. As informações são da assessoria. (Foto: Roberto Soares/Alepe)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *