Bahia: rompimento entre PT e PMDB pode acontecer

por Carlos Britto // 23 de dezembro de 2008 às 12:24

Entrevistado ontem, o governador Jaques Wagner (PT), falou da relação entre PT e PMDB. Wagner disse à imprensa que o possível rompimento com o prefeito João Henrique (PMDB), só se consolidará se o prefeito quiser. Segundo o governador, a posição do PT na Câmara Municipal dependerá exclusivamente da postura do prefeito no sentido de querer ou não o partido na base. “Contudo, mesmo na hipótese de o PT ficar na oposição a João Henrique, será tratado com o mesmo respeito com que trato os prefeitos que não me apoiaram em 2006. Ou seja, o que for de interesse da cidade, trataremos. Se ele decidir ficar na oposição, trataremos como um prefeito de oposição, mas ainda está muito cedo, nem ocorreu à posse ainda”, disse o governador.

Por fim, Wagner negou que vá promover uma reforma administrativa no governo. “Não tem isto de reforma administrativa marcada”, disse o governador, admitindo, no entanto, que a NDG, empresa especializada em consultoria administrativa, foi contratada pelo governo e que pode resultar na sugestão do enxugamento da máquina e, conseqüentemente, na redução de secretarias. O governador voltou a defender o trabalho do seu secretário de Relações Institucionais, Rui Costa, criticado pela oposição e setores do governo. “A condução política é uma tarefa difícil, mas que tem dado resultado”, declarou.

Fonte: Agência Nordeste

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.