Ator José Lírio Costa lança experimento híbrido de conto do petrolinense Antonio de Santana Padilha

0
Foto: Ascom/divulgação

‘Colecionador de Semelhanças’. Esse é o nome do experimento híbrido baseado no conto homônimo do escritor petrolinense Antonio de Santana Padilha (1904-1981), que está disponível para acesso no YouTube. Aprovado no edital de Criação, Fruição e Difusão da Lei Aldir Blanc (LAB) do estado de Pernambuco, o projeto conta com a interpretação do ator e performer José Lírio Costa, além da direção e filmagem de Thom Galiano.

Em cerca de 11 minutos, a obra adaptada do conto de Antonio Padilha relata a saga de Floresmundo (José Lírio Costa), um sujeito que não se parece com ninguém, nem com seus próprios familiares. Pela necessidade de encontrar alguém semelhante, ele começa a colecionar fotos, desenhos e gravuras de pessoas, adentrando em temas como memória, identificação e representatividade.

De acordo com o diretor Thom Galiano, trata-se de um experimento híbrido porque a obra transita entre o teatro, a literatura e o audiovisual. “Toda linguagem tem suas fronteiras, mas nenhuma linguagem é pura. Existem parâmetros, mutantes, que afirmam a sua identidade e diversas possibilidades de experimentação. Em Colecionador de Semelhanças, o teatro é o corpo, a forma de expressão; a literatura é a matriz do projeto, que nasce do conto; e o audiovisual é o meio para que a obra aconteça e chegue às pessoas“, afirma ele.

Lírio, que já atuou em mais de 20 espetáculos desde a sua estreia em 2001 na Cia Máscara de Teatro, mergulha na história do inquieto Floresmundo para dar continuidade à sua pesquisa de transposição da Literatura ao Teatro. Nessa investigação, desenvolveu, além do experimento híbrido ‘Colecionador de Semelhanças’, a performance ‘Cavalo’ (inspirada no livro ‘Carta ao Pai’, de Franz Kafka) e o experimento audiovisual ‘Tempo ao Sol’, baseado no poema homônimo de Carlos Drummond de Andrade.

Reencontro

‘Colecionador de Semelhanças’ transcende a pesquisa de Lírio, ao propor um reencontro com Petrolina e com a obra de Antonio Padilha, autor de uma vasta e diversa produção literária, que compreende contos, crônicas, dramaturgia, poesias, discursos e o primeiro romance publicado na cidade, ‘Pedro e Lina’, sua obra-prima. O lançamento do experimento híbrido foi precedido por uma série de postagens de Lírio sobre a obra de Padilha, prestando uma homenagem ao escritor, ao município, ao tempo e às histórias da cultura local. As informações são da assessoria do projeto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

cinco × quatro =