Artistas regionais gravam CD em defesa do Velho Chico

por Carlos Britto // 22 de setembro de 2021 às 21:00

Foto: Kaio Cads/divulgação

Os músicos e compositores Nilton Freittas, Targino Gondim e Roberto Malvezzi (Gogó) se uniram para lançar o projeto “O Belo Chico – Convivência com o Rio São Francisco através da música”. A produção tem como objetivo chamar a atenção para luta em defesa do Velho Chico e, através das canções, animar o povo, estimular a construção de reflexões sobre o rio e a consciência política e socioambiental.

O projeto Belo Chico consiste num álbum com canções que falam da situação do São Francisco, seu povo, suas comunidades, potencialidades, perigos e esperanças. O CD é composto por 13 músicas, sendo algumas inéditas dos autores, e outras já consagradas e conhecidas, de autoria própria ou de terceiros, selecionadas pelo conteúdo das letras e pela melodia. O Belo Chico será apresentado ao público no próximo dia 2 de outubro, em uma live transmitida no YouTube, através do canal TV IRPAA, em alusão ao aniversário do rio (celebrado em 4 de outubro).

O CD terá um cunho educativo e poderá ser utilizado em atividades lúdicas, místicas, dinâmicas, entretenimento e ações diversas que envolvem a interatividade de pessoas envolvidas no processo de construção de saberes, no desenvolvimento de políticas públicas de Convivência com o Semiárido e de defesa, proteção e revitalização da bacia do rio São Francisco.

Dialogando com esse fim, o CD será distribuído entre entidades populares que atuam na defesa do Velho Chico, comunidades tradicionais e movimentos sociais, além de escolas. A obra também estará disponível nas principais plataformas digitais e no site do Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada (IRPAA).

Pela sua essência e finalidade o Belo Chico foi incorporado a um projeto executado pelo IRPAA, entidade que trabalha há mais de 30 anos com a defesa da convivência com o semiárido, que consiste em um conjunto de técnicas, métodos e hábitos de vida compatíveis com as condições climáticas do lugar, tendo como princípios o acesso à terra, compreensão sobre o clima, acesso à água, educação contextualizada, direito à comunicação, produção de alimentos e criação de animais apropriados, empoderamento político, preservação e recuperação da biodiversidade, acesso ao saneamento, em vista ao Bem Viver no Semiárido.

Produção

Fruto da construção coletiva de saberes e do amor pelo rio, o Belo Chico promete trazer para a cena artística nacional elementos da riqueza cultural dos povos que ocupam suas margens. A produção é da Toca Pra Nós Dois , realização do IRPAA e a Articulação Popular São Francisco Vivo, com apoio do Ministério de Cooperação Alemã – por intermediação da Cáritas Alemã. (Texto: Isabella Ornellas/divulgação)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *