Após mais de ano com inauguração suspensa pela justiça, matadouro de Petrolina volta a funcionar

2
Foto: Jonas Santos/PMP divulgação

Após passar mais de ano sem poder ser inaugurado em virtude de uma decisão da justiça, o matadouro de Petrolina finalmente voltará a funcionar. O prefeito Miguel Coelho participou, nesta quinta (3), de um ato simbólico para a reabertura do equipamento municipal. O abatedouro, que havia sido interditado ainda na gestão do ex-prefeito Julio Lossio, foi inaugurado após obras de requalificação e uma Parceria Público-Privada para administração do prédio.

A nova estrutura conta com câmaras de resfriamento e estocagem; caldeira; caminhão baú refrigerado; área de expedição e evisceração; vestiários; banheiros e esterqueira. Além disso, o abatedouro está adequado com sistema de tratamento de resíduos a fim de evitar a poluição.

O equipamento tem capacidade de abate de 100 a 500 animais por dia e será gerenciado por uma empresa privada, sem custos de manutenção para a prefeitura. Com o novo abatedouro, além da geração de 50 empregos diretos e economia de recursos públicos, Petrolina volta a ter uma estrutura de grande capacidade para abate, oferecendo maior segurança sanitária à população que consome carne. Outro benefício é a redução da poluição dos lençóis freáticos que era provocada pelo abate clandestino.

No ato de inauguração, o prefeito Miguel Coelho reforçou o compromisso com a saúde pública e o fortalecimento da cadeia produtiva da pecuária. “Foi uma luta enorme para garantir a reabertura desse equipamento essencial. Primeiro, conseguimos investir mais de R$ 2,3 milhões numa ampla reforma. Depois inovamos ao fazer essa Parceria Público-Privada com uma empresa especializada neste tipo de serviço. E também asseguramos todas as licenças ambientais e protocolos para permitir o trabalho da maneira mais segura possível. A população agora terá mais tranquilidade ao comer carne. Ao mesmo tempo, centenas de marchantes e outros trabalhadores deste setor são beneficiados. Esse conjunto de aspectos mostra o tamanho dessa obra, que impacta na vida de toda a população“, argumentou.

Foto: Jonas Santos/PMP divulgação

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

treze + 17 =