Após demissão de gestor da SDS, Antonio Coelho deixa questionamento: “Por que o secretário mentiu?”

1
Foto: divulgação

Líder da bancada de oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), o deputado Antonio Coelho (DEM) voltou a questionar o governo do Estado sobre de onde realmente partiu a ordem para o Batalhão de Choque agir contra os manifestantes no protesto do último dia 29/09, que entre outras pedia o impeachment do presidente Jair Bolsonaro e vacinação em massa contra a Covid-19. A motivação do democrata é reforçada com a repentina demissão do secretário de Defesa Social, Antonio de Pádua, ontem (4). E, frente a tal cenário, o parlamentar também coloca em xeque a veracidade das informações apresentadas pelo secretário durante seu encontro com os deputados, na última terça-feira (1), na Casa. Reunião da qual o oposicionista se mostrou insatisfeito com os argumentos expostos pelo ex-gestor da SDS.

O secretário foi demitido porque ele deu a ordem ou porque ele recebeu a ordem?“, indagou Antonio. Caso se confirme uma das duas indagações, ele faz novo questionamento: “Antonio de Pádua, agora ex-gestor da SDS, teria mentido na conversa com os deputados?“.

O deputado destacou que, a cada nova explicação da gestão estadual, um integrante da cadeia do comando da polícia é penalizado. O democrata relembra que, no primeiro momento, o governo apontou o comandante da tropa como autor; em seguida, demitiu o comandante da Polícia Militar (PM) e prometeu fazer novas alterações na estrutura de comando da instituição; por fim, demitiu o secretário Antônio de Pádua. “A quem o governo quer resguardar ao criar bodes expiatórios?“, indagou.

1 COMENTÁRIO

  1. Do que a hipocrisia é capaz!
    Um bolsonarista explícito tentando tirar proveito político de uma ação executada por policiais bolsonarista, possivelmente à revelia do Governo do Estado, contra manifestantes anti-Bolsonário.
    Hipocrisia raiz

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

16 − 6 =