Após Blog destacar clamor de estudantes sertanejos por bônus na Univasf, pró-reitor de Ensino firma compromisso

37

Após este Blog ressaltar o clamor dos estudantes sertanejos de Pernambuco, Bahia e Piauí por uma política de bonificação da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) para seus cursos, a exemplo de Medicina, e que motivou a criação de um movimento, a instituição se manifestou por meio do seu pró-reitor de Ensino, Manoel Messias. Ele assegurou que essa pauta “é prioritária” para o reitor pró tempore, Professor Paulo César Fagundes.

Assumo esse compromisso como pró-reitor de Ensino na Univasf, primeiro por saber que essa pauta é prioritária para nosso reitor Fagundes e, especialmente, pelo exemplo que essa pandemia nos trouxe, especialmente para as cidades de pequeno e médio porte,  da dificuldade de contratar profissionais de saúde para enfrentar situações como esta. Vamos, sim, respeitar o clamor da sociedade de nosso semiárido”, afirmou Messias ao Blog.

37 COMENTÁRIOS

    • Dificilmente um médico de capital vai se fixar na região, só raras exceções. A chance é infinitamente maior se o estudante for da própria cidade em que mora, ele e sua família. E o bônus não vai impedir que outros brasileiros estudem na Univasf, apenas evitará que eles fiquem com cerca de 100% das vagas. Se, por exemplo, o bônus for de 50%, a outra metade, evidentemente, será de alunos de fora.

  1. Importante promover amplo debate sobre essa questão. Já vi dados sobre os estudantes da Univasf que são sim da região, em mais de 80%, exceto no curso de medicina. Ocorre a mesma coisa com curso de medicina de qualquer local, há pessoas de tudo que é lugar. Inclusive há sertanejos em diversas universidades. Pode ser tiro no pé. Outras universidades colocando privilégio para uma determinada população pode impedir de estudantes daqui disputarem em outros locais. Restringe assim a só poder cursar aqui. E não é ausência de formar pessoas da região que não tem profissionais. Todos sabemos disso. Esse argumento não se sustenta. A carência mais o é de estrutura e de condições de trabalho para atrair profissionais competentes. Condições precarizadas só afasta mesmo. É importante apresentar editais dos municípios para sabermos as condições que tentaram contratar, para que esse argumento se sustente.

  2. Extremamente necessária a aprovação, visto que quase todas as universidades estão adotando bonificação. De tal forma os sertanejo estão ficando cada vez mais vulneráveis, impossibilitados de disputar vagas em outras regiões que já aderem bonificação e como consequência a concorrência irá aumentar aqui , visto que somos a única que tem essa vulnerabilidade.

  3. Praticamente todas as universidades situadas no interior do nordeste possuem bônus. A UFPE e a UPE também tem ou vão aderir a bonificação. Todas as pessoas que jogariam as notas para esses locais, vão provavelmente jogar a nota para a UNIVASF, ou seja, a concorrência vai aumentar é muito. BÔNUS JÁ!!! Por favor, é muito necessário.

  4. Os sertanejos devem ser representados dentro das grandes universidades, o sonho de muitos alunos do Vale do São Francisco de tornar-se estudantes da UNIVASF se concretizarão com esse bônus!

  5. Deve sim implantar o bônus regional, pois muitas UNIVERSIDADES estão implantando. O antigo reitor o o antigo vice reitor, por serem de fora não jogavam essa batata quente na mão do CONUNI , a sociedade da região precisa pressionar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome