Aloizio Mercadante nega tentativa de impedir delação premiada de Delcídio

1

O ministro da Educação Aloizio Mercadante negou em entrevista à imprensa na tarde desta terça-feira (15) que tenha oferecido ajuda ao senador Delcidio do Amaral (PT-MS) em troca de seu silêncio. Uma conversa entre Mercadante e o assessor de Delcídio foi anexada à delação premiada do senador, homologada pelo ministro Teori Zavascki. De acordo com Mercadante, a própria gravação da conversa prova que a motivação era apenas pessoal, sem qualquer interesse em impedir ou tratar da delação, que seria um direito do senador.

Mercadante destacou que foi muito explícito em duas passagens de que não trataria de delação premiada e destacou trechos da gravação. “Tem que construir uma saída, uma saída viável. Se ele está ameaçando a delação, mesmo que ele queira fazer, eu não vou entrar nisso, a decisão é dele, é o direito dele, ele faz o que achar que deve“, disse Mercadante na conversa com o assessor.

O ministro repudiou a tentativa de envolver o nome dele em procedimentos que não estão compatíveis com o estado democrático e garantiu que a presidenta Dilma não tem nenhuma responsabilidade sobre a conversa. Ele destacou ainda sua disponibilidade para esclarecer o episódio com o Judiciário e informou que vai tomar as medidas judiciais cabíveis.

De acordo com o ministro, a gravação foi editada. Ele garantiu que em nenhum momento tentou comprar ou induzir o silêncio de Delcídio. A intenção da conversa, que aconteceu por iniciativa do próprio ministro, era falar sobre as possibilidades de defesa do senador petista no Senado, como um gesto de solidariedadepessoal, não como ministro. Mercadante salientou que estava sensibilizado com a situação do senador, e citou os ataques que as filhas do colega vinham sofrendo nas redes sociais.

Gravações

Delcídio entregou à Procuradoria-Geral da República conversas gravadas entre seu assessor de confiança, José Eduardo Marzagão, e o ministro, em dois encontros no gabinete, e acusou Mercadante e também a presidente Dilma de tentar comprar o silêncio dele. “Me senti pressionado pelo governo“, disse o senador aos procuradores, de acordo com reportagem publicada pela revista Veja. Mercadante teria prometido dinheiro e ajuda para que Delcídio deixasse a prisão e escapasse do processo de cassação de mandato no Senado, com a condição de que o senador não desestabilizasse tudo com a delação. (fonte: Jornal do brasil/foto: ABr)

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

treze + 2 =