Além das baronesas, outra planta aquática ‘invade’ o Rio São Francisco e causa preocupação em Petrolina e região

por Carlos Britto // 03 de junho de 2019 às 12:00

Foto: Blog do Carlos Britto/arquivo

A recuperação do Rio São Francisco tem sido motivo de diversas discussões entre entidades de todo o país, preocupadas com a situação de degradação do chamado rio da Integração Nacional. Na região de Petrolina, as baronesas já são bastante conhecidas, mas agora a atenção está voltada ao controle da Elódea, uma planta aquática invasora. Em casos extremos, ela pode diminuir a quantidade de oxigênio na água e provocar a mortandade de peixes, além de prejudicar a pesca e a navegação.

O alerta foi feito pelo diretor-presidente da Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA), Geraldo Miranda, e pelo diretor de projetos da AMMA, Victor Flores. Em entrevista ao Programa Carlos Britto, na Rural FM (103,1), eles disseram que tudo é decorrente de poluição.

Geraldo Miranda, diretor-presidente da Agência Municipal do Meio Ambiente. (Foto: Blog do Carlos Britto)

Essas plantas se fixam no solo do rio e como você tinha essas cheias constantes no rio, a água ficava barrenta e a incidência dos raios solares impedia o crescimento delas. De certa forma, isso fazia com que essa planta não proliferasse tão grande. Com a vasão pequena do rio, ele permanece recebendo iluminação solar o ano todo e elas estão se proliferando. Chega um momento que não tem mais controle, ela vira uma verdadeira ‘floresta’. O que combate, naturalmente, a proliferação dela seria essa sazonalidade do rio, em encher e secar, ou seja, a água ficar turva para que o raio solar não incida sobre ela e ela morre, além de diminuir a incidência de poluição no rio”, explica Geraldo Miranda.

Segundo ele, o fundo do está comprometido. “O fundo do rio está comprometido com por conta dessa planta. De Sobradinho até Petrolina você vai encontrar largos espaços com essa mesma vegetação. Nós tivemos na Capitania dos Portos, porque vamos voltar a fazer a compostagem da água para demonstramos, agora de forma científica, que realmente está existindo, de novo, essa degradação muito séria do rio”, alerta.

Proliferação

Victor Flores explicou como acontece a proliferação dessa planta aquática. “A Elódea é conhecida popularmente como ‘rabo de raposa’. No descarte de águas no rio, ela se proliferou de uma forma grande porque encontrou nutrientes no rio. Esse nutriente, que eu sempre vou batendo, vai Nitrato, Fósforo, tudo isso vai no esgoto. Mas nós também temos a expansão agrícola e os drenos. Além do esgoto, nós temos a falta da mata ciliar, que seria um filtro para que esses nutrientes chegassem até o rio. A diferença dela para a baronesa é que ela é submersa, por isso a dificuldade de fazer o controle. Além de prejudicar a navegação, ela mexe nas condições físico-químicas da água. Em grande quantidade, a Elódea vai alterar a oxigenação da água, afetar os peixes e há uma competição por oxigênio quando elas começam a se decompor no fundo do rio”, ressaltou o diretor de projetos da AMMA.

Por fim, Geraldo Miranda disse que a defesa do rio é um dever de todos. “Eu acho que a defesa do meio ambiente é inerente a toda e qualquer prefeitura, todo e qualquer cidadão. Quando eu trato do Governo do Estado aqui, em Petrolina, eu falo porque é o órgão responsável pela emissão desse poluente no nosso rio. Mas é uma preocupação coletiva, de todos que residem e usufruem do Rio São Francisco”, finalizou.

Além das baronesas, outra planta aquática ‘invade’ o Rio São Francisco e causa preocupação em Petrolina e região

  1. José Alberto disse:

    A coisa é mais “simples ” do que se imagina, tirem os esgotos do Rio, que este fara ou melhor continuará a fazer a sua parte, retirar baronesas não adianta! retirem os esgotos e reflorestem as margens do rio, o resto a natureza se responsabiliza em fazer!

  2. FREDDRICO Nunes disse:

    Eu acho que devemos ter uma fiscalização nas ilhas…construções são mais frequentes….derrubando a mata na margem…n tem saneamento….cerca de 90% da ilhas no.Vale.do são Francisco..estão sofrendo c essas ocupações.

  3. César disse:

    E p riacho da vitória?

  4. Defensor da liberdade disse:

    Ué mas o prefeito não dizia que o problema estava solucionado, que jacaré e capivara aparecendo na orla era sinal de quê estava tudo em perfeito equilíbrio?

    1. Amigo dos Coelhos disse:

      Amigo que comentário hipócrita! Na sua opinião o problema é o esgoto da Compesa ou o Prefeito de Petrolina, tenha Santa paciência e mais noção pra comentar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.