Abatedouro público de Petrolina deve funcionar em setembro

4
Foto: Jonas Santos

O prefeito Miguel Coelho assinou, nesta quarta-feira (5), o contrato de concessão para administração do abatedouro público de Petrolina. A empresa EquipeAbate (de Garanhuns, no Agreste pernambucano) venceu a concorrência pública e será a responsável pelo gerenciamento, exploração e manutenção periódica do equipamento público requalificado pela gestão municipal. A expectativa é de que na segunda quinzena de setembro o abatedouro comece a funcionar, após ficar desativado por 9 anos.

Para que o serviço fosse retomado de maneira segura e controlada, a prefeitura decidiu adotar um modelo de concessão pública para administrar o abatedouro de forma mais eficiente e econômica para o município. Após um processo de concorrência ampla e aprovação do Tribunal de Contas do Estado (TCE), a EquipeAbate foi a vencedora do certame e se tornou a concessionária responsável pelo abate de animais e exploração do serviço. A empresa já tem experiência no segmento, administrando abatedouros em cidades como Garanhuns e Afogados da Ingazeira. Nas próximas semanas, a nova concessionária montará a infraestrutura, logística e equipe de trabalho para começar a operação de abate de animais, atendendo todos os critérios dos órgãos fiscalizadores federais, estaduais e municipais.  

A retomada, por meio do modelo de concessão, do serviço de abate controlado de bovinos, suínos, ovinos, bubalinos e caprinos em Petrolina é um marco para agropecuária da região. Desde que foi fechado o matadouro municipal, o setor sofreu um forte impacto, com efeitos para os produtores e na saúde pública. Isso porque houve aumento de custos dos marchantes e um crescimento de abates clandestinos de animais em Petrolina, que propiciam enormes riscos à saúde pública, danos ambientais e comprometimento dos produtos comercializados na cidade. “Estamos virando uma triste página na história de Petrolina. O abatedouro foi fechado de forma irresponsável no passado, prejudicando os marchantes e colocando a saúde pública em risco. Muito em breve teremos um serviço de qualidade, que respeita todas as normas, oferece uma carne de qualidade à população e melhorar as condições de trabalho dos produtores”, destacou o prefeito, após a assinatura do contrato com a nova concessionária.

4 COMENTÁRIOS

  1. “Fechado de forma irresponsável”

    Quem fechou foi o MPF alegando que a instalação não atendia às normas sanitárias, além de se encontrar em território urbano.

    A única irresponsabilidade que eu vejo é entregar milhões de dinheiro do povo para uma empresa, para depois ela pegar o lucro e se mandar sem deixar nada em troca. Pleno 2020 e o povo ainda acha que tem que ter matadouro público.

  2. Quando se pesquisa no Google o resultado das PPPs no Brasil nos últimos 10 anos, o que se vê é um show de fracassos, pedidos de cancelamento dos contratos, empresas que não conseguem pagar a contrapartida do Estado, vendem gato por lebre. Ou se privatiza e abre o setor para a ampla concorrência, ou se privatiza e abre o setor para a ampla concorrência, não há outra opção.

  3. A igreja do Orto terminou?
    Glória a Deus!
    3 anos em uma obra que de forma correta foi fechada pelo MPF , e aínda tem gente achando o máximo continuar com a fedentina em pleno espaço urbano da cidade.

    Vai entender…

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome