Fernando Filho apresentará em fórum mundial na Suíça investimentos em setor de energia e mineração

O ministro de Minas e Energia, Fernando Filho, já está na cidade de Davos, na Suíça. Ele participará, juntamente com a comitiva do governo, nesta terça (17) e quarta-feira (18), do Fórum Econômico Mundial. O ministro apresentará as oportunidades de investimentos no setor energético-mineral do país.

O fórum contará com as maiores autoridades mundiais do setor de infraestrutura, além de investidores, bancos e representantes dos governos. O ministro também terá reuniões com presidentes de grandes indústrias e empresas de energia, mineração e petróleo.

Amanhã, após cumprir agenda de reuniões, o ministro participa do jantar “Agentes de Mudança no Sistema Energético”, quando serão debatidos os fatores de mudanças tecnológicas, econômicas e geopolíticas que estão mudando e impactando o sistema energético mundial.

Na quarta, Fernando Filho será um dos debatedores da mesa redonda “Desencadeando o Poder da Quarta Revolução Industrial no Sistema Energético”, exclusiva para ministros de energia e CEOs de empresas desse segmento. No evento, os participantes irão analisar as mudanças como a descentralização da geração elétrica, a digitalização e modernizações na operação do sistema energético e como essas novidades devem ensejar mudanças regulatórias e no perfil de atuação das empresas.

Mineração

Em seguida, o ministro será um dos facilitadores da reunião de ‘Governantes para Mineração e Metais: Panorama Político’. Fernando Filho é uma das autoridades convidadas a comentar o assunto. Na pauta estarão as formas de se potencializar o setor mineral, em um cenário de redução do preço das commodities. Como orador, Fernando Coelho participa da sessão interativa “Catalisando infraestrutura de energia internacional para melhorar a segurança energética”. A sessão tem o objetivo de aprofundar em pontos como as melhores práticas de impulsionar investimentos, como aprimorar os planejamentos nacionais e ampliar interconexões regionais, e formas de atrair financiamento. (foto: Assessoria/divulgação)

Dilma diz lamentar “brasileiro Eduardo Cunha” em escândalo na Suíça e garante que ministro da Fazenda “fica”

dilma

A presidente Dilma Rousseff confirmou neste domingo (18) a permanência de Joaquim Levy à frente do Ministério da Fazenda e disse lamentar que o escândalo envolvendo as supostas contas secretas mantidas pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, na Suíça tenha como protagonista “um brasileiro”.

As declarações foram dadas a jornalistas no hotel onde a presidente está hospedada, em Estocolmo, na Suécia. Dilma está em viagem oficial pelo país e pela Finlândia durante quatro dias. Ela retorna ao Brasil na noite da próxima terça-feira.

Sobre Levy, Dilma desmentiu informação divulgada pela revista Veja na última sexta-feira (16) de que o titular da Fazenda teria lhe apresentado seu pedido de demissão do cargo. Os dois se reuniram na sexta-feira passada no final da tarde, depois que o ex-presidente Lula pediu publicamente a demissão de Levy.
“O ministro Levy fica“, acrescentou. “Ele não está saindo do governo”.

A partir de agora, não vou mais responder sobre o ministro Levy. Se ele fica, é porque nós concordamos com ela (política econômica)”, afirmou a presidente.

Questionada sobre a declaração do presidente do PT, Rui Falcão, que também defendeu o afastamento de Levy se ele não mudar em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo deste domingo, Dilma afirmou que “o presidente do PT pode ter a opinião que quiser”.

“Não é a opinião do governo. A gente respeita a opinião do presidente do PT, porque ele é o presidente do partido que integra a base aliada, mas isso não significa que é a opinião do governo“, disse.

Lula

Dilma criticou especulações de que Levy teria demonstrado insatisfação sobre a pressão que vem recebendo de integrantes do PT, entre eles do ex-presidente Lula. Sobre Lula, a presidente disse que o petista nunca lhe cobrou a demissão de Levy. “Ele nunca me pediu nada. Quando o presidente Lula quer uma coisa que diz respeito a posições dele, ele não tem o menor constrangimento de falar comigo“. (fonte/foto: BBC Brasil)

Dados comprovam contas secretas de Eduardo Cunha na Suíça

passaporte-e-visto

Cópias do passaporte, da assinatura e de dados pessoais do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), enviados pelas autoridades da Suíça à Procuradoria Geral da República (PGR) comprovam contas bancárias secretas do deputado no país europeu.

A TV Globo teve acesso com exclusividade à documentação encaminhada pelo Ministério Público suíço ao Brasil – por meio de 35 arquivos –, na qual, além da reprodução do passaporte e do visto norte-americano de Cunha, constam nome completo, data de nascimento e endereço dele em um condomínio de luxo na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Os documentos enviados pelo MP da Suíça mostram o caminho do dinheiro supostamente repassado a contas bancárias atribuídas ao presidente da Câmara dos Deputados e familiares.

No total, as contas de Cunha na Suíça, indicam as investigações, receberam nos últimos anos depósitos de US$ 4.831.711,44 e 1.311.700 francos suíços, equivalentes a cerca de R$ 23,8 milhões, segundo a cotação desta sexta-feira (16).

Os investigadores dizem que os documentos pessoais de Eduardo Cunha enviados pelo procuradores suíços (cópias de passaporte, comprovantes de endereço no Rio de Janeiro e assinaturas) comprovam que ele era o beneficiário dessas contas.

Em uma das contas atribuídas ao presidente da Câmara na Suíça, em nome da offshore Triumph SP, há uma cópia do passaporte de Cunha. Em um dos documentos, que autoriza investimentos vinculados à conta bancária, aparece uma assinatura semelhante à registrada no passaporte do peemedebista.

Ao banco suíço Merrill Lynch, mostram os documentos, o presidente da Câmara solicitou para que as correspondências relacionadas às suas contas não fossem enviadas ao Brasil, e sim aos Estados Unidos, em um endereço de Nova York. Ele justificou o pedido alegando que “mora em um país onde os serviços postais não são seguros”.

Também chama atenção o documento em que consta justificativa para que as correspondências não fossem enviadas ao Brasil, mas sim aos Estados Unidos, embora ele não fosse residente nos EUA. A justificativa alegada é que Eduardo Cunha “mora em um país onde os serviços postais não são seguros”.

Novo inquérito

Na noite desta quinta-feira (15), o ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, autorizou a abertura de um novo inquérito para investigar Cunha. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, quer apurar suspeitas de corrupção e lavagem de dinheiro em razão das quatro contas na Suíça atribuídas ao parlamentar do PMDB. A Procuradoria Geral da República informou nesta sexta-feira (16) haver “indícios suficientes” de que as contas do presidente da Câmara no exterior são “produto de crime” e pediu o bloqueio e o sequestro do dinheiro depositado. Segundo a PGR, entre 2002 e 2014, a evolução patrimonial de Cunha foi de 214%. (fonte: G1/foto reprodução)

Corte de gastos: Prefeito de Tabira avisa que não viajará para buscar premiação na Suíça

DSC_0517-600x400Se por um lado alguns gestores fazem festa quando viajam para receber alguma premiação, em Tabira, no Sertão pernambucano, o prefeito Sebastião Dias já avisou que não viajará para buscar uma medalha concedida pela União Brasileira de Divulgação (UBD).

A entrega da Medalha Cidade de Zurique e do Certificado de Qualidade Total Brasil-Suíça é para os prefeitos que foram classificados entre os 100 melhores do Brasil. A entrega da Medalha acontecerá no dia 25 de julho, no Sheraton Surich Hotel, em Zurique, na Suíça. Mas, devido à contenção de gastos que a gestão vem passando o prefeito já antecipou que não se fará presente ao evento. (com informações do Site Nill Júnior).

Anvisa suspende comercialização de produto para tratamento de pele

teosyalA Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou hoje (1º) a suspensão da importação, distribuição, comercialização e do uso de todos os produtos fabricados pela empresa Teoxane, localizada na Suíça. Segundo a Anvisa, foram detectadas irregularidades na inspeção para verificação de boas práticas de fabricação.

A Teoxane é fabricante do produto Teosyal, importado pelo laboratório brasileiro Cristália Produtos Químicos e Farmacêuticos, que deverá promover o recolhimento de todo estoque do produto existente no mercado. A linha de produtos Teosyal é feita à base de ácido hialurônico, utilizado em tratamentos para a pele.

O Cristália informou que “por força contratual, solicitou que a fabricante suíça Teoxane se pronuncie sobre a decisão da Anvisa”. O laboratório disse que o produto Teosyal tem distribuição restrita a clínicas e profissionais de saúde.

Não há relato de questionamento quanto à sua eficácia e segurança através do serviço de atendimento ao consumidor. O laboratório atua de acordo com a legislação brasileira e está tomando as providências regulatórias e legais pertinentes ao caso”, informou a empresa, em nota. Assim como o laboratório Cristália, qualquer outro importador deverá suspender a comercialização dos produtos da Teoxane. A resolução da Anvisa foi publicada no Diário Oficial da União.

Após prisão na Suíça de ex-presidente da CBF, Mundial 2014 no Brasil é investigado pelo FBI

fifa_raids_amar_1Após a prisão de sete dirigentes de confederações mundiais de futebol, na Suíça, nesta quarta-feira (27) – incluindo o da CBF, José Maria Marín – o  diretor do Internal Revenue Service (IRS), espécie de Receita Federal dos Estados Unidos, Richard Weber, resumiu o esquema de corrupção envolvendo Fifa, Conmebol, Concacaf e empresas de marketing esportivo como “Copa do Mundo da fraude” e disse que a Fifa “levou cartão vermelho”.

Em entrevista coletiva nesta quarta, Weber mandou recado aos envolvidos no caso, enquanto a procuradora-geral dos EUA, Loretta Lynch, revelou que o processo de escolha do Brasil como sede do Mundial do ano passado – feita em 2007 – também está sendo investigada, mas não apresentou nenhuma irregularidade até o momento.

Entretanto, segundo a investigação, houve problemas na escolha da sede da Copa de 2010, na África do Sul, na eleição presidencial da Fifa e na venda de direitos da Copa América. De acordo com Lynch, o suposto esquema de corrupção que envolveu dirigentes da Fifa, Conmebol, Concacaf e empresas de marketing esportivo ocorreu “ano após ano, campeonato após campeonato”. Loretta Lynch afirmou que US$ 110 milhões (R$ 349,5 milhões)  foram usados para apenas no esquema envolvendo a Copa América Centenário, que ocorrerá no ano que vem no próprio país.

O esquema envolve altos executivos e outra agências, e milhões de dólares no que diz respeito a pagamento de propinas. Um esquema de corrupção que parece se estender ao longo de décadas, ano após ano, campeonato após campeonato. Em 2016, vamos receber a Copa América e será a primeira vez que ela ocorrerá fora da América do Sul. O que deveria ser uma mostra de amizade entre os países, se tornou um processo que envolveu milhões de dólares”, disse Lynch.

O diretor do FBI, James Comey, deixou claro que a investigação da polícia dos EUA continuará em andamento, avisando que este “é apenas o começo” do esforço contra a corrupção no mundo do futebol.

O futebol é um belo jogo, o gramado está disponível para todos, ricos ou pobres, homens e mulheres. Mas o jogo foi sequestrado. A vítima verdadeira é o futebol. Essas pessoas conseguiram tirar muito dinheiro graças ao amor que esse esporte desperta”, lamentou Comey.

Blatter

Logo após os pronunciamentos de Lynch, Comey e Weber, a primeira pergunta realizada teve como tema uma possível participação do presidente da Fifa, Joseph Blatter, no esquema. Questionada se o suíço já tinha “ficha limpa” comprovada, a procuradora-geral afirmou que não comentaria o assunto ou qualquer pergunta envolvendo nomes específicos. Loretta Lynch garantiu que as investigações não foram conduzidas para que coincidissem com a semana do congresso da Fifa em Zurique para a eleição presidencial, marcado para a próxima sexta-feira.

O próximo passo é que esses réus venham aos EUA para responder ao processo. Pedimos às autoridades suíças o processo de extradição. Ainda queremos prender os acusados que faltam”, completou Lynch. (fonte: Globoesporte.com/foto: Mark Lennihan/AP)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br