Ronaldo Cancão diz que casas no Atrás da Banca chegaram a tremer pela explosão de barraca de fogos

Morador do Bairro Parque Bandeirantes, conhecido historicamente por Atrás da Banca, o vereador Ronaldo Cancão foi um dos primeiros a tomar conhecimento da tragédia com a barraca de fogos de artifício no Centro de Petrolina. Ele contou ao Blog que sua esposa lhe telefonou, bastante aflita.

“Eu moro a uns 50 metros da barraca. Minha esposa me ligou, quase chorando, dizendo que as casas tremeram com a explosão. Tinha pedaço de bomba de bomba dentro da minha residência”, afirmou.

Projeto que proibia dupla função dos motoristas de ônibus já tinha recebido alerta de Cancão

Se tem um vereador na Casa Plínio Amorim que está de consciência tranquila quanto ao veto do Executivo Municipal sobre o projeto de lei de autoria do ex-vereador Geraldo da Acerola (PT), que proibia os motoristas de ônibus a exercer função de cobrador, este é Ronaldo Cancão (PTB). Mesmo tendo votado favorável ao projeto, que foi aprovado na legislatura passada, Cancão reforçou ao Blog que na época já havia alertado o colega para a inconstitucionalidade do projeto.

E elencou as razões. Uma delas refere-se à Lei Orgânica do Município, pela qual o artigo 40 define que “compete privativamente ao prefeito a iniciativa de projetos que disponham sobre organização administrativa, matéria tributária e orçamentária, serviços públicos e pessoais da administração (parágrafo IV)”. A dupla função dos motoristas se enquadra nesse quesito.

Além do mais, a Casa já havia aprovado a transformação da antiga EPTTC em autarquia (AMMPLA), que é a responsável pelo setor do transporte coletivo da cidade. Cancão lembrou ainda que a matéria tramita há 11 anos no Congresso, sem falar que o Supremo Tribunal Federal (STF) ratificou a decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST) quanto à legalidade da dupla função.

O veto, enviado pela Procuradoria Geral do município à Casa, foi aprovado por 17 votos contra 4, fazendo o atual prefeito Miguel Coelho (PSB) obter uma vitória significativa na Casa. Mas Cancão deixa claro: “o veto não foi do prefeito Miguel, e sim do antecessor dele, Julio Lossio (PMDB)”.       

Reunião inicia debate sobre mudanças no Regimento Interno da Câmara e Lei Orgânica de Petrolina

Uma reunião marcada para as 14h desta segunda, 5, na Câmara de Petrolina, solicitada pelo vereador Ronaldo Cancão (PTB), membro da Comissão de Justiça e Redação, deverá contar com a presença de todos os vereadores . O objetivo é dá início às discussões para a modernização do Regimento Interno da Casa e da Lei Orgânica de Petrolina.

Segundo Cancão, o tema já estava “passando da hora” de ser colocado em pauta. Mas agora, com o apoio e decisão do presidente da Câmara Municipal, vereador Osório Siqueira (PSB), as mudanças do Regimento e da Lei Orgânica estarão na ordem do dia do Legislativo petrolinense.

São leis já ultrapassadas com no mínimo 30 anos do tempo para a sua atualização. Isso é o que vamos iniciar a partir de segunda“, comentou Cancão.

Vereadores terão primeira reunião sobre mudanças no Regimento Interno e na Lei Orgânica de Petrolina

Uma reunião na próxima segunda-feira, 5/06, na Câmara de Petrolina, dará o pontapé inicial quanto à discussão dos vereadores sobre as alterações no Regimento Interno do Legislativo Municipal e na Lei Orgânica do município. O encontro acontece das 14h às 18h.

O vereador Ronaldo Cancão (PTB), que integra a Comissão de Justiça e Redação da Casa Plínio Amorim, tem trabalhado nessa pauta desde o começo da atual legislatura. Na semana passada, o petebista esteve visitando os Legislativos de Salvador e de Feira de Santana, na Bahia, para que iniciativa positiva das duas Casas baianas possam ser aproveitadas na pauta das modificações que ocorrerão em Petrolina. Ele preparou um relatório do intercâmbio para apresentar na reunião de segunda-feira aos colegas.

“A Comissão de grande importância da Câmara é a de Justiça e Redação, da qual eu faço parte. Já observamos que 60% da Lei Orgânica do município e do nosso regimento estão ultrapassados, por isso iremos iniciar o debate sobre as alterações. São leis, regras com mais de 30 anos que já deviam ter sido atualizadas” , registrou Cancão.

No intercâmbio que fez aos Legislativos baianos, o vereador aponta o investimento em tecnologia como a principal diferença e frisa que Petrolina precisa evoluir neste quesito.

“Petrolina está no nível de cidades de porte médio, mas estamos muito aquém em tecnologia. Precisamos avançar, modernizar, dispor de serviços de ponta de internet. Por isso vamos iniciar a discussão dessa nova proposta com os colegas para preparar esse relatório com as alterações que devem ser feitas no regimento e na lei orgânica“, concluiu Cancão.

Vereador Gabriel desiste de processar Cancão por denúncia, mas apresenta documentação à Mesa Diretora

O vereador Gabriel Menezes (PSL), que integra a bancada de oposição na Casa Plínio Amorim, disse a este Blog que foi demovido da ideia de processar seu colega de Legislativo, Ronaldo Cancão (PTB). O governista acusou Gabriel, numa das sessões plenárias na Casa, de “usurpar o patrimônio público” de Petrolina para fazer sua campanha no ano passado.

Seguindo orientações do setor jurídico, o oposicionista frisou que sua decisão poderia esbarrar na imunidade parlamentar do seu colega. Mesmo assim, Gabriel fez questão de apresentar à Mesa Diretora da Casa o contrato referente ao show do cantor Mano Walter, no dia 3 de setembro de 2016, na comunidade rural de Muquém – do qual Cancão denunciou o vereador.

Gabriel, que é radialista profissional e também tem experiência em apresentar eventos festivos, assegurou que foi a prefeitura (na época, sob a gestão de Julio Lossio) quem fez o contrato, e não ele. “A ele (Cancão) cabe o ônus da prova, já que foi ele quem me acusou de usurpar o patrimônio”, declarou.

Atraso em pagamento de ‘sementeiras’ gera discussão na Casa Plínio Amorim; prefeitura esclarece

Um dos integrantes da bancada de oposição na Casa Plínio Amorim, o vereador Domingos de Cristália (PSL) criticou ontem (11) um suposto atraso no pagamento dos salários das ‘sementeiras’ – as funcionárias que trabalham nas creches do Nova Semente em Petrolina. Num tom duro, Domingos afirmou que essa “não era a realidade” do programa na gestão passada, do ex-prefeito Julio Lossio (PMDB), que sempre pagou em dia as sementeiras.

Mas o governista Ronaldo Cancão (PTB) não gostou e revidou o comentário. Embora tivesse admitido o atraso, Cancão atribuiu os problemas enfrentados pela atual gestão à “herança maldita” do governo anterior. “Não está sendo fácil ter de pagar mais de R$ 150 milhões de dívidas, e ainda ter de administrar o município”, alfinetou.

A Prefeitura de Petrolina, por sua vez, justificou que o atraso só foi apenas de dois a mais do prazo legal de pagamento. De acordo com a administração, o dinheiro já está na conta e até o final do dia de hoje (12) as sementeiras receberão seus salários. O responsável pelo pagamento das funcionários é o Petrape, a exemplo da gestão passada.

Ruy Wanderley critica Cancão, que rebate: “Retrógrado”

A sessão desta terça, 9, vivenciou mais um capítulo da celeuma da entrega do relatório das audiências públicas sobre segurança, de autoria do vereador Ronaldo Cancão (PTB). Ao se defender da nota da oposição que atribuiu a ele a prática de um ‘parlamentarismo individualista’ na Câmara Municipal de Petrolina, Cancão aproveitou também para responder ao líder de sua bancada, Ruy Wanderley (PSC), o qual tinha registrado que não foi correta a atitude do petebista, mesmo por uma boa causa, num típico comportamento de ‘fogo amigo’.

(mais…)

Ronaldo Cancão lamenta nota que o tachou de fazer ‘parlamentarismo individualista’

Muito “chateado e injustiçado”. É assim que se sente o vereador Ronaldo Cancão (PTB) após a divulgação de uma nota da oposição, que o tachou de praticar um ‘parlamentarismo individualista’. Segundo o texto, o petebista teria ido sozinho ao governador Paulo Câmara (PSB) entregar o relatório das audiências que ele promoveu sobre segurança pública nos Bairros Dom Avelar, zona norte de Petrolina, e São Gonçalo, na zona oeste. A nota informou que teria ficado acertado que uma comissão da Câmara entregaria o documento oficial, apontando caminhos que resolvessem problemas que afligem o petrolinense no tocante à segurança pública do município.

Cancão discordou dos colegas e se defendeu. “Primeiro porque, por direito, poderia entregar o relatório, afinal fui autor das audiências, mas tinha tentado agendar essa audiência há 15 dias para ir com a comissão da Câmara. Na quinta recebi um telefonema do Palácio, pedindo para eu entrar em contato com a assessoria do governo no interior, pois talvez o governador receberia a gente na sexta, 5, na visita a Ouricuri. Me confirmaram a agenda somente às 10h da sexta. Pedi para o pessoal da Câmara acelerar o documento que seria entregue, porque o governador iria atender por volta das 16h30”, relatou.

Com o sinal positivo da audiência em Ouricuri com Paulo Câmara, Ronaldo então procurou alguns colegas para ir com ele. “Fui aos gabinetes de Rodrigo Araújo, Ronaldo Silva, falei com Manoel da Acosap e com o vereador Gaturiano Cigano, mas os que falei disseram que não poderiam ir. Ainda passei no gabinete do vereador Gilmar e entreguei uma cópia da pauta que despacharia com o governador”, frisou o petebista. “Fui entregar o documento diante da urgência do tema. Todos me conhecem. Sabem que não sou assim. Vou levantar o assunto, sim, na reunião desta terça, 9. Preciso colocar minha versão”, antecipou.

Pauta

Onze pontos foram levantados nas audiências públicas e apontados como prioritários para amenizar os problemas com a falta de segurança na maior cidade do Sertão pernambucano. Itens como aumento de efetivo, que hoje ainda é de 15 anos atrás, sem que isso atinja os militares que estão perto de se aposentar; reforço da Polícia Civil para que a PM não perca tempo para emitir um TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência), retorno de policiamento noturno nas comunidades do interior e a implantação de um batalhão especializado estão entre as demandas.

Oposicionistas criticam Cancão por entregar relatórios da violência a governador, sem consultar colegas: “Parlamentarismo individualista”

A bancada de oposição na Casa Plínio Amorim não gostou nem um pouco da atitude do vereador governista Ronaldo Cancão (PTB), que na última sexta-feira (5) entregou ao governador de Pernambuco Paulo Câmara (PSB), em Ouricuri, no Sertão do Araripe, dois relatórios sobre audiências públicas em Petrolina que abordaram a problemática da violência. Segundo os oposicionistas, Cancão pensou apenas em fazer “lobby político” junto ao governador, sem consultar nenhum colega da Casa.

Em nota, a bancada alfinetou duramente o governista. Confiram:

A bancada de oposição da Casa Plínio Amorim vem a público esclarecer que não comunga com a conduta do vereador Ronaldo Souza. O referido edil, no afã de fazer lobby político junto ao Governador Paulo Câmara, usou de um expediente não coletivo quando se trata de parlamentarismo.

Foi pessoalmente, e sem consultar nenhum colega de bancada, nem seu líder, e muito menos a oposição, levar ao governador um relatório que ele produziu “sozinho”, como resultado da audiência pública promovida pela Câmara de Vereadores de Petrolina sobre segurança pública. Um parlamentarismo individualista, que o referido vereador, que se diz sempre ético e comprometido, exercitou, esquecendo que ele mesmo pediu apoio aos colegas da Casa para realizar a audiência, mas não respeitou a discussão parlamentar gerada no evento.

Assim, por entendermos que o relatório não contempla a diversidade de contribuições dos demais vereadores e, portanto, não nos representa, sugerimos ao vereador Ronaldo Souza uma revisão do documento, com democracia, garantindo dessa maneira interesses efetivos do nosso povo, maior interessado na solução dessa problemática.

Bancada de Oposição/Casa Plínio Amorim

(Foto/arquivo Blog)

Vídeo Blog: Cancão entrega nas mãos de Paulo Câmara relatórios sobre segurança pública de Petrolina

Cancão entrega a Paulo Câmara relatórios sobre balanço da violência em Petrolina e ouve promessas

O vereador Ronaldo Cancão (PTB) entregou nas mãos do governador de Pernambuco Paulo Câmara (PSB), durante a mais recente passagem do socialista pelo Sertão do Araripe, na última sexta-feira (5), em Ouricuri, o relatório das audiências públicas sobre a criminalidade em Petrolina. Os dois debates – um realizado no Bairro José e Maria, e o outro no São Gonçalo – foram requeridos por ele.

Segundo Cancão, também foi entregue ao governador uma pauta contendo as reivindicações dos petrolinenses para conter a onda de violência na cidade.

O governador me disse que quando o Seminário ‘Pernambuco em Ação’ for realizado em Petrolina, já chega com novidades referentes à questão de segurança”, afirmou Cancão. O secretário de Defesa Social, Angelo Gioia, que integrou a comitiva de Paulo Câmara ao Sertão, também participou da conversa.

O vereador petrolinense informou aos dois que o comando do 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM) tem feito um bom trabalho, mas a estrutura do órgão não está ajudando a frear a violência no município. “As viaturas estão sendo recolhidas do interior, após as 23h, para a sede. Admitindo essa questão financeira do Estado, também há uma certa limitação no combustível”, frisou. O vereador disse ainda ter solicitado mais câmeras de monitoramento e armamento para a polícia – incluindo uma parte dos 50 fuzis e das 113 novas viaturas adquiridas pelo governo, uma vez que a frota dos veículos na cidade foi reduzida.

Batalhão especializado

Além disso o vereador cobrou a convocação urgente de mais policiais civis, especificamente para a Delegacia do Ouro Preto, devido à demora nas ocorrências feitas pelos policiais rodoviários federais e militares, que chegam a passar mais de uma hora para realizar o Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO). “Enquanto a viatura fica parada todo esse tempo, ela deveria estar guarnecendo a sociedade”, justificou. Outro compromisso de Paulo Câmara com Cancão foi o aumento no quadro do 5º BPM, uma vez que existe a expectativa de que 80 PMs se aposentem este ano. “Tínhamos 500 praças há 18 anos, e Petrolina tinha uma população perto dos 170 mil habitantes. Hoje tem 340 mil e o efetivo da polícia está muito menor”, externou. Cancão também pleiteou a instalação de um batalhão especializado, específico para o município. “Essa foi a nossa conversa. O governador se mostrou sensível, vamos aguardar para que ele possa nos ajudar nessa nossa luta para preservar a vida“, concluiu.

Votação de requerimento acirra debate entre os vereadores Gabriel Menezes e Ronaldo Cancão

Mais uma sessão na Câmara de Vereadores de Petrolina, nesta quinta-feira (4), terminou num debate acirrado. Os protagonistas da vez foram os vereadores Gabriel Menezes (PSL), da bancada de oposição, e Ronaldo Cancão (PTB), do grupo governista. Cancão criticou com veemência um requerimento de Menezes, que pedia informações sobre critérios de autorização para a realização de eventos privados em espaços públicos como o Pátio de Eventos Ana das Carrancas, mantido pela prefeitura municipal. (mais…)

Ronaldo Cancão acredita que cenário de abandono do estádio “será página virada”

Após tomar conhecimento de que o gramado do Estádio Municipal Paulo de Souza Coelho, em Petrolina, estava sendo cuidado por particulares, quando esse papel deveria caber à administração, o vereador Ronaldo Cancão (PTB) se mobilizou junto ao prefeito Miguel Coelho (PSB). E ficou satisfeito.

Ontem (27), depois de ver de perto o cenário de abandono do equipamento, Miguel autorizou a secretária Maria Elena (Cultura Turismo e Esportes) a iniciar até a próxima semana a irrigação do gramado.

O prefeito também garantiu apoio aos dois clubes que participarão da Série A2 do Campeonato Pernambucano. Cancão, que era presidente do 1º de Maio, passou o cargo. Mas garantiu que o ‘Azulino do Atrás da Banca’ disputará a competição, independente disso. Sobre a recuperação do estádio, o governista disse não ter dúvidas que o atual gestor vai resolver a situação. Porém ele deixou claro que quanto à sujeira e outros problemas vistos no estádio, isso já acontece há oito anos (referindo-se à gestão passada). “Lá tem máquinas e canos jogados ao relento. Estádio não é depósito. Tem de recolher esse material para um determinado local e atender aos anseios dos times e dos desportistas”, avaliou. O vereador acredita também que esse atual cenário de abandono do estádio “será página virada“. (Foto/arquivo)

Vereador diz que Miguel Coelho terá que rever áreas doadas em troca de extinção do Ceape

A polêmica desativação do Ceape, antigo centro de abastecimento de Petrolina, continua rendendo assunto para o vereador governista Ronaldo Cancão (PTB). Agora ele revela que o prefeito Miguel Coelho (PSB) terá que rever o processo de doação de terrenos ocorrido na gestão passada, em troca do extinção do equipamento.

Segundo o petebista, cerca de 40 permissionários não receberam esses terrenos e reclamam na justiça o cumprimento da lei votada na Câmara para a desativação do Ceape. Cancão fez questão de lembrar que votou contra a matéria ocorrida na legislatura passada.

“Quero a reversão de área, a relação dos contemplados e quem vendeu as áreas que a lei de desativação do espaço não permitia. Todas as doações foram feitas na gestão passada e vêm ocorrendo essas irregularidades. Permissionários que têm direito à área e que não foram contemplados. Todos estão com ação na justiça e o prefeito terá que rever os terrenos de quem cometeu irregularidades nesse processo, caso contrário irei procurar o Ministério Público”, alertou Cancão.

Ronaldo Cancão manda Julio Lossio Filho “se recolher” e deixar Miguel Coelho governar

O vereador governista Ronaldo Cancão (PTB) é conhecido por não deixar nenhum questionamento sem resposta. E ele mandou um duro recado ao presidente do PMDB jovem, Julio Lossio Filho, que esteve na Câmara de Petrolina nesta quinta, 20, atendendo a convites de correligionários na Casa. O estudante de Direito é filho do ex-prefeito Julio Lossio.

Ao ser perguntado sobre o que ele achava da citação de ‘Julinho’ – como o estudante é conhecido – de que o grupo estaria pronto para voltar em 2020, citando “erros” da atual gestão, Cancão não deixou por menos e mandou o filho de Lossio “se recolher”,  porque é assim que age quem é derrotado.

“O papel de quem é derrotado é o recolhimento e procurar ajudar se for necessário. Quando perdemos, fomos para o recolhimento, e o prefeito administrou a cidade. Não ficamos chorando o leite derramado”, declarou.

“Herança maldita”

Cancão disse que Julinho só esqueceu de dizer que o município foi entregue com muitos problemas e dívidas. Ele pediu para deixar o atual prefeito Miguel Coelho (PSB) governar, porque a cidade precisa. “Ele esqueceu de dizer que Miguel recebeu uma dívida maldita de mais de R$ 150 milhões. Só na educação foram R$ 19 milhões. Sem efetuar o pagamento do fardamento do Nova Semente de 2016, bolsas dos agentes de saúde, R$ 645 mil que a empresa está cobrando”, listou o vereador petebista.

O governista lembrou ainda que quando Lossio assumiu o primeiro mandato, em 2009, o hoje senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) tinha sido derrotado e liberou R$ 1 milhão para serviços de macrodrenagem na cidade. “Então é preciso ter uma certa cautela em determinada posição. Deixem o jovem Miguel Coelho governar. É muito cedo para fazer qualquer tipo de avaliação. Quem está na política e que tem um resultado adverso, o caminho é se recolher”, reforçou.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br