Petrolina lança projeto Orla Nossa de preservação do Rio São Francisco

O prefeito Miguel Coelho (PSB) acompanha, nesta segunda-feira (20), às 10h, o lançamento do projeto Orla Nossa. A iniciativa agrega uma série de atividades para preservar o Rio São Francisco e envolver a população na defesa do maior patrimônio natural do Vale.

A primeira etapa do projeto foi destinada a estudos técnicos sobre a situação da orla fluvial. Agora, as equipes da Prefeitura irão retirar baronesas e lixo nas margens do Velho Chico. Também será realizada, em parceria com a Compesa, uma operação para identificar ligações clandestinas e fechar tubulações que despejam esgoto no rio.

O projeto Orla Nossa é uma iniciativa da Prefeitura de Petrolina coordenada pela Agência Municipal de Meio Ambiente (AMMA). O trabalho envolve diversas secretarias, Governo do Estado e IF Sertão na defesa do Rio São Francisco. (Foto: Ascom)

Vereador Aero Cruz acompanha equipes da Prefeitura em limpeza de baronesas no Rio São Francisco

A Prefeitura de Petrolina iniciou nesta sexta-feira, 17, a limpeza das baronesas do Rio São Francisco. Quem acompanhou o serviço de perto, no início da tarde foi o vereador Aero Cruz (PSB). O trabalho vem sendo desempenhado pela secretaria de Habitação e Infraestrutura e pela Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA). Aero que é um ribeirinho apaixonado pelo Velho Chico, elogiou a postura do prefeito Miguel Coelho (PSB) em olhar para uma ação tão importante como é a proteção do rio.

“Como um petrolinense nascido e criado na beira do rio, fico feliz em ver que o prefeito Miguel tem a preocupação em cuidar e proteger o nosso Rio São Francisco. Agora vamos atuar firme junto ao prefeito para que as obras de saneamento compartilhadas entre a Prefeitura e a Compesa, sejam concluídas o quanto antes para que os esgotos deixem de ser uma realidade dura e cruel nesse que é o nosso maior patrimônio”, concluiu Aero Cruz.

Adolescente grávida morre afogada em ‘prainha’ na Orla de Juazeiro

Mais um afogamento foi registrado no Rio São Francisco, mais precisamente na área conhecida como ‘prainha’, atrás da Agência Fluvial de Juazeiro (BA). O fato aconteceu na tarde de ontem (12). Larissa Carvalho, de 17 anos, foi a vítima.

Segundo informações, ela estava grávida e teria tentado salvar uma outra garota. A outra jovem sobreviveu, mas Larissa não resistiu, mesmo tendo sido socorrida.

Várias tragédias semelhantes já ocorreram no mesmo local. As autoridades continuam afirmando que a área não é apropriado para banho, pois a correnteza é forte e existem muitas pedras. (foto/reprodução Facebook)

Pela terceira vez, professor promoverá aula de spinning dentro de barca no Rio São Francisco

O professor de Educação Física, Yuri Barcelona, levará pela terceira vez, um aulão da modalidade spinning para Barca Nina num passeio pelo Rio São Francisco. O evento ‘Bike Velho Chico’, que acontecerá no próximo dia 25 de março, alia atividade física, lazer, tour contemplativo e ainda ajudará uma instituição filantrópica.

Também serão ministradas aulas de swing baiano e street dance com os professores Peu Show e Thiago Saader. Pelo valor de R$ 60 e 1 kg de alimento não perecível os participantes terão direito a camisa, buffet e brindes. O evento acontecerá das 15h às 18h. A barca saíra da Orla I de Juazeiro (BA).

O objetivo do evento, além de ajudar uma instituição, é mostrar as belezas do Rio, bem como a importância do spinning e seus benefícios para a saúde”, comentou Yuri.

Os interessados podem se inscrever na Academia New Body, localizada na Rua Lucas Roberto de Araujo, Cidade Universitária, em Petrolina. Outras informações podem ser obtidas através do telefone (87) 3866-0526. Vale frisar que a camisa será entregue no dia 24, um dia antes do Bike Velho Chico.

Secretário de Meio Ambiente de Juazeiro participa em Floresta de reunião da Câmara Consultiva Regional do Rio São Francisco

Na última quinta-feira (9), o Secretário de Meio Ambiente e Ordenamento Urbano de Juazeiro-BA (Semaurb), Agenor Souza participou do encontro da Câmara Consultiva Regional do Submédio do São Francisco (CCRSMSF) que aconteceu na cidade de Floresta (PE), no Sertão de Itaparica.

O encontro aconteceu na Câmara Municipal de Vereadores e foi liderada pelo Coordenador da CCRSMSF e reitor da Univasf, Julianeli Tolentino de Lima. O encontro teve inicio com a leitura e aprovação da ata da última reunião ocorrida em novembro do ano passado. Logo em seguida iniciaram-se as apresentações de projetos e avaliações. Foi apresentado e aprovado o Projeto Hidroambiental (adutora) da comunidade Serrote dos Campos (povo Pankará) do município de Itacuruba, também no Sertão de Itaparica.

Como membro do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), Agenor Souza esteve junto dos demais membros discutindo projetos e orçamentos para ajudar a desenvolver as comunidades que estão no entorno do nosso velho Chico e como manter preservado o meio ambiente.

Foi uma boa a reunião. Serviu para orientar os membros do comitê, agora com a gestão de Julianeli que junto com os membros estão tornando uma CCR mais presente nas cidades ribeirinhas do Rio São Francisco para levar ao conhecimento de todos os trabalhos desenvolvidos pela equipe em prol do nosso maior patrimônio, o Velho Chico“, colocou Agenor Souza.

Abrangência

A atuação da CCR do Submédio São Francisco abrange desde o município de Remanso, às margens do lago de Sobradinho, até a usina de Paulo Afonso, na Bahia. A região integra 25 municípios da Bahia e 59 municípios de Pernambuco. A Câmara atua como interlocutora das comunidades regionais no encaminhamento de demandas ao Comitê, um exemplo disso são  os projetos de recuperação hidroambiental em execução no Submédio São Francisco, destinados a revitalizar os afluentes, a fim de conter o processo de diminuição progressiva da vazão natural do rio e melhorar a qualidade de suas águas. (foto/divulgação)

Transposição do Rio São Francisco poderá virar elefante branco

Objeto de estudo de vários governos desde o final do século 19, o projeto de desvio das águas do Rio São Francisco (transposição) em direção ao semiárido nordestino só saiu do papel em 2007, no governo de Luiz Inácio Lula da Silva. Passados dez anos de obras, a transposição está prestes a ser concluída — ao custo de R$ 9,6 bilhões, mais que o dobro do orçamento traçado, e sob denúncias de corrupção.

São 2.800 quilômetros de extensão ao longo de cinco estados, de Minas Gerais a Alagoas, o São Francisco detém 70% da oferta hídrica do Nordeste — que, por sua vez, guarda apenas 3% da reserva de água doce do país.

A transposição trata-se da maior obra de infraestrutura hídrica do Brasil. Dividida em dois longos canais, a transposição levará 1,4% da vazão do rio São Francisco, partindo de Pernambuco, a rios não perenes e a 27 reservatórios de Paraíba, Ceará, Rio Grande do Norte e também Pernambuco. Na cidade de Monteiro, na Paraíba, ponto final do chamado Eixo Leste da transposição, a água chegará até o começo de março. (mais…)

Com fim da piracema, uso da rede de pesca no Rio São Francisco é liberado

A piracema, período de reprodução dos peixes, terminou no domingo (28). Com isso os pescadores, que ficaram restritos à pesca com redes desde novembro passado, poderão se utilizar novamente da prática.

Em Petrolina (PE) e Juazeiro (BA), durante esse período os profissionais recebem um seguro-desemprego do governo federal para compensar os meses em que não poderão exercer a atividade no Rio São Francisco.

Nas duas cidades, os pescadores já revisam os barcos e redes para voltar à rotina de trabalho nas águas do Velho Chico.

Prefeitura e entidade empresarial discutem propostas para o meio ambiente em Petrolina

Coleta seletiva do lixo, poluição do Rio São Francisco, arborização da cidade e licenças ambientais. Esses foram alguns dos temas discutidos, ontem (21), durante o encontro ‘Diálogo com os Poderes Públicos em Petrolina’, realizado pela Unidade Regional da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe), com a participação do diretor-presidente da Agência Municipal do Meio Ambiente  (AMMA), Rafael Oliveira.

Depois de ouvir, na semana passada, o secretário de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade de Petrolina, Eduardo Carvalho, os conselheiros da URSF/Fiepe discutiram com o presidente da AMMA propostas como a retirada dos lançamentos de esgoto in natura no Rio São Francisco e a recuperação da mata ciliar.

Para o diretor da Unidade Regional do Sertão do São Francisco da Fiepe, Albânio Nascimento, adotar como meta o saneamento básico e água potável para 100% da população é outro compromisso que a atual gestão municipal precisa incorporar ao seu calendário de metas.

Em resposta aos pedidos da Fiepe, Rafael Oliveira adiantou que a Prefeitura de Petrolina já começou um projeto visando à despoluição da orla do município e ponderou que algumas outras ações cobram a desburocratização dos processos, mudanças nas leis municipais, além da atualização do código florestal.

Intercâmbio

Ao final da reunião, que contou ainda com a presença da diretora de Licenciamento Ambiental do município, Wyara Valença, ficou acertado um maior intercâmbio entre a Fiepe e a AMMA com a inclusão de dois representantes da Fiepe no Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Condema). Também foram propostos a criação de um Cadastro de Empreendimento e de uma agenda propositiva, além da implantação de um processo digital para aprovação com maior agilidade das licenças ambientais. (fonte/foto: CLAS Comunicação)

Prazo para contribuir com tarifa da Transposição do São Francisco termina dia 26 de fevereiro

A Agência Nacional de Águas (ANA) promoverá audiência pública não presencial para obter contribuições para a formulação da metodologia de cálculo da tarifa que será cobrada pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf) pela prestação dos serviços de operação do Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional (PISF). Os interessados poderão enviar suas sugestões até às 18h do dia 26 de fevereiro, via correio (Setor Policial, Área 5, Quadra 3, Bloco T, Brasília-DF, CEP: 70.610-200), por meio eletrônico (e-Protocolo), diretamente no Protocolo da ANA, ou pelo site http://audienciapublica.ana.gov.br/. (mais…)

Comitê incia debate da nova metodologia de cobrança da água bruta do São Francisco

A minuta da nova metodologia a ser aplicada na cobrança pelo uso da água bruta do Rio São Francisco e o planejamento de sua apresentação e discussão entre os representantes dos diversos segmentos de usuários dessa água foi o ponto de pauta dominante da primeira reunião da nova Câmara Técnica de Outorga e Cobrança (CTOC) do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF).

A reunião com os integrantes da nova CTOC foi realizada na cidade de Maceió (Alagoas), no início desse mês de fevereiro. O tema da atualização da cobrança e sua nova metodologia foi introduzido por técnicos da empresa Gama Engenharia, após meses de pesquisa, trabalho de campo, entrevistas e compilação de dados.

Presente à reunião, o presidente do CBHSF, Anivaldo Miranda, destacou a qualidade do trabalho realizado e sua utilidade “como plataforma sólida capaz de animar uma discussão mais objetiva e criativa na definição do modelo atualizado e sustentável de cobrança na calha do Rio São Francisco, através da introdução de parâmetros que estimulem o uso de tecnologias e práticas mais avançadas para o uso racional dos recursos hídricos”.

A reunião foi marcada por uma intensa discussão na qual os porta vozes dos diferentes segmentos de usuários explicitaram observações críticas, concordâncias e, em alguns pontos, opiniões convergentes ou conflitantes sobre o conteúdo da nova metodologia, elogiando, no entanto, a abrangência e profundidade do trabalho realizado.

Consultas

Como desdobramento prático do debate, foi aberto um período de consultas durante o qual a CTOC poderá receber contribuições dos membros da Câmara e do Comitê, até que nova reunião – a ser realizada no início do mês de abril – possa definir a minuta final da metodologia a ser apresentada à Diretoria Colegiada do CBHSF. Completando a pauta da primeira reunião da CTOC, a situação atual do Cadastro de Usuários da Água do Rio São Francisco foi objeto de uma primeira abordagem para os novos integrantes da CTOC. Nesse sentido a necessidade de uma ampla atualização desse cadastro foi unanimemente apontada como uma das tarefas do CBHSF para o ano de 2017. (foto/divulgação)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br