Dormentes: Paciente do Centro de Oncologia realiza missa e consegue arrecadar quase R$ 8 mil para Hospital Dom Tomás em Petrolina

Uma paciente da zona rural de Dormentes (PE), Sertão do São Francisco, que passa por tratamento no Centro de Oncologia (Ceonco)/Dr.Muccini, teve a ideia de realizar uma missa em sua residência e conseguiu arrecadar, com o ofertório dos fiéis, a quantia de R$ 7.700,00. A celebração foi realizada ontem (18).

Marleide Rodrigues Coelho foi a responsável pela iniciativa. A quantia do ofertório será doada ao Hospital Dom Tomás (DHT), que está em construção em Petrolina. Vale frisar que o HDT continua recebendo doações, que podem ser feitas por meio do seguinte depósito: Banco do Brasil/Agência: 0963-6/Conta: 1010-3.

Paciente do HDM/Imip aguarda parto desde sábado; hospital informa que procedimento já foi encaminhado

A adolescente de 16 anos, Israiana Santos, moradora do Residencial Vivendas, zona leste de Petrolina está desde sábado, 18, no Hospital Dom Malam / IMIP sem se alimentar e correndo risco, pois estaria até esta terça-feira, 21, sem encaminhamento para o parto, segundo nota enviada a nossa redação.

A nota diz ainda que ela deu entrada na unidade perdendo o liquido amniótico, desde então médicos e enfermeiras tentam induzir o parto normal, sendo que ela não tem dilatação. Israiana já está com sangue na urina sentindo muitas dores, conforme as informações e dizem que os médicos não querem fazer cesariana.

A assessoria de comunicação do HDM/Imip enviou nota ao Blog e diz que a paciente está sendo assistida. O comunicado nega que Israiana esteja perdendo líquido amniótico, com pressão arterial agora controlada, mas quando deu entrada na unidade sábado, estava com quadro de pressão gestacional alterada. Ainda nesta segunda, 20, foi realizada uma ultrassonografia que apontaram que a saúde do bebê está bem.

Diante do quadro de uma gravidez já de 40 semanas e por questão da pressão arterial, a nota aponta que a equipe de obstétrica do HDM resolveu induzir o parto, devido o risco de hipertensão. Como não houve evolução, a paciente foi encaminhada para a cesariana. O hospital informa ainda que a dieta zero só foi iniciada após a indicação do parto cesáreo, sendo esse o indicativo normal do procedimento.

Familiares de gestante reclamam de demora no atendimento antes do parto no HDM/Imip, mas unidade esclarece

A demora no atendimento e a falta de respostas no Hospital Dom Malan (HDM)/Imip, em Petrolina, deixaram os familiares da gestante Luzirene Gomes de Alencar aborrecidos. Eles procuraram a reportagem este Blog para denunciar o fato e afirmaram que a paciente está no local desde a quarta-feira (1º), quando chegou à unidade já com a bolsa estourada.

Segundo os familiares da gestante, ela não está sentindo dores, mas precisa fazer uma ultrassonografia, algo que o HDM não estaria querendo realizar. Os familiares alegam, ainda, que foram impedidos de ficar com Luzirene, pois a sala de triagem não seria apropriada. “Querem induzir o parto dela, sendo que há mais de 24 horas ela vem perdendo líquido”, relataram.

Em nota enviada pela assessoria, o HDM informou que “a paciente Luzirene Gomes de Alencar realizou a ultrassonografia hoje (2), por volta do meio dia, e o exame mostrou que mãe e bebê passam bem“.

Ainda na nota, “a equipe ginecológica/obstétrica ressalta que a indução do parto é a conduta médica correta para o caso, visto que a ruptura da bolsa amniótica não é indicação para cesárea. A unidade materno/infantil segue com a paciente o protocolo do serviço, que é orientado pelo Ministério da Saúde.

O HDM nega que a pacientes esteja desassistida. “No momento, a paciente está sendo assistida pela equipe multiprofissional do Dom Malan e aguarda uma vaga na sala de parto”, finaliza.

Campanha busca doadores de sangue para mulher internada em hospital de Juazeiro

doação de sangueFamiliares de uma paciente internada num hospital particular de Juazeiro (BA) estão realizando uma campanha nas redes sociais e pedem a colaboração de doadores de qualquer tipo de sangue, até a próxima quinta-feira (29). Os doadores podem se dirigir ao Hemoba, localizado anexo ao Hospital Regional (HRJ), no bairro Santo Antonio, e realizar a doação em nome de Elizângela Vasconcelos Rodrigues Santos.

Qualquer pessoa em boas condições de saúde, apresentando documento oficial com foto, e com idade entre 16 (acompanhada dos pais ou responsáveis legais) e 69 podem doar. Antes do procedimento, o candidato preenche um cadastro e depois é avaliado clinicamente. Se não houver nenhum impedimento clínico, a coleta é realizada logo em seguida. Quem deseja outras informações pode ligar para a unidade através do número (74) 3611-7532.

Irmão de paciente com doença misteriosa faz apelo por cirurgia urgente no HRJ

hrj2(1)A paciente Maria Aparecida Araújo Gonçalves vive momentos de angústia diante de uma doença misteriosa que até agora permanece sem diagnóstico. Segundo familiares, ela já passou por vários médicos de Petrolina, mas a paciente permanece internada no Hospital Regional de Juazeiro (HRJ) há quase 30 dias sem descobrir, de fato, quais as causas de sua doença.

Alguns profissionais chegaram a afirmar que a paciente estaria com câncer, mas o diagnóstico foi descartado. De acordo com a família, Maria apresenta uma obstrução no intestino, como o que causa rejeição dos alimentos pelo organismo. A paciente já perdeu mais de 15 kg e, consequentemente, resistência ao longo tratamento que enfrenta há três meses.

Desesperado, o irmão da paciente, Charles Araújo, faz um apelo às autoridades para que Maria Aparecida possa passar por uma cirurgia de emergência na tentativa de salvar a vida da irmã. “A médica responsável pelo setor, Dra. Jamily, está agido de uma forma muito humana, tentando salvar a vida de minha irmã, mas o Hospital de Juazeiro não disponibiliza de uma equipe especializada e a sugestão é de uma cirurgia urgente”, relata. Não bastasse a dor da doença, a paciente também enfrenta a crise no hospital, já que funcionários e médicos dos setores de ambulatório e emergência estão em greve por falta de pagamento.

Família faz apelo por transferência de paciente internada há cinco dias na UPA de Juazeiro

Familiares de uma paciente internada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Juazeiro (BA) clamam às autoridades para que seja viabilizada a transferência da mulher para o Hospital Universitário (HU) em Petrolina.

Segundo informações encaminhadas ao WhatsApp do Blog, Joana D’arc, que foi internada no último domingo (3), sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e está “vegetando” à espera da transferência para o HU, mas o hospital não teria vaga à disposição.

Os familiares disseram que a paciente não se comunica e está se alimentando somente através de sonda. O apelo dos familiares é para que as Secretarias de Saúde dos dois municípios intercedam e consigam uma vaga para internação da paciente, que precisa de uma cirurgia urgente. Com a palavra, as autoridades. (foto/divulgação)

Paciente espera por cirurgia há 14 dias internado em corredor do HU

2016-06-07-PHOTO-00000019

Mais um paciente de Petrolina sofre com a dura espera por um procedimento médico no Hospital Universitário (HU). Desta vez, o drama atinge o comunitário Elijiano do Nascimento, que permanece internado no corredor do hospital há 14 dias.

(mais…)

Em nota, HU garante que paciente que aguarda por cirurgia no corredor da unidade está recebendo atendimento diariamente

A assessoria de comunicação do Hospital Universitário (HU) de Petrolina enviou nota para esclarecer o caso de um paciente que está internado no corredor da unidade de saúde há seis dias, aguardando por uma cirurgia na mão. O fato foi divulgado ontem (1º/06) em matéria veiculada por este Blog. De acordo com a nota, Oriosvaldo de Souza Dias já passou por uma cirurgia buco maxilo. Agora, o paciente aguarda na fila para a realização da cirurgia ortopédica, enquanto recebe diariamente o atendimento das equipes de enfermagem e médica do hospital.

Acompanhe a nota na íntegra:

O Hospital Universitário da Universidade Federal do Vale do São Francisco (HU-Univasf) recebeu o paciente, Oriosvaldo de Souza Dias, no dia 27 de maio. O paciente passou por atendimento médico e realizou um exame de Raio X, onde foi detectada a necessidade da realização de dois procedimentos cirúrgicos de baixa complexidade na mandíbula e na mão.

No início da tarde de ontem, dia 01 de junho, foi realizado a cirurgia buco maxilo. Agora, o paciente aguarda na fila para a realização da cirurgia ortopédica, enquanto recebe diariamente o atendimento das equipes de enfermagem e médica do hospital.

É importante ressaltar que o HU-Univasf recebe uma grande demanda por atendimentos, já que mais de 50 municípios dos estados da Bahia e Pernambuco encaminham pacientes para o hospital. Apenas nos 4 primeiros meses deste ano de 2016, o hospital realizou 1.314 cirurgias de diversas especialidades como ortopédica, neurológica, vascular, entre outras.

Ascom/HU

Em nota, HU rebate mãe de paciente picado por escorpião

Em nota enviada ao Blog, o Hospital Universitário (HU) de Petrolina informou que o atendimento a um paciente picado por um escorpião não foi concluído com a “brevidade esperada” pela mãe do mesmo. A comunitária Edicleide Barbosa entrou em contato com este Blog para informar que foi à unidade em busca de ajuda para seu filho, mas voltou para casa sem conseguir atendimento e o soro necessário. Na nota, o HU atribui o ocorrido à grande demanda de pacientes no setor de emergência.

Acompanhem a nota, na íntegra:

Em reposta ao questionamento do Blog do Carlos Britto, feito através de contato telefônico realizado em 30 de maio de 2016, o Hospital Universitário da Universidade Federal do Vale do São Francisco (HU-Univasf) informa que o referido paciente deu entrada no último sábado (28), onde passou pela avaliação da equipe de acolhimento, formada por profissionais de saúde, aguardando, em seguida, atendimento médico.

Contudo, considerando a grande quantidade de entradas de pacientes no setor de emergência – 122 atendimentos durante todo o dia, sendo 39 somente no período noturno (horário em que o paciente procurou o hospital) -, não foi possível concluir o atendimento com a brevidade esperada pelo paciente.

Ressaltamos que o HU-Univasf é o único hospital de referência para diversas especialidades médicas, atendendo a mais de 50 municípios dos estados de Pernambuco e da Bahia. Essa característica gera uma grande demanda que, por vezes, acaba por inviabilizar a celeridade no processo de atendimento.

Ascom/ HU

Juazeiro confirma1º caso de H1N1; paciente segue internada na cidade

hrj2(1)A Secretaria Municipal de Saúde confirmou o primeiro caso de gripe H1N1 neste ano, em Juazeiro (BA). A paciente diagnosticada com a doença segue internada no Hospital Regional (HRJ/Imip) onde recebe atendimento.

No último mês, Sônia Regina, de 52 anos, morreu no mesmo hospital com suspeita da doença, mas até o momento a Secretaria não confirmou se a mulher também foi vítima de H1N1. O caso continua sendo investigado.

 

Ambulância capota e mata paciente e enfermeira na BR-428 em Petrolina

acidente ambulancia petrolina

Um paciente e uma enfermeira morreram após a ambulância em que vinham capotar na BR-428, próximo ao N-10 do Perímetro Irrigado Senador Nilo Coelho, zona rural de Petrolina, no final da noite de ontem (31). A ambulância tinha se deslocado da cidade de Ouricuri (PE), no Sertão do Araripe.

Segundo informações, o motorista teria perdido o controle do veiculo devido à quantidade de água na pista. O paciente, Pedro Pereira da Silva, 76 anos, e a enfermeira, Perpétua Rodrigues da Paixão, de 49,  morreram na hora.

Além dos dois óbitos, outras três pessoas estavam na ambulância – o condutor, um médico e um filho do paciente morto. Todos foram socorridos ao Hospital Universitário (HU), mas ainda não sabe o estado de saúde dos mesmos. (foto/reprodução WhatsApp).

Utilidade pública: Serviço Social do HU procura familiares de paciente não identificado

TraumasO Serviço Social do Hospital Universitário (HU) em Petrolina (PE) procura por parentes ou amigos de um paciente do sexo masculino, não identificado, internado na unidade desde o último dia 19 de dezembro.

Segundo a direção, o paciente aparenta ter aproximadamente 28 anos e reúne as seguintes características: negro; cabelos crespos castanho-escuros; olhos castanho-escuros; sobrancelhas grossas; cerca de 1,75 m de altura; 68 quilos e cicatriz vertical de cirurgia abdominal.

O paciente é oriundo da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Petrolina e foi encontrado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) na Avenida Principal da Cohab VI, zona oeste da cidade. O estado de saúde do homem é grave.

Qualquer informação que possa levar à identificação de familiares ou amigos do paciente, devem ser repassadas ao setor de Serviço Social do HU-Univasf pelo telefone (87) 2101-6508 ou e-mail hutacolhimento@gmail.com.

Mesmo com duas ordens judiciais, paciente sofre à espera de cirurgia pelo Viva Saúde: “Nem a justiça dá jeito”

QualiViva_GraçasNem mesmo as duas ordens judiciais foram suficientes para assegurar que a comunitária Maria Ivonete Carvalho, de 50 anos, tivesse seus direitos atendidos pelo plano ‘Viva Saúde’, de Petrolina. Depois de idas e vindas a paciente ainda sofre à espera por uma cirurgia para tratar um câncer no colo do útero.

De acordo com a filha de Maria, Luciana de Carvalho, a peregrinação começou no último mês, quando sua mãe descobriu o câncer após uma cirurgia para retirada de um mioma.

Tudo começou quando ela descobriu que estava com um mioma de 8 kg. Aí tivemos que pagar um médico particular para fazer a primeira cirurgia dela. Até mesmo para conseguir a assistência hospitalar tivemos que acionar a justiça, pois o plano não queria pagar. Depois que ela retirou o mioma foi que descobriu o câncer, e começou uma nova luta contra este plano”, conta.

Mas a descoberta da doença seria apenas o começo de um drama ainda maior. Segundo Luciana, ao descobrir a doença sua mãe foi informada que precisaria ser submetida a uma cirurgia urgente, mas o plano teria negado o procedimento, o que levou a família a acionar a justiça pela segunda vez contra o Viva Saúde.

Depois que ela descobriu o câncer, o médico disse que ela precisava de uma lifanedectomia pélvica urgente, mas o plano pediu para esperar quase um mês. Depois disso fui à justiça e a juíza deu uma liminar obrigando o plano a pagar, e nada foi cumprido até agora”, conta.

Liminar e multas

Até o momento, a família já conseguiu duas ordens judiciais obrigando o plano a pagar o procedimento, mas a empresa não  cumpriu as decisões. Luciana disse ao Blog que já foi à empresa até mesmo acompanhada de um oficial de justiça, mas nada acontece.

Eu estou desesperada, porque se nem a justiça dá jeito, o que eu posso fazer? Estou com as decisões aqui na mão, mas nada está  garantido para a minha mãe”, lamenta a filha.

A juíza Ângela Mesquita, do juizado especial da Vara Civil de Petrolina, aplicou uma primeira multa de R$ 500 ao dia, caso a empresa não cumprisse a ordem. Após o descumprimento, a família acionou a justiça e a juíza aplicou uma nova multa – desta vez de R$ 1 mil. Mas a empresa até o momento não cumpriu as decisões.

Segundo a filha da paciente, o plano teria informado que não tem médico cadastrado para realizar o procedimento  e também não possui dinheiro para pagar a cirurgia, que custa cerca  de R$ 13.500,00. Nossa equipe tentou ouvir a empresa, mas em todas as ligações feitas na manhã de hoje  (18) o número fornecido 3862-6002 sempre estava ocupado.

Comunitária que aguarda por cirurgia de apêndice em Petrolina recebe apoio do Ceonco/Apami

Em nota enviada a este Blog, a assessoria de comunicação do Ceonco/Apami informou que a comunitária Maria de Lordes Ferreira, de 51 anos, que aguardava para passar por uma cirurgia de apêndice e vinha apresentando um quadro com sinais de infecção, inapetência e alto nível de desnutrição, foi atendida na manhã de hoje (10) pelo médico oncologista Gray Portela e equipe do Centro de Oncologia, devido à urgência do caso.

Ela foi submetida a uma biópsia do colo do útero, exames laboratoriais e marcadores tumorais, hidratação e medicação endovenosa devido ao seu quadro crítico. Segundo a nota, a paciente vai retornar nesta sexta-feira (11) para nova avaliação clínica e hidratação venosa com vitaminas.

O prefeito Julio Lossio informou ao Blog que a paciente é elegível para o Serviço de Atendimento Domiciliar (SAD) por conta do grau de desnutrição, e que a mesma já estaria com todos os encaminhamentos e solicitações de exames necessários.

Solidariedade

Além do tratamento médico, o caso também despertou o sentimento de solidariedade de cidadãos petrolinenses, que tentam ajudar a família de alguma forma. O Blog, inclusive, recebeu ligações de várias pessoas. Quem tiver interesse em ajudar Dona Maria de Lourdes pode ligar para o número (87) 98828-2814.

Em artigo, comunitária desabafa sobre mau atendimento no Hospital Universitário: “falta de humanidade”

Hospital UniversitárioMais uma denúncia contra o Hospital Universitário (HU) de Petrolina chega ao Blog. Desta vez, a reclamação é da comunitária Cynthia Cordeiro, que decidiu escrever um artigo para relatar sua insatisfação com a unidade. Ela narra todo o sofrimento de uma paciente que precisou de atendimento no HU e questiona os juramentos feitos pelos profissionais de saúde.

Acompanhem:

Há mais de três semanas, uma paciente com câncer foi internada no Hospital Universitário (Antigo Traumas) e, incrivelmente, o descaso para com a senhora Irene Diniz de Souza extrapolou os limites devido à total falta de humanidade por parte dos responsáveis do referido hospital, assim como do próprio corpo médico que ali presta serviços.

Todos conhecemos a frase: “Enquanto houver vida, existe esperança!” mas não é assim que funciona no mais importante hospital público de Petrolina-PE. Para a paciente citada, tudo que dependia desse hospital tornou-se um verdadeiro suplício e, para prosseguir com o tratamento, fazia-se necessário uma ressonância magnética. E como conseguir realizar esse exame é uma das situações mais envergonhantes de relatar, pois a administração comunicou que estava marcado o dito exame, porém não era verdade e a paciente passou horas de jejum, complicando ainda mais o seu estado de saúde. E quando tudo parecia marcado novamente, o que aconteceu? A ambulância estava quebrada.

A família da paciente Irene Diniz de Souza implorou para que o exame fosse realizado e se propôs a pagar uma ambulância particular para fazer o translado, mas não permitiram. E mais uma vez a paciente passou outro dia em jejum. Finalmente foi realizado o exame, que aconteceu graças à ajuda de uma personalidade política da cidade, que foi humano, e a pedido da patroa da paciente deu uma palavra para que acontecesse tanto o translado como a realização da ressonância magnética, e assim o transtorno acabasse. E, além desse fato, a irmã da paciente foi à Procuradoria, buscou órgãos públicos responsáveis pela saúde da nossa cidade. Enfim, como se já não bastasse o sofrimento da paciente e da família, é preciso mover “céus e terra” para continuar com vida nesse Hospital com tanta fama e que, na realidade, não passa de uma propaganda enganosa, onde os médicos que ali fazem estágio e, principalmente, os formados que fizeram o juramento de Hipócrates, no ato da formatura esquecem do valor que uma vida tem.

Feito o exame, fez-se necessário, após a análise do mesmo pelo corpo médico, iniciar sessões de radioterapia que precisam ser realizadas na nossa capital, Recife e, aí mais uma vez o que aconteceu? Promessas de traslados que nunca aconteciam e, mais uma vez, familiares da paciente vão à procura dos meios de comunicação da cidade, precisam ir em busca da própria polícia para tentar acabar com tamanho descaso com a paciente, que a essa altura já havia perdido até a fala e se encontrava muito debilitada devido aos constantes vômitos de todo e qualquer alimento ingerido por ela; nem sequer tiveram a “ideia” de alimentá-la através de sonda . Como isso é possível em pleno século XXI? Para onde vai o dinheiro dos nossos impostos? E a história de que depois que a Univasf assumiu o Hospital, tudo ficaria melhor? Tudo mentira… Mais uma vez foi preciso acudir a uma ajuda política de Petrolina e, assim, mesmo quando a viagem aconteceu na última terça-feira, quase à meia noite, e que a família pôde sentir certo alívio em saber que finalmente o tratamento teria continuidade, o que aconteceu mais uma vez?

Quando chegam ao Recife, nada estava marcado no Hospital do Câncer. A paciente, no estado debilitado como estava, iria voltar em uma longa viagem novamente. Mas Deus existe, e a diretora do referido Hospital do Câncer compadeceu-se do estado da senhora Irene e permitiu o seu internamento. Mais uma vez comprovado o descaso e a falta de humanidade, então através deste relato peço, ou melhor, imploro à população de Petrolina que não deixem que situações como essa persistam e acabem com as esperanças de muitas pessoas que infelizmente precisam do Hospital Universitário Doutor Washington Antônio de Barros (Antigo traumas). Obrigada pela oportunidade.

Cynthia Cordeiro/Leitora

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br