Operação da Polícia Civil prende em flagrante acusados de furto de água no projeto Pontal Sul em Petrolina

O chefe de Polícia Civil de Pernambuco (PCPE), delegado especial Joselito Kherle do Amaral, esclareceu durante coletiva de imprensa em Petrolina, realizada no começo desta tarde de quarta-feira, 10, as prisões em flagrante de 15 pessoas acusadas de furto qualificado de água. Os desvios ocorreram na região do projeto de irrigação Pontal Sul, zona rural do município, administrado pela 3ª Superintendência Regional (SR) da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

A coletiva foi realizada na sede da Delegacia Seccional, localizada no 5º Batalhão da Polícia Militar, Bairro Vila Eduardo, zona leste de Petrolina. O flagrante ocorreu durante ação da Operação ‘Força no Foco’, desencadeada em Petrolina nesta quarta e que segue até esta quinta, 11, cumprindo mandados de prisão. O objetivo é acelerar os inquéritos de homicídios na cidade. Segundo o delegado, a água furtada seria para atender pequenos agricultores da região do Pontal, mas se tornou crime por informações de que estava sendo comercializada.

O fato se deu no canal do projeto irrigado Pontal Sul. As equipes constataram furto de água e de energia. Diante do boletim da Apac (Agência de Climas de Pernambuco), que registra uma das maiores secas este ano, é constatado crime o desvio de água, pois por causa do roubo, a água não chega para quem realmente precisa”, detalhou o delegado. Ele frisou existirem informações  de que a água furtada era colocada em carros pipas, tratada e vendida como se fosse água mineral.

Conforme Kherle, o crime é parecido com o que foi descoberto em Caruaru, no Agreste. Na semana passada, a força tarefa da PCPE flagrou desvios de água da Adutora do Prata que abastece a região. “O volume de desvios nessa ação em Caruaru dava para abastecer uma cidade de 1oo mil habitantes, como Santa Cruz do Capibaribe”, externou o delegado-chefe. “Estamos tratando de furto qualificado que dá uma pena de 2 a 8 anos, diante da gravidade do crime”, complementou o chefe da PCPE.

 

 

 

 

Produtores rurais estão reunidos na Codevasf para discutir recuperação de área invadida no canal do Nilo Coelho

Produtores rurais da perímetro irrigado Senador Nilo Coelho estão em reunião nesta tarde de terça, 21,  por meio de videoconferência, com a presidente Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales dos São Francisco e do Parnaíba), Kênia Marcelino que está em Brasília. O encontro acontece na superintendência regional da Codevasf em Petrolina e conta também com a participação do superintendente, Aurivalter Cordeiro e técnicos do órgão.

Pela manhã, a Polícia Federal retirou bombas ilegais do canal do Nilo Coelho. Conforme os produtores, as invasões vêm colocando em risco a estrutura do canal que abastece o perímetro de mais de 20 hectares. A área onde as bombas estão instaladas é de reserva legal e por isso a ação da Codevasf. Eles se colocaram à disposição para recuperar a área. Para a Codevasf, a área de reserva é inegociável. (mais…)

Polícia Federal desencadeia operação para combater furto d’água no canal principal do Nilo Coelho

A Polícia Federal (PF) desencadeou, na manhã de hoje (21), uma operação para combater os desvios de água no canal principal do Perímetro Irrigado Senador Nilo Coelho, em Petrolina. São mais de 180 bombas irregulares, que podem danificar a estrutura do equipamento e causar grandes prejuízos aos produtores do Vale do São Francisco, como este Blog já adiantou na semana passada. (mais…)

Moradores do Bairro São Joaquim denunciam: Canos são quebrados para furto de água

Um fato tem intrigado e indignado os moradores do Bairro São Joaquim, Zona Norte de Petrolina. Canos do sistema de abastecimento d’água da comunidade têm sido quebrados para o furto de água. Segundo relatos feitos ao Blog, quem pratica o ato coloca pedras e madeiras por cima do cano danificado para a comunidade pensar que é esgoto estourado.

A ação ocorre na esquina da Rua 18. Os moradores começam a acreditar que esse ato seja um dos motivos para que o bairro sofra constantemente com a falta d’água. Eles pedem providências urgentes às autoridades.

Compesa localiza furtos de água em adutora que abastece interior de Petrolina e municípios de Afrânio e Dormentes

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) iniciou uma série de ações de fiscalização para combater o furto de água ao longo da Adutora Maria Tereza Coelho, que atende localidades do Interior de Petrolina, além dos municípios de Afrânio (PE) e Dormentes (PE), no Sertão do São Francisco. A Compesa irá vistoriar um ramal da adutora, por semana – de um total de 75 ramais – para evitar quedas na vazão do sistema e prejuízos no abastecimento para a população.

Após receber muitas denúncias, reclamações de falta d’água e identificar visualmente áreas irrigadas – numa região de sequeiro – a Companhia realizou a primeira operação, ontem (12), em um dos ramais que atende os distritos de Sítio Serrinha, Lagoa do Pau Ferro e Curral Queimado, na zona rural de Petrolina.

Das oito propriedades vistoriadas, seis apresentavam irregularidades, como hidrômetros invertidos e arames nas catracas dos relógios, que impediam o registro da água consumida. Também foi retirada uma ligação clandestina em uma das propriedades, cuja água desviada era usada para a irrigação de plantações de coqueiros. “Dessa forma, os fraudadores consumiam água exageradamente, prejudicando o abastecimento de toda a comunidade“, informou o gerente de Unidade de Negócios da Compesa, João Raphael de Queiroz, acrescentando que os três distritos somam 1,4 mil moradores.

Os furtos de água na Adutora Maria Tereza Coelho também provocam reflexos diretamente no abastecimento das cidades de Afrânio e Dormentes, cujas populações de 11 mil e 9,5 mil pessoas, respectivamente, convivem com um rodízio de dois a três dias com água para dez dias sem. Com uma vazão de 50 litros por segundo, a adutora transporta água da Barragem do Reservatório 3 do Sistema de Irrigação Maria Tereza Coelho, em Petrolina, ao longo de 160 quilômetros, até chegar em Dormentes e Afrânio.

Providências

As propriedades onde foram encontradas irregularidades serão multadas pela Compesa no valor correspondente a uma estimativa do que pode ter sido consumido. O montante, no entanto, não foi informado, mas a multa será cobrada na fatura. A companhia também registrou um Boletim de Ocorrência para dar início às investigações sobre o furto da água. (fotos/divulgação)

Furtos de água em adutora comprometem abastecimento em Sertânia, diz Compesa

furto-de-agua-sertania

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) iniciou uma operação para identificar e combater as ligações clandestinas e o furto de água ao longo da Adutora de Jatobá, responsável pelo abastecimento do município de Sertânia, no Sertão do Moxotó. A fiscalização começou na semana passada e já percorreu 10 quilômetros da adutora, que tem ao todo 36 quilômetros de extensão, da Estação Elevatória de Cruzeiro do Nordeste até a cidade de Sertânia.

Além das ligações clandestinas, a Compesa também constatou furto de água e ainda danificados diversos registros de descargas e ventosas, dispositivos que controlam a saída de ar e eliminam a sujeira acumulada na adutora. Os dispositivos foram manuseados sem autorização para furtar água com caminhões e bombonas (pequenos reservatórios) transportadas por carros e animais.

A operação também identificou ligações clandestinas, sendo duas delas de grande porte, que estavam retirando água da adutora para barreiros e sendo destinada à criação de animais. Ainda foi encontrado um chafariz – utilizado para abastecer a população da zona rural – cuja tubulação foi danificada para abastecer caminhões. Até agora, já foram registrados dois Boletins de Ocorrência (BO).

De acordo com o gerente de Unidade de Negócios da Compesa, Augusto Cesar de Andrade Lima, os atos de vandalismo estão provocando o mau funcionamento das ventosas e registros de descarga da adutora e, consequentemente, o aumento do número de estouramentos na rede, contribuindo para o não cumprimento do calendário de abastecimento de Sertânia – visto que sempre é preciso suspender o fornecimento de água para realizar os consertos. Os moradores da cidade, cerca de 16,5 mil pessoas, convivem com um rodízio de cinco dias com água para 23 dias sem.

Oferta de água

Hoje, só é possível ofertar 30% de água que a população necessita, já que o município é abastecido exclusivamente pela Adutora de Jatobá, que transporta água tratada dos poços da Fazenda Frutuoso, no município de Ibimirim, até o reservatório de Sertânia, com uma vazão de 20 litros por segundo. Devido aos furtos na rede, essa vazão caiu para 16 l/s. A situação foi agravada pelos seis anos consecutivos de seca na região, que levou os outros dois mananciais que faziam parte do sistema de abastecimento da cidade, o Açude Barra e o Açude Cachoeira, a entrar em colapso nos anos de 2012 (agosto) e 2014 (maio), respectivamente. (foto/divulgação)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br