Cabrobó: Sem transporte, estudantes universitários lamentam falta de pagamento a motoristas

Em Cabrobó (PE), no Sertão do São Francisco, os estudantes universitários estão passando por um sufoco. Eles estão sem transporte disponibilizado pela prefeitura para se deslocarem a Belém do São Francisco (PE), Sertão de Itaparica, onde estudam.

Segundo informações repassadas a este Blog, ontem (18) eles tiveram de desembolsar R$ 20,00 para o transporte até Belém, já que os motoristas alegam falta de pagamento. “Isso é um absurdo. Em quatro meses de governo, com o recebimento recente do FPM (Fundo de Participação dos Municípios), e já estamos nessa situação”, desabafou um dos estudantes. Com a palavra, a gestão municipal.

Lagoa Grande: Profissionais da educação reclamam de salário atrasado e da falta de pagamento de benefícios trabalhistas

Em Lagoa Grande (PE), o prefeito recém-empossado Vilmar Cappellaro (PMDB) já vai encontrar pela frente uma bronca relacionada aos profissionais da educação municipal.

Segundo uma fonte do Blog, a categoria ainda não recebeu o salário de dezembro, nem o retroativo dos meses de janeiro, fevereiro, março e abril – além do terço de férias. “É uma situação deplorável que nós, enquanto profissionais da educação que somos e cumpridores dos nossos deveres, não deveríamos estar passando por isso”, desabafou um servidor, reservadamente.

Prefeitura de Juazeiro nega falta de pagamento e diz que prédios ficaram sem energia “devido a problemas técnicos”

Prefeitura de Juazeiro/Foto: Ascom PMJA Prefeitura de Juazeiro (BA) negou, por meio de nota da assessoria, que alguns prédios públicos tenham ficado sem energia por falta de pagamento.O problema ocorre desde a manhã desta segunda-feira (12), mas a administração garante que a falta de energia foi provocada por um problema técnico que atingiu vários órgãos da Bahia e que já está sendo solucionado.

Confiram a nota:

A Secretaria de Administração/Sead informa que houve queda de energia no prédio Central da Prefeitura na manhã de segunda-feira, dia 12, e como não foi restabelecido o serviço após algumas horas o setor de Manutenção da Sead realizou chamada para a Central da Coelba, em Feira de Santana, informando o problema e solicitando a solução imediata.

De acordo com o atendente da fornecedora, a falta de energia ocorreu devido a problemas em várias redes de órgãos públicos em toda a Bahia. Como o serviço não retornou nesta terça-feira, 13, a Gerência de Manutenção da Sead insistiu, cobrando o restabelecimento da energia. E neste exato momento técnicos da Coelba estão trabalhando nos transformadores do prédio, com previsão de retorno da energia até o início da tarde.

 A Sead esclarece ainda que não há nenhuma conta em atraso, seja de energia ou de qualquer outra prestadora de serviço, e que o problema comprovadamente ocorreu devido a questões técnicas. Durante esse período apenas o setor de Recursos Humanos e a marcação de alguns exames da Secretaria de Saúde foram temporariamente interrompidos. 

PMJ/Ascom

Celpe ameaça cortar energia de prédios da Prefeitura de Petrolina por falta de pagamento

estacionamento centro convençõesA Companhia Energética de Pernambuco (Celpe)/Grupo Neoenergia ameaça cortar a luz de alguns prédios da Prefeitura de Petrolina. O motivo, segundo uma fonte deste Blog, seria o atraso no pagamento de várias faturas.

Entre as unidades consumidoras que podem ficar sem energia estão a Secretaria de Saúde, o Centro de Convenções (foto) e o Memorial Nilo Coelho. A reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação da prefeitura, por e-mail, sobre o assunto.

Por falta de pagamento, sede da Prefeitura de Uauá tem a luz cortada

prefeitura-de-uauaPor falta de pagamento, a sede da Prefeitura de Uauá (BA), no norte do Estado, teve novamente o fornecimento de energia elétrica cortado.

Nos últimos dois anos, a cena vem se repetindo várias vezes – inclusive sendo registrada por este Blog. Com a palavra, a administração municipal. (foto: Calila Notícias/reprodução)

Com mercadoria milionária, caminhoneiros param em Juazeiro e vivem drama por falta de pagamento

caminhoes-estacionados-juazeiro

Nove caminhoneiros que saíram do Ceará para entregar uma carga em uma fazenda em Campo Formoso, norte da Bahia, estão parados há três semanas em um posto de gasolina da BR-407, em Juazeiro (BA). Eles viajaram cerca de 1.100 quilômetros com peças usadas na construção de torres eólicas para geração de energia com o vento, mas a empresa que contratou o serviço não pagou. Os motoristas estão sem saber como irão descarregar a mercadoria, que é avaliada em R$ 5 milhões.

A viagem, que deveria durar dois dias, se transformou em um drama. De acordo com os caminhoneiros, todo esse problema começou porque a empresa contratante teria atrasado as operações de transporte, não teria feito o pagamento do frete e nem dado condições para descarregar as peças. Com isso, gerou diárias, que também ainda não foram pagas.

O diretor comercial da empresa Tomé Equipamentos e Transportes, que contratou os caminhoneiros, informou que pagou 60% do valor do frete e que o restante será repassado quando a carga for entregue. Ele disse ainda que, depois de um acordo, a empresa vai pagar os adicionais por esses dias parados. Porém, de acordo com o advogado Eduardo Madureira, ainda não houve acordo com a empresa. “Todas as tentativas de acordo foram sem êxito porque a empresa, apesar de apresentar propostas, ela mesmo se retrai ao cumpri-la”, disse.

Drama

Eduardo Pereira, caminhoneiro de Betim, em Minas Gerais, está longe de casa há dois meses e não sabe quando irá rever a família. Os mantimentos que ele possui já estão acabando e ainda não há solução para o problema. “Está precária a situação. Não tem nenhum acordo. A gente está dormindo mal e não tem como tomar banho porque é cobrado o banho, e o dinheiro já acabou. Aguardamos a resposta da empresa e até hoje nada”, disse o caminhoneiro.

O motorista André Voelkl é outro que está passando por dificuldades. Na cozinha improvisada no caminhão, os alimentos também estão acabando. Tudo que ele queria era rever a família. “A gente está aqui trabalhando, tentando trabalhar, a gente não está conseguindo. Se eu for lembrar das minhas crianças em casa, dá vontade até de chorar”, disse o caminhoneiro.

André, Eduardo e outros sete caminhoneiros não sabem o que fazer para voltar para casa. “Estamos aguardando que eles pelo menos se manifestem e digam ‘olha, a partir de tal data vai ser acertado’. E cumpra!”,  disse indignado o caminhoneiro Flávio Santos. Apenas um dos nove motoristas conseguiu autorização para descarregar as peças, mas até agora o dono do caminhão também não recebeu pelo serviço.

O acordo foi de pagar umas diárias e depois fazer um depósito na conta após a descarga desse caminhão. Foi feita a descarga, mas até agora nada”, disse o caminhoneiro Marcos Barros. “É muito complicado. Espero que resolva o mais rápido possível para cada um seguir o seu caminho”, concluiu o caminhoneiro Eduardo Pereira. (fonte: G1-BA/foto: reprodução TV São Francisco)

Unidade do PSF em Dormentes tem energia cortada por falta de pagamento

psf-sem-energia-dormentes

Fim de governo costuma ser acompanhado por um ‘mar’ de problemas. O Blog recebeu nesta quarta-feira (5) a informação de que a Celpe cortou o fornecimento de energia do Programa de Saúde da Família (PSF)/Sede II, no município de Dormentes (PE), Sertão do São Francisco.

Segundo leitores que nos enviaram algumas fotos, o corte foi motivado por um débito pendente. Sem energia, é muito pouco provável que o posto continue a atender a comunidade. Haja bronca.

Pai de bolsista da Philarmonica 21 de Setembro critica Prefeitura de Petrolina por falta de pagamento

PhilarmonicaO pai de um bolsista que integra a Philarmonica 21 de Setembro anda muito insatisfeito com a Prefeitura de Petrolina. Motivo? A administração municipal ainda não teria pago a bolsa do seu filho.

“Fico me perguntando: a prefeitura tem dinheiro para contratar Aviões do Forró, e não tem para pagar os bolsistas. Então, Aviões do Forró deveria fazer os concertos no parque aos domingos e fazer a alvorada e o desfile no dia 21 de setembro. Sem falar que a Philarmonica faz 106 anos. Meu filho não participará até receber”, desabafou o pai ao Blog, em reserva.

Com a palavra, a administração. (foto/arquivo divulgação)

Por falta de pagamento, Celpe corta energia de prédios do Governo de Pernambuco

luz apagada2[1]Por falta de pagamento, a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) decidiu cortar nesta sexta-feira (29) o fornecimento de energia elétrica de quatro prédios vinculados ao Governo do Estado.

Um deles, o Museu Cais do Sertão, teve a energia restabelecida ainda ontem. Os demais foram o Conservatório de Música e as Secretarias da Mulher e do Meio Ambiente.

Por meio de nota, a Secretaria Estadual da Fazenda se disse surpreendida com a decisão da Celpe. A Companhia informou que o governo entrou em entendimento para acertar as pendências. Ainda na sexta a previsão era de que a energia seria retomada nos outros prédios. (Com informações da Rádio Jornal)

Estudante critica Governo de PE pela falta de pagamento para bolsas na UPE Petrolina

UPE AplicaçãoInconformado com a falta de pagamento, há três meses, da bolsa de iniciação científica e bolsa-permanência à UPE/Campus Petrolina, o estudante Marcos Santos não poupa o verbo nem os adjetivos contra o atual governador Paulo Câmara.

Neste artigo enviado ao Blog, ele considera “vergonhosa” a atitude do estado. Confiram:

Minha reclamação é contra o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, pois desde o mês de fevereiro o governo do estado não paga as bolsas de iniciação científica e bolsa permanência da Universidade de Pernambuco/Campus Petrolina.

Acho isso vergonhoso, pois o futuro do nosso país é a educação. E a educação, senhor governador, não se dá somente com professor em sala de aula não.

A educação se dá também através da pesquisa, pois ensino e pesquisa andam juntos. Pesquisa essa que o senhor faz questão de desestimular aqueles que estão iniciando, com esses atrasos absurdos, justificando não ter verba. E quando pedimos informação na direção do Campus, aqui de Petrolina, a informação que temos é que está na Secretaria da Fazenda aguardando liberação, e que o governo do estado diz não ter verba pra pagar.

Ai eu pergunto porquê o governador assegurou verba para essas bolsas, permitindo à UPE lançar editais de seleção. O senhor governador entrou para continuar o legado de Eduardo Campos. Este sim, investia na educação.

Atenciosamente,

Marcos Santos/Aluno bolsista – UPE Campus Petrolina

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br