Polícia Militar realiza Operação ‘Fecha Batalhão’ em Salgueiro

O Comando do 8°Batalhão de Polícia Militar (BPM) realizou na manhã desta sexta-feira (26), em Salgueiro (PE), Sertão Central, mais uma etapa da Operação ‘Fecha Batalhão’. O objetivo da manobra é combater a criminalidade que assola a região e o Estado.

Durante a ação, comandada pelo capitão Oliveira Neto, foi utilizado o efetivo administrativo da Unidade, que teve também a participação da Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas (Rocam) e das Guarnições Táticas Operacionais (GTOs) do Batalhão Agamenon Magalhães.

O trabalho consistiu em abordagens a pessoas e condutores de veículos. (Foto/divulgação)

Floresta: Aumento da criminalidade é discutido em audiência pública com várias autoridades

O aumento da criminalidade no município de Floresta (PE), Sertão de Itaparica, foi tema na última quarta-feira (24) de uma audiência pública realizada na Câmara de Vereadores local.

Entre as soluções propostas durante o debate estão a instalação das câmeras de segurança, construção de um Batalhão da Polícia Militar, implantação de uma cultura de paz nas escolas e comunidades, viabilização de um convênio com o Governo do Estado para a construção de uma cadeia pública, fortalecimento do ‘Pacto pela Vida’, além do lançamento do novo programa de segurança do governo – o ‘Força no Foco’.

A mesa foi composta pelo presidente do Legislativo de Floresta, Beto Souza, além do delegado sexagenário Ariosto Esteves; os juízes José Anastácio Correia e Augusto Sampaio Angelim; o prefeito Ricardo Ferraz; os comandantes da PM, tenente-coronel José Roberto de Almeida e tenente-coronel Webyston Lima; a representante do prefeito de Itacuruba, secretária municipal Izabella Maniçoba; e os vereadores Talles Cruz, Francisco Ferraz, Gilberto Quirino, Tiago Maniçoba, Pedro Henrique Lira, Kiel, Luizinho e Beijinha Puça. (Foto: Ascom/divulgação)

Para tentar reduzir criminalidade em Pernambuco, Paulo Câmara entrega novas viaturas à Polícia Militar

Na tentativa de reduzir a onda de criminalidade que atinge Pernambuco, a exemplo da investida audaciosa de um grupo de assaltantes a uma empresa de segurança de valores em Petrolina, na tarde de ontem (25), o governador de Pernambuco Paulo Câmara entregará, nesta quarta-feira (26), no Palácio do Campo das Princesas, 37 viaturas para a Polícia Militar de Pernambuco (PMPE). Ao todo serão 19 caminhonetes tipo 4×4 e 18 veículos do modelo Spin.

Segundo a Secretaria de Imprensa, a frota atuará no policiamento de área, patrulha escolar, rondas nos corredores de ônibus e Operação Maria da Penha de unidades da Região Metropolitana do Recife e Interior do Estado.

Durante a cerimônia, Paulo ainda sancionará a lei que cria o Batalhão Integrado Especializado de Policiamento (Biesp), em Caruaru, no Agreste. A nova estrutura funcionará dentro da Área Integrada de Segurança (AIS) 14, no bairro de Pinheirópolis. As ações fazem parte do Plano de Segurança de Pernambuco. (foto/arquivo)

Humberto Costa cobra medidas urgentes para barrar criminalidade em Pernambuco

Preocupado com o agravamento da violência em Pernambuco, o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), cobrou, nesta terça-feira (18), a execução das medidas anunciadas recentemente pelo governo do Estado a fim de estancar os índices de “guerra civil” registrados neste ano. “Caso isso não ocorra, Pernambuco será transformado, infelizmente, em uma verdadeira praça de guerra”, avalia.

Diante do aumento explosivo do quadro no Estado, com registro de mais de 1,5 mil pessoas vítimas de morte violenta e mais de 500 estupros notificados apenas nos primeiros três meses de 2017, o governador Paulo Câmara (PSB) prometeu contratar mais profissionais à área de segurança, aparelhar a polícia e melhorar a condição de áreas de inteligência.

Para Humberto, que tem dialogado com diversos setores para tentar construir propostas que ofereçam sólidos caminhos para sair dessa crise e autor de projetos de lei que têm como objetivo combater atividades criminosas, a questão central é uma só: “se existe uma política de segurança em Pernambuco, ela tem dado consecutivas demonstrações de que é falha e não apresenta resultados. Com isso, voltamos às páginas policiais do noticiário nacional”, lamentou.

“Não tenho dúvida da vontade política e humana do governador em pôr fim a essa matança que ocorre sob sua administração. Eu o conheço e, apesar de estarmos em campos políticos diferentes, acredito na disposição dele em resolver o problema”, disse.

Segundo Humberto, nenhum governador compactua com essa situação. “Nenhum governador assiste inerte aos cidadãos serem dizimados pelas ruas do Estado que governa, especialmente as localidades mais pobres”, observou. Mas o parlamentar lembrou que o governo não pode querer resolver o problema escondendo os dados de segurança pública da imprensa, como fez recentemente. “Isso não resolve nada porque as estatísticas só servem a demonstrar a realidade, e maquiá-las não vai diminuir o drama que as pessoas conhecem e vivem diariamente”, ressaltou.

Retrocesso

De acordo com Humberto, Pernambuco retrocedeu em uma década, voltando a índices registrados em 2007, quando o chamado Pacto pela Vida, firmado por diversos setores da sociedade e do governo, começou a promover uma significativa redução na cultura da violência. “O programa preservou, no seu auge, cerca de 1,5 mil vidas em um ano, em relação ao período anterior mais traumático”, ressaltou. O parlamentar disse que é triste perceber um regresso à barbárie que Pernambuco estava deixando para trás. “São grupos de extermínio atuando, é o tráfico, é o machismo, é a banalização completa da cultura da violência”, disse. O líder da Oposição acredita que a situação realmente será revertida quando as ações do Estado forem capazes de gerar emprego, renda e crescimento econômico porque, segundo ele, no fim das contas, a grande raiz da violência se encontra na pobreza e falta de oportunidade para quem mais precisa.

Em nota, Sinpol aponta caminhos para diminuir criminalidade em Pernambuco

Em nota, a diretoria do Sinpol – Sindicato dos Policiais Civil de Pernambuco – lamentou os números da violência que foi destaque em jornal de circulação nacional. A entidade aponta caminhos para a redução do quadro de insegurança que o estado vive hoje. Confira:

Lamentavelmente, a crescente onda de violência em Pernambuco voltou a ganhar destaque na imprensa nacional. Dessa vez foi a Folha de São Paulo que estampou em matéria de capa deste domingo (16) que a “Violência explode, e PE regride uma década com 16 assassinatos por dia”. E como se já não bastasse, a própria Folha de São Paulo precisou corrigir-se com a última atualização dos números da violência no estado: em março, superamos a marca dos 17 homicídios diários, em média.

Em entrevista aos repórteres especiais da Folha, o presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol-PE), Áureo Cisneiros, expôs sua preocupação com a falta de medidas que efetivamente possam contribuir para a diminuição da violência no estado, como a valorização dos agentes de segurança pública, o aumento no efetivo e melhores condições de trabalho.

No final de 2014 o Sinpol já chamava a atenção do Governo do Estado para o iminente colapso na segurança pública, e em especial na polícia investigativa. Infelizmente tal prognóstico se concretizou. Na ocasião, o sindicato preparou um dossiê que foi entregue ao governador Paulo Câmara em 2015 no qual foram expostas deficiências e propostas de soluções para cada uma delas. O governo, no entanto, optou por não acolher as propostas encaminhadas e, à revelia do que diziam os agentes de segurança pública, trilhou o caminho que fez de Pernambuco um lugar cada vez mais inseguro e violento.

Sempre deixamos claro que a impunidade é o grande mal a ser combatido para se diminuir a violência e a criminalidade, pois, ela faz com que os indivíduos continuem reiteradamente a delinquir, causando um verdadeiro incentivo à atividade criminosa já que leva a crer que o “crime compensa”. Só há uma forme efetiva para atacar tal mal: investimento maciço na polícia que investiga e elucida os crimes. A regra nos países com baixas taxas de criminalidade é uma polícia investigativa profissional, aparelhada e com efetivo suficiente para apurar e levar os criminosos a serem julgados pela justiça com provas suficientes, evitando, assim, que os bandidos não sejam facilmente soltos. À título de exemplo, no Japão a taxa de solução de crimes chega a 95%, enquanto que no Brasil não passa de absurdos 8%!

Por entender que não há tempo a perder e que trata-se, literalmente, de questões de vida ou morte, o Sinpol resolve outra vez tornar pública a série de medidas aconselhadas ao Governo do Estado para diminuir a violência no Estado, salvar vidas e recuperar a imagem de Pernambuco Brasil à fora:

Concursos periódicos para recompor o quadro, pois, não se pode admitir que uma carreira típica de Estado tenha concursos de 10 em 10 anos. Hoje temos o mesmo efetivo que há 30 anos atrás, enquanto que a população de Pernambuco quase duplicou;

Melhorar e padronizar as Delegacias. A maioria são casas alugadas e mal adaptadas para servirem as necessidades das equipes de investigação;

Desburocratizar a estrutura de investigação dando autonomia administrativa para a Polícia Civil, focando na atividade fim do Policial, e não utilizar o efetivo para atividades administrativas, como preencher planilhas;

Aparelhar e equipar a Polícia Civil com coletes e armamento adequado e confiável, com viaturas DESCARACTERIZADAS, pois, diferentemente do policiamento ostensivo, a investigação deve ser realizada de forma velada e discreta;

Valorização e incentivo a todos os servidores Policiais Civis, com melhores salários, já que trata-se de uma carreira de nível superior, mas, que paga como nível médio, buscado diminuir e harmonizar as diferenças entre os cargos que a compõem, incentivando a permanência na carreira;

Combate às injustiças e privilégios internos e priorização a atividade investigativa;

Integração, interiorização e descentralização das atividades Periciais da Polícia Civil, fazendo com que as perícias atuem em conjunto e no mesmo espaço que as equipes de investigação.

Sabemos que não há mágica para se diminuir a criminalidade: é necessário um forte e perene combate a desigualdade social juntamente com uma Polícia Investigativa forte, capaz, bem aparelhada e bem remunerada. Faltou sensibilidade por parte do Governo Estadual em dialogar e debater as dificuldades e as saídas para tão grave problema com as entidades sindicais representativas da classe, com a sociedade civil organizada, com a academia e com todos os atores que, direta ou indiretamente atuam no combate à criminalidade. Faltou ao Governo o PACTO. 

O Sinpol continua e continuará com sua posição crítica, porém, como sempre o foi, disposto a discutir e contribuir para uma sociedade mais justa e menos violenta para todos, pois, o nosso compromisso é com os policiais e com a sociedade pernambucana.

A Diretoria

Audiência pública sobre aumento da criminalidade em Petrolina será realizada na Casa Plínio Amorim

Preocupado com o aumento da criminalidade em Petrolina, que colocou a cidade na 12ª colocação do ranking das mais violentas de Pernambuco – conforme dados da Secretaria de Defesa Social (SDS) – o vereador Ronaldo Cancão (PTB) propôs uma audiência pública para tratar do assunto.

De acordo com o vereador, a audiência está prevista para acontecer no próximo dia 30 de março na Casa Plínio Amorim. Além de autoridades policiais da cidade, Cancão espera também contar com a presença de algum representante do Governo Paulo Câmara.

Fórum Municipal de Segurança Pública e Cidadania já tem programação definida em Petrolina

Os últimos – e preocupantes – números referentes à criminalidade em Petrolina deverão ser um dos temas em debate no Fórum Municipal de Segurança Pública e Cidadania. O evento já tem data, horário e local confirmados: será no próximo dia 10 de março, das 8h às 17h, no auditório do Instituto de Gestão Previdenciária (Igeprev).

Idealizado pela Central Única de Bairros de Petrolina (Cubape), o fórum tem o apoio da prefeitura. O evento contará com palestras e mesas redondas referentes ao tema.

A programação completa pode ser conferida no seguinte link: PROGRAMAÇÃO OFICIAL DO FORUM.

Mesmo com números alarmantes da violência em Pernambuco, secretário diz que Pacto Pela Vida ainda é “a saída”

Embora o número de homicídios na Área Integrada de Segurança 26 (AIS-26), que abrange os municípios de Petrolina, Dormentes e Afrânio – no Sertão do São Francisco – tenha reduzido, os resultados do Pacto Pela Vida no restante do Estado de Pernambuco em 2016 são os piores desde a criação do programa pelo então governador Eduardo Campos, há quase dez anos. Mas para o atual secretário de Defesa Social, Ângelo Gioia, o Pacto ainda continua sendo “a saída” para diminuir a criminalidade.

A afirmação foi dada por Gioia ao comunicador Geraldo Freire, da Rádio Jornal, nesta quarta-feira (18). “O Pacto é a saída que nós temos para a redução da criminalidade, ainda que, por diversas vezes, o cenário hoje não seja o ideal que gostaríamos de estar vivendo. Mas estamos trabalhando duramente para atingir metas para dar tranquilidade à população de Pernambuco”, pontuou.

Gioia também comentou sobre o protesto de policiais na Praia de Boa Viagem, que afixaram cruzes na faixa de areia, em memória às vítimas da violência no Estado. O ato simbólico serviu para marcar, segundo a categoria, o ‘sepultamento’ do Pacto. “Cada um faz, na verdade, o sepultamento daquilo que entende que deva fazer”, declarou Gioia. (foto: Rádio Jornal/reprodução)

Juazeiro registra queda de 26% no número de homicídios, diz SSP-BA

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) da Bahia divulgou dados que demonstram um aumento no índice de prisões em Juazeiro. De janeiro a outubro de 2016, as ações das Polícias Civil e Militar retiraram de circulação 751 criminosos, 38% a mais do que no mesmo período do ano passado. Houve também uma queda nos casos de homicídios dolosos em cerca de 26%.

As informações apontam ainda um aumento nas prisões em flagrante e no cumprimento de mandados. Em 2015, foram autuados em flagrante 431 pessoas e 696 em 2016, o que significa um aumento de 38%. Quanto aos mandados de prisão em aberto, o crescimento nos cumprimentos foi de 45%. A eficácia da atividade policial também apareceu nos registros de inquéritos remetidos à Justiça. Nos últimos 10 meses, foram enviados 1.262, um acréscimo de 5,1%, se comparado a igual período do último ano.

O trabalho integrado das policiais também contribuiu para a redução de homicídios dolosos em Juazeiro, registrando-se este ano uma queda de aproximadamente 26% nesta modalidade delituosa. Respondendo interinamente pela 17ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Juazeiro), a delegada Adelina Maria de Araújo Castro lembra que o acréscimo dos mandados cumpridos vem refletindo sobre a queda de homicídios na cidade. “Nos próximos meses, o trabalho será intensificado para melhorar ainda mais os índices“, garantiu a delegada.

Programa da PM

O programa ‘Um Norte Para Todos’, implementado pelo Comando de Policiamento da Região Norte (CPRN) desde dezembro de 2015, vem contribuindo para a melhora dos índices criminais, segundo afirmou o comandante da unidade, coronel PM Alfredo Nascimento. “A cada três meses nós nos reunimos para analisar o perfil dos crimes e apontar medidas a serem adotadas para inibi-los“, informou. Nascimento também disse que nesses encontros são discutidas ideias que deram certo numa companhia da região e o que fazer para aplicá-las também com sucesso em outras unidades. “Nossas ações buscam ampliar a sensação de segurança para a população“, garantiu. (foto/arquivo Blog)

Sinpol rebate declarações de secretário de Defesa Social de PE sobre “empenho” das Polícias para combater assaltos a ônibus

Alessandro CarvalhoO Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol-PE) reagiu de imediato às declarações do secretário de Defesa Social do Estado, Alessandro Carvalho, o qual cobrou “empenho” das Polícias Civil e Militar no combate e prevenção aos assaltos a ônibus na Região Metropolitana do Recife (RMR) e Zona da Mata.

Em nota enviada à imprensa nesta sexta-feira (23), a direção do Sinpol rebateu à altura, alegando que o aumento da criminalidade em Pernambuco é por culpa justamente do secretário e também do governador Paulo Câmara, que estaria fazendo ‘vista grossa’ quanto à atuação de Alessandro Carvalho. Confiram a íntegra da nota:

O Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol) tomou conhecimento da nota da Secretaria de Defesa Social, em que o secretário Alessandro Carvalho cobra “empenho” às Polícias Civil e Militar na prevenção e repressão aos assaltos a ônibus, depois de mais uma noite violenta em que bandidos aterrorizaram passageiros na Região Metropolitana e na Zona da Mata do Estado. Sobre o assunto, manifestamos nossa mais profunda perplexidade e indignação com as palavras do secretário, pois se há algum responsável pelo aumento da criminalidade, não só nos casos de assalto a ônibus, esse alguém é o próprio Alessandro Carvalho.

Desde que foi efetivado à frente da pasta, a insegurança se alastrou a patamares insustentáveis. Os índices de estupros, roubos e furtos, tráfico de drogas e homicídios, por exemplo, são alarmantes e se comparam a números de países em guerra ou estado de exceção. A ineficiência e a má-gestão do comandante da SDS, que não busca soluções para as claras deficiências estruturais e prefere “culpabilizar” vítimas, têm sido determinantes para a construção desse cenário de horror em Pernambuco.

A Polícia Civil, por exemplo, trabalha com um déficit de mais de 60% em seus quadros, o que faz com que delegacias fechem a noite e em finais de semana em todo o Estado. Além disso, sequer fornece coletes a prova de balas e falta até mesmo combustível para a realização das investigações. Inúmeras delegacias funcionam em casas improvisadas e alugadas por valores acima do mercado há anos, o que demonstra total falta de planejamento e atenção com os recursos públicos.

A Diretoria do Sinpol, desde que assumiu há quase 2 anos, vem alertando e cobrando mais investimentos nas estruturas e aos servidores policiais, para que possam dar a mínima segurança que o povo pernambucano merece. O Governo do Estado, todavia, prefere manter uma pesada e ineficiente estrutura chamada Secretaria de Defesa Social, que consome um terço dos investimentos destinados à segurança com burocracia e regalias desnecessárias.

Para o presidente do Sinpol, Áureo Cisneiros, a situação chegou ao limite. “Não sei o que está havendo para o Governo insistir tanto em manter Alessandro Carvalho no cargo. O pior é que a conta por essa má gestão da segurança pública está sendo paga pelo povo, exposto a uma onda de criminalidade generalizada e crescente. Mas, além disso, é preciso ressaltar que nós, policiais, também somos vítimas da incompetência do atual secretário e da indiferença do governador com o tema. Sofremos com a falta de efetivo – que gera grande sobrecarga física e emocional, trabalhamos em ambientes insalubres e, a grosso modo, sem equipamentos básicos de trabalho”, declara.

Sinpol/Ascom

Resultado significativo, apesar das dificuldades

Polícia Militar PE novaMesmo diante das já conhecidas dificuldades de trabalho no combate à criminalidade em Petrolina, a Polícia Militar de Pernambuco (PMPE), através do 5°Batalhão, procura dar as respostas à sociedade. Na última quinta (4), o 5ºBPM não registrou nenhuma ocorrência na cidade. Isso mesmo.

O fato merece destaque, sobretudo porque o Governo do Estado, em relação ao Sertão, não tem dado o mesmo trato à segurança pública como dá em outras regiões de Pernambuco.

Serra Talhada: Com aumento de criminalidade, autoridades firmam termo de cooperação para melhorar segurança

reunião-730x425O avanço da criminalidade em Serra Talhada (PE), no Sertão do Pajeú, provocou uma reunião entre o prefeito Luciano Duque, o delegado regional, Olegário Filho, o comandante do 14º BPM, Tibério César, e o comandante da Guarda Municipal, Givaldo Sousa, nesta terça-feira (3). O encontro ocorreu na sala de reuniões da prefeitura e resultou num acordo de cooperação, que deve contar também com o apoio do governo do estado, já que as autoridades se comprometeram em acionar o governador Paulo Câmara para reforçar a segurança na cidade.

Luciano Duque disse que iria fazer uma cobrança formal a Câmara, pedindo mais atenção e prioridade ao município. Outra iniciativa da gestão será disponibilizar uma equipe permanente da Guarda Municipal no bairro Vila Bela.

O comandante Tibério César avaliou positivamente a iniciativa. “É muito importante, vamos juntar forças e intensificar ainda mais o trabalho contra o crime. Precisamos nos planejar para fazer essa intervenção em parceria com a prefeitura, na questão dessa nova turma de efetivos que vai estar entrando, possivelmente, neste concurso que está em andamento”. Já o delegado Olegário colocou como prioridade a instalação da Delegacia da Mulher, pedindo a intervenção do prefeito no destravamento do serviço, já implantado em Afogados da Ingazeira e Salgueiro. (fonte/foto: O Farol de Notícias)

Reunião da PM em Juazeiro nesta sexta apresentará índices de criminalidade em municípios da região norte da BA

Nesta sexta-feira (8), a partir das 8h, acontecerá no Hotel Rapport, bairro Lomanto Junior, o primeiro encontro de comandantes da região Norte do Estado da Bahia em 2016. No evento serão discutidas ações estratégicas alinhadas com as orientações e decisões do Coronel Anselmo Brandão, Comandante Geral da PMBA.

Além das apresentações dos índices de crime de cada unidade, ocorrerão discussões acerca de procedimentos, bem como integração entre os comandantes, objetivando o fortalecimento da região norte na busca de uma sociedade mais justa para todos.

População de Cabrobó sairá às ruas para cobrar providências contra criminalidade

RevolverA escalada da criminalidade em Cabrobó (PE), no Sertão do São Francisco, levará nesta sexta-feira (29) a população às ruas da cidade numa caminhada pela paz.

O evento, marcado para as 17h, sairá da Praça João Freire de Carvalho, área central da cidade.

Na ocasião os participantes farão um abaixo-assinado, que será entregue às autoridades com o objetivo de pressionar por providências para diminuir o elevado número de homicídios na cidade.

O Pacto Pela Vida e o desafio de Paulo Câmara

Paulo Camara3Que os números negativos do Pacto Pela Vida colaboraram para desgastar o primeiro ano de mandato do governador Paulo Câmara (PSB), isso ninguém discute. Mas o próprio socialista já vê claramente que reduzir os índices de criminalidade em Pernambuco, como havia conseguido o ex-governador e idealizador do programa, Eduardo Campos, será um dos principais desafios – ou o principal – de sua gestão.

O ano de 2016 já começou com fatos alarmantes no Sertão do estado. Antes da primeira semana de janeiro acabar, o vice-prefeito de Triunfo, João Hernano, sofreu um atentado em Salgueiro; o vereador e PM Lucimar Feitosa Ventura (também de Triunfo), 42 anos, foi assassinado impiedosamente com vários tiros; e o ex-secretário da Agricultura e sindicalista na mesma cidade, Gildenilson Magalhães (conhecido por ‘Nilson da Farmácia foi baleado e por pouco não tem o mesmo fim.

Em Cabrobó, o ex-vereador Dim Saraiva teve seu irmão, Eduardo Moreira Saraiva, 34, sequestrado e assassinado. O corpo dele foi encontrado há quatro dias, em Parnamirim.

Somando-se a essa lista trágica há ainda as mortes de mulheres, que não foram poucas no ano passado e já começou com tudo este ano. No primeiro dia de janeiro, uma mulher foi estrangulada pelo companheiro no Bairro José e Maria. O crime voltou a causar perplexidade e deixar atônita a sociedade petrolinense. Que, aliás, ainda não se recuperou dos crimes brutais do menino Wallysson Pedro, 9, e sobretudo da garotinha Beatriz Angélica Mota, 7, esfaqueada com requintes de crueldade dentro do próprio colégio onde estudava.

Isso sem falar no pouco efetivo e condições logísticas precárias pelas quais trabalham as Polícias Civil e Militar na cidade.

Existe uma previsão de que o governador estará em Petrolina no próximo dia 18 deste mês para o lançamento da edição 2016 do Programa Chapéu de Palha da Fruticultura. Se Paulo Câmara vai dar alguma palavra sobre o Pacto Pela Vida, ninguém sabe ainda. E se ele não falar nada, nem será criticado por isso.

O que os pernambucanos querem mesmo, na verdade, é menos discursos e mais ações nesse momento. É essa a conta que será cobrada do governador, em breve.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br