Campanha alerta para a exploração indevida de árvores nativas na BR-235/BA

A Gestão Ambiental da BR-235/BA, executada pela Universidade Federal de Viçosa (UFV), e o Consórcio EMPA/CCM/CCL, responsável pela obra no Lote 1 – que fica entre a divisa dos Estados Sergipe e Bahia até Jeremoabo – da rodovia, trabalham juntos para evitar o corte indevido da flora local. Estão sendo realizadas orientações aos moradores e proprietários de terra para que não cortem árvores nativas que ficam na faixa de domínio.

O que acontece é que, após a construtora demarcar a área da rodovia com cerca de arrame, alguns moradores, sem nenhum consentimento, começam a cortar as árvores que ficam na faixa de domínio, no pensamento de que toda aquela flora será suprimida. Porém, na verdade, não é isso que é feito. Com o compromisso de conservação da natureza, a Implantação e Pavimentação da BR-235/BA mantem algumas plantas nativas que não comprometam o traçado da estrada.

Equipes já presenciaram alguns proprietários realizando o corte de árvores que estão dentro da faixa de domínio da rodovia. Além das atividades da Gestão Ambiental da BR-235/BA e do respeito ambiental do Consórcio EMPA/CCM/CCL, é preciso a colaboração da comunidade para manter vivas árvores locais, como Aroeira, Baraúna, Barriguda, Juazeiro, Mandacaru, Mulungu e Umbuzeiro.

A Gestão Ambiental da BR-235/BA, por meio do Subprograma de Supressão de Vegetação (SSV), já realiza a marcação de árvores com grande importância na região com o intuito da construtora avaliar a real necessidade de cortá-las. Os serviços em execução obedecem aos preceitos do desenvolvimento sustentável estabelecidos na Política Ambiental do Ministério dos Transportes, bem como à legislação e às normas ambientais vigentes. (foto/divulgação)

AMMA lamenta corte de árvores na Cohab Massangano, mas reforça importância de denúncia formal

Acerca do corte de quatro árvores numa praça da Cohab Massangano, zona oeste de Petrolina, conforme divulgado ontem (13) pelo Blog, a Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA) lamentou o ocorrido. O órgão, no entanto, ressalta a necessidade da formalizar a denúncia sobre práticas desse tipo.

“Somente com a formalização e apuração dos fatos com precisão sobre o ocorrido é que o órgão ambiental poderá imputar as devidas responsabilidades e consequentes penalidades que o caso requer. Novamente a AMMA se coloca à disposição da comunidade petrolinense para denúncias através do telefone (87) 3866-2779 ou pessoalmente, na Rua Crispim Amorim Coelho 303, Centro da cidade, das 8h às 13h”, justifica a assessoria.

Corte de árvores em praça da Cohab Massangano revolta moradores

Na Cohab Massangano, zona oeste de Petrolina, moradores próximos a uma praça – que, inclusive, tinha sido ‘humanizada’ pela prefeitura, a qual entregou à comunidade a missão de cuidar das árvores no local – depararam-se na manhã de ontem (12) com uma surpresa desagradável. Das cinco árvores, quatro foram cortadas ao tronco. (mais…)

Corte de árvores revolta moradora da Cohab Massangano

Em e-mail enviado a este Blog, a moradora do bairro Cohab Massangano, Adriana Torres, mostra indignação com um fato que aconteceu recentemente na comunidade. Ela afirma que pessoas estão cortando árvores que tinham sido plantadas por sua mãe, na entrada do bairro, próximo ao Posto Dona Rosa.

Acompanhe o desabafo:

Estou indignada com o que fizeram com as árvores que foram plantadas por minha mãe e alguns moradores do bairro, para que tivéssemos uma entrada do bairro mais bonita e arborizada.

Infelizmente, algumas pessoas não pensam da mesma forma, pois cruelmente foram lá e cortaram as mesmas.

Além de fazer o local de depósito lixo, cortam as árvores, que são frutíferas e que são cuidadas com recursos e esforços de alguns poucos moradores que se preocupam com o meio ambiente e com o bairro.

Adriana Torres/Moradora

Corte de árvores na Orla Nova de Juazeiro revolta leitora

árvore cortada orla juazeiro3

Em comentário enviado a este Blog, a leitora Neuma Braga, moradora de Juazeiro (BA), critica duramente o corte de árvores na Orla Nova da cidade.

Indignada, ela questiona os órgãos de fiscalização. “Por que a prefeitura fez isso? Por que cortar as árvores pelo pé? Já não tem nenhuma sombra e ainda fazem isso?”, revolta-se Neuma.

Com a palavra, o setor de fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente e Ordem Pública (Semaop) do município. (foto/divulgação)

Moradora corta árvore em tradicional bairro de Juazeiro e deixa jornalista indignada

árvores cortadaMoradora da Rua Tiradentes, no bairro Santo Antônio, em Juazeiro (BA), a jornalista e radialista Sibelle Fonseca mostrou-se indignada após ver que uma árvore de mais de 50 anos foi “destruída” para evitar que carros fossem estacionados nas imediações de uma determinada residência da via pública.

Através das redes sociais, Sibelle, que não tem papas na língua, disse não saber definir se é “ignorância, insensibilidade ou falta de princípios”, e questionou os órgãos de fiscalização do município sobre esse tipo de prática, considerada crime ambiental.

Acompanhem o desabafo da jornalista:

Sinceramente não sei se defino como ignorância, insensibilidade, falta de princípios cidadãos ou não sei o que. A imagem sempre fala mais que palavras. Aí está a ação perversa de uma moradora da Rua Tiradentes (onde resido) que, por conta e riscos próprios, destruiu uma árvore frondosa de mais de 50 anos, para evitar que carros fossem estacionados na “sua” porta. Não tem noção do que é público e do que é privado. Não tem noção alguma. Precisamos arborizar a cidade. Árvores amenizam o clima quente. O mundo precisa de verde. Mas o mundo dos donos do mundo é o próprio umbigo. Atenção, órgãos de fiscalização e ambientais, isso é crime ambiental, não é? Para todo crime, há uma pena, não é? Então tomem uma atitude e punam exemplarmente. Isso não pode ficar assim. É a certeza da impunidade que motiva atos deste tipo. Aqui, esperando por vocês.

Sibelle Fonseca/Jornalista

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br