Esposas de PMs apelam a Eduardo para revogar transferências

8

Diante da celeuma gerada pela transferência de 20 policiais militares do 5º BPM em Petrolina para batalhões da Região Metropolitana do Recife, um grupo de esposas dos PMs decidiu enviar ao governador Eduardo uma carta aberta, solicitando que interceda na questão. A carta também foi enviada à imprensa. Confiram:

CARTA ABERTA AO GOVERNADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO, EDUARDO CAMPOS, DAS ESPOSAS DOS POLICIAIS MILITARES TRANFERIDOS DO SERTÃO PARA CIDADE DO RECIFE-PE.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR GOVERNADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO, EDUARDO CAMPOS.

“Havendo conflito entre o interesse da Administração Pública e do particular, deve prevalecer o princípio da unidade familiar, consagrado pelo art. 226 da Constituição Federal de 1988.” (TRF – 5ª Região. AI nº. 66292)

Embasadas nestas palavras proferidas pela Sua Excelência, o Desembargador Federal Ubaldo Ataíde Cavalcante, nós, subscritoras desta carta aberta, encontramos força e coragem para dirigirmos à presença de Vossa Excelência.

Força e coragem que encontram guarida no amor que sentimos às nossas respectivas famílias.

Famílias que infelizmente o nosso honroso Estado de Pernambuco intenciona desagregar e romper laços afetivos, através de transferências desmotivadas de 20 (vinte) exímios Policiais Militares lotados nas companhias do interior.

Vale registrar Excelentíssimo Governador que os atos aqui questionados foram emanados através das Portarias SDS nº 123/11, nº 124/11, nº 125/11, 126/11, e 127/11, todas de janeiro de 2012.

Nós, subscritoras, questionamos tais atos, visto que os mesmos deixam à própria sorte os filhos, esposas e familiares dos Policiais Militares que estão sendo transferidos sem qualquer motivação.

Excelentíssimo Senhor Governador: nós, mães, o que vamos responder aos nossos filhos quando os mesmos nos questionarem acerca da ausência de seus pais, olvidando estas pessoas ainda em formação de sua figura mais importante, que é o pai?

Não estamos aqui requerendo regalias ou privilégios, mas tão somente a manutenção da sagrada Entidade Familiar.

Excelentíssimo Senhor Governador, como representante do Estado de Pernambuco, não se pode olvidar o ditame consagrado em nossa Constituição Federal disposto no art. 226 de que “A família é a base da Sociedade e tem a especial proteção do Estado”.

Portanto, viemos à honrosa presença de Vossa Excelência suplicar: proteja nossas Famílias dessa, mantendo-as unidas, filhos ao lados de seus pais, esposas com seus maridos e, sobretudo, Policiais Militares motivados no labor diário pelo acalento de sua Família.

Requeremos que sejam revogadas as Portarias SDS nº 123/11, nº 124/11, nº 125/11, 126/11, e 127/11, todas de janeiro de 2012, que determina a transferência de vinte Policiais Militares:

Nós, abaixo-assinados esposas dos policiais militares transferidos ARBITRARIAMENTE:

1.Maria Alves Feitosa da Silva

2. Ruth de Souza

3.Poliana Maria de Lima Araújo

4.Nucélia Soares de Araújo

5.Rosângela de Oliveira

6.Maria Luiza Ramos da Silva

7.Mirian Siqueira Gomes Nascimento

8.Selma de Carvalho Gomes

9.Josélia Santos Silva Matos

10. Adriana Souza Cruz

11. Fátima Euflasicléia Gomes de Lacerda

12. Helenivan Maria da Silva Pereira

13. Marinalva Maria de Santana Silva

14. Joanice Ferreira de Souza

15. Maria Bernadete Coelho Pires de Menezes

16. Rita de Cássia Pereira de Santana Silva

17.Ana Gomes da Silva

Petrolina, 20 de janeiro de 2012.

8 COMENTÁRIOS

  1. Concordo com as esposas dos policiais, a não ser que eles tenham cometidos falta grave… O policial ganho muito pouco e não vai ter condições de bancar 2 despesas uma em Petrolina e uma outra em Recife… Alem, do mais na capital não ,é fácil para arcar com despesas de aluguel, colegio etc…
    O Estado tem que olhar este lado da coisa….È muito complicado.. Acredito que o governador vai olhar para este problema com carinho;

  2. Com estes argumentos nenhum militar poderia partir em missão no estrangeiro ou mesmo ser transferido no interior do Brasil. Pelas mesmas razões que politicos não podem manter o mesmo lugar, mesmo eleitos, toda a vida, PMs não devem ficar se acostumando a uma região, podendo colaborar com ilicitos de pessoas que se tornaram conhecidas.

  3. Outros profissionais da segurança no estado também estão prestes a sofrer o mesmo abuso, os Agentes Penitenciários recém nomeados, os quais fizeram concurs por região, agora estão sendo assediados para optarem ficar no recife;
    Como se não bastasse após 8 meses de impasse e desemprego, o governo falta nomear 277 agentes formados e aptos atrabalhar, e pior DESEMPREGADOS!!!! Na midia o gov se comprometeu que até o fim de janeiro o restante seria nomeado,mas, até agora nada.

  4. Seu Governador os Policiais de Pernambuco e seus familiares, todos se uniram para eleger o senhor como Governador do nosso estado! Más é com pesar que tenho certeza que como eu, muitos dos meus colegas e familiares ja se arrependeram, primeiro pelo o aumento salarial vergonhoso que foi dado a classe, agora o senhor vem com essa injustiça de transferir 20 pais de familia, separando-os de suas esposas e seus filhos. Ah o senhor não acha que deve rever essa meta imaginaria do Pacto pela vida! a tropa esta doente e seus esforços ja chegaram no limite. fica ai o apelo por um olhar mais zeloso pela a corporação.

  5. Agora é o momento do Governador Eduardo Campos reconhecer este equivoco, pois nossa região precisa de mais policiais militares e somente revogando o ato de transferencia destes policiais filhos de Petrolina estara fazendo justiça aqueles que realizaram as mais importantes ocorrências entre 2010 e 2011 conforme documentos oficiais, reduzindo o numero de homicidios e lutando todos os dias para coibir assaltos e a existencia de “ponto de venda de drogas” (crack, cocaina e maconha) na nossa região.
    O CRIME NÃO PODE VENCER.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome