Vereadores se negam a abrir sigilos telefônicos

por Carlos Britto // 21 de dezembro de 2008 às 08:25

O promotor da comarca do Cabo de Santo Agostinho, Roberto Brayner, ouviu, na manhã desta sexta-feira, os sete vereadores do município suspeitos de desviarem verbas públicas em benefício próprio para a realização de uma viagem a Salvador. O propósito da audiência, a segunda convocada pelo promotor, era esclarecer contradições surgidas nos primeiros depoimentos dos parlamentares.

No encontro, o promotor propôs aos vereadores que, por iniciativa própria, abrissem seus sigilos telefônicos do período investigado. A sugestão foi negada pelos parlamentares. A medida ajudaria a esclarecer suspeitas de que os políticos teriam recebido diárias e utilizados recursos públicos no custeio de passagens, hospedagens e inscrições em um congresso do qual não teriam participado. A viagem ocorreu em outubro na companhia do prefeito da cidade, Lula Cabral (PTB).

Em depoimentos anteriores, os vereadores afirmaram que as negociações da viagem foram feitas pela Vôotur Operadora. Documentos apresentados pelo vereador eleito Ricardinho (PPS), porém, mostram que sua passagem, paga pelo vereador Gessé Valério (PTB), foi expedida via HM Viagens e Turismo. úblico depois da divulgação de fotos da viagem na rede de relacionamentos virtuais Orkut. A suspeita foi noticiada com exclusividade pelo DIARIO DE PERNAMBUCO no dia 20 de novembro, após várias fotos da viagem terem sido divulgadas no site de relacionamentos Orkut.

Veja aqui as fotos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.