Télio Nobre vê escolha de Julianeli como Pro Tempore positiva para fim de judicialização na Univasf

por Carlos Britto // 17 de janeiro de 2023 às 08:17

Foto: divulgação

Depois de três anos, o Professor Paulo César Fagundes Neves não é mais o reitor Pro Tempore da Universidade Federal do Vale do São Francisco. Uma Portaria (nº 21) assinada pelo ministro da Educação, Camilo Santana, dispensa Paulo César do cargo. No lugar dele assume, com o mesmo caráter temporário, o Professor Julianeli Tolentino, o qual esteve à frente da instituição por oito anos.

A este Blog, o Professor Télio Nobre Leite – que foi o vice de Julianeli durante sua gestão e venceu a lista tríplice para ser o próximo reitor – disse acreditar que Julianeli seguirá os trâmites legais do processo eleitoral da Univasf, ocorrido em 2019, mas que acabou sendo judicializado.

Ele (Julianeli) não vai se sentar na cadeira para ficar permanentemente, como foi o caso do que está saindo (Paulo César), porque tenho algumas provas de que ele trabalhou politicamente para continuar (no cargo)”, afirmou.

Professor Télio revelou ainda que, no próximo dia 26/01, o imbróglio judicial acerca da lista tríplice seja encerrado no Tribunal Federal da 5ª Região, no Recife, para que possa finalmente ser designado pelo novo reitor Pro Tempore para cumprir seu mandato de quatro anos à frente da Univasf. “Se a sinalização do Tribunal for positiva, como a gente espera, aí é questão de trâmites burocráticos de algumas semanas para o MEC ser comunicado e o ministro possa fazer a nomeação do reitor eleito pela comunidade”, pontuou.

Dedicação

Télio disse estar convicto de que Julianeli, pelo seu histórico, está comprometido com a comunidade acadêmica, e que essa “intervenção” – como vem chamando o processo judicial – será breve, ao contrário dos últimos três anos em que Paulo César ficou temporariamente no cargo. “Pelo que conheço de Julianeli, eu confio que ele assumirá esse compromisso e trabalhará para fazer uma transição o mais breve possível”, frisou.

Ele argumentou também que Julianeli ficará como Pro Tempore até o ministro considerar não haver mais arestas judiciais para nomear o reitor escolhido pela comunidade através da lista tríplice. “Quero trabalhar nesses quatro anos pela Univasf muito mais do que já trabalhei nos últimos 18 anos”, finalizou.

Télio Nobre vê escolha de Julianeli como Pro Tempore positiva para fim de judicialização na Univasf

  1. Isabella Santos Dias disse:

    Graças a Deus!
    A universidade fui sucateada esses 4 anos. Andamos para trás (trevas).
    A universidade carente de vários cargos de TAE e o antigo reitor achando bacana cortes em recursos repassados pelo MEC.
    Acreditamos que a volta do Reitor Julianeli é um grande ganho para a universidade.
    Precisamos fortalecer a Univasf, sobretudo com advento de novos servidores.

  2. Daniel Silva Neri disse:

    Concordo com o comentário acima.
    Sou estudante da Univasf e posso falar com propriedade, realmente esse últimos anos foram catastróficos para a universidade.
    A universidade carece desde novos servidores, restaurante universitário a infraestrutura nos campis. Lamentável.
    Quem sai prejudicado somos nós estudante e a sociedade como um todo.

  3. Silvio Gaspari Nunes disse:

    A universidade precisa com urgência entrar nos trilhos. Acredito que o professor Julianeli é o mais capacitado para essa tarefa.
    São muitos os problemas pra resolver.
    Desejo sorte e sucesso ao Reitor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.