TSE exclui Forças Armadas de fiscalização das eleições

por Carlos Britto // 27 de setembro de 2023 às 08:00

Foto: Marcelo Camargo/AgBr

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu, nessa terça-feira (26), excluir as Forças Armadas do grupo de entidades fiscalizadoras das próximas eleições. Os militares também deixarão de participar da comissão de transparência do pleito. Em 2021, a participação dos militares foi inserida em uma resolução aprovada durante a gestão do então presidente do tribunal, Edson Fachin.

A proposta de alteração foi feita pelo atual presidente, Alexandre de Moraes. Segundo o ministro, a participação das Forças Armadas na fiscalização das eleições de 2022 se mostrou “incompatível” com as atribuições legais dos militares.

Essa ampliação das Forças Armadas no rol de entidades fiscalizadoras não se mostrou compatível com suas funções constitucionais nem razoável e eficiente“, afirmou. De acordo com Moraes, as Forças Armadas vão continuar auxiliando a Justiça Eleitoral no transporte de urnas eletrônicas e na segurança dos eleitores e locais de votação.

Na mesma decisão, o TSE também retirou o Supremo Tribunal Federal (STF) das entidades fiscalizadoras. Para o tribunal, três ministros do Supremo também fazem parte do TSE e, além disso, a Corte é alvo de recursos contra as decisões da Justiça Eleitoral.

Atritos

Durante o governo do presidente Jair Bolsonaro, que foi candidato à reeleição, as relações entre o TSE e as Forças Armadas foram marcadas por diversos atritos. Em um dos episódios, em um relatório encaminhado ao tribunal eleitoral, o Ministério da Defesa afirmou que os militares não excluíram a possibilidade de fraude nas urnas eletrônicas. O grupo de fiscalização é composto por partidos políticos e representantes do Ministério Público, do Congresso Nacional, da Controladoria-Geral da União (CGU), da Polícia Federal e do Tribunal de Contas da União (TCU), entre outras entidades. (Fonte: Agência Brasil)

TSE exclui Forças Armadas de fiscalização das eleições

  1. Consumidor disse:

    Nada mais justo! A ditadura não chegou e a pré-ditadura já foi embora. Lamentável que as Forças Armadas tenham exercido papéis tão constrangedores, lideradas por um governante tão desprovido de espírito público.
    Agora, a alguns patriotas resta o cumprindo de penas e, quem sabe, o arrependimento. A outros a decepção por acreditarem que um ex-deputado, sem projetos, poderia mudar o Brasil.

  2. Paulo disse:

    Essas força armadas são piores mais corruptos que os políticos.

  3. Paulo freitas disse:

    Primeiro que concorda com qualquer coisa do PT e vagabundo, outra espero que o Brasil vá dessa pra pior kkkk, o brasileiro merece 😍

  4. vovô disse:

    Pra um governo do “AMOR” um Consumidor do ódio. Lava tua boca ,espirito e alma antes de falar besteira, idiota!

  5. Edilberto disse:

    Próximo passo dos canalhas petistas, as urnas serão colocadas no diretório do PT e, petistas contaram os votos, avacalhou a ordem. Que falta faz o General Figueiredo, hein? Babacas de hoje não viveram o Regime militar, onde nosso brioso Exército, defendeu a soberania, combatendo comunistas guerrilheiros. Alguns foram presos agora.

  6. Defensor da liberdade disse:

    Até parece que na época do Minto o Brasil estava uma maravilha. Esse gado tem que acordar para a a realidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Últimos Comentários

  1. A manutenção da estátua de Daniel Alves manterá também a contradição de seus atos. Hoje os monumentos também servem para…