Técnico Pedro Manta e nova diretoria da Fera Sertaneja reúnem-se para traçar metas visando a estreia na Série A2 do Pernambucano

2

De volta a Petrolina, o técnico Pedro Manta reuniu-se com parte da nova diretoria do Petrolina Futebol Social Clube (PSFC), no início da tarde de ontem (21), num almoço realizado no Restaurante Barcarola, área central da cidade. Prestes a disputar a Série A2 do Campeonato Pernambucano, que começa em agosto próximo, a ‘Fera Sertaneja’ será comandada por Pedro Manta, que terá a árdua missão de levar o clube novamente à elite em 2019.

Essa será a terceira passagem de Pedro Manta pela Fera. A primeira vez foi em 2002; a segunda, e a melhor delas, foi 2012, quando o Petrolina chegou entre os quatro times mais bem classificados na Série A1, o que lhe valeu uma vaga para disputar a Série D do Brasileirão.

Desafiado pela tarefa e empolgado com a disposição da nova diretoria, Manta disse já ter começado a fase de preparação e de logística visando à competição, considerada por ele “bastante difícil”, já que apenas um time se classifica à fase seguinte. A Fera está no mesmo grupo de 1º de Maio (o outro representante de Petrolina), Serrano e Sete de Setembro. “Já temos um grande grupo de diretores, com credibilidade dentro da cidade, que vai nos dar um suporte necessário. Agora, é dar sequência ao trabalho”, frisou.

Sobre a montagem do time, o técnico da Fera Sertaneja adiantou que sua equipe terá atletas vindos da Desportiva Juazeirense, e outros que ele já vem vêm “batendo o fio”, ou seja, mantendo contato à distância, mas tudo de acordo com a realidade financeira do clube. Ele destaca também que não abre mão de investir na base. “Até porque os atletas da casa têm essa identidade com a cidade. Quando eu trabalhei aqui, a gente tinha quase 12 atletas da cidade de Petrolina e da região”, ressaltou.

Foco

Ex-gerente do Banco do Brasil (BB) local e atualmente supervisor administrativo/financeiro da Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC), Paulo Willians Rocha da Silva é um dos integrantes da nova diretoria que será responsável por resgatar a história da Fera Sertaneja. Atuando no Conselho Fiscal do clube, Paulo deixa claro que o planejamento já está definido.

“É um reinício, mas um reinício muito forte. Nós deveremos traçar metas e objetivos claros, que recoloquem o Petrolina no cenário do futebol pernambucano de forma definitiva”, ponderou.

Paulo lembra ainda que à época em Ronaldo Silva foi presidente, a Fera Sertaneja viveu seu melhor momento (2012). Agora vereador, Ronaldo voltará a encabeçar esse projeto. Segundo ele, isso demonstra que a luta para recolocar o Petrolina na vitrine envolve uma “união de forças”, que requer não somente o envolvimento da presidência e dos conselhos deliberativo e fiscal, mas que abrigue todos os interesses da sociedade. Nesse sentido, Paulo adiantou que vai incentivar o empresariado local, poder público e os torcedores a se engajarem nessa luta. “Não dá para fazer nada disso de forma isolada”, pontuou.

Diretoria

A nova estrutura do Petrolina tem a seguinte formação: Ronaldo Silva (presidente); Robério Gomes (vice-presidente); Antônio Carlos Benevides (secretário); Humberto Angelim (tesoureiro); Moacir Neto, Paulo Willians, Avanilson Pires, Tiago Neves, Jeferson Correia ‘Ferson’, Franco Ulisses e Ronald Silva (conselheiros).

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome