Subcomandante geral da PMPE descarta conotações políticas para exoneração de Isaac Guerra do 5°BPM

1

pmpeO subcomandante geral da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE), coronel Ilídio Vilaça, recebeu com naturalidade as manifestações de lideranças comunitárias e alguns vereadores de Petrolina pela permanência do tenente-coronel Isaac Guerra no comando do 5°Batalhão da PM. Mas descartou que a exoneração de Guerra tenha qualquer relação com as recentes declarações dadas por ele à imprensa local, quando voltou a comentar sobre o cenário de dificuldades enfrentado pelo 5°BPM no combate à criminalidade.

De acordo com Vilaça, o tenente-coronel Guerra “é um excelente profissional com grande passagem pela Polícia Militar”, mas os números “não estavam refletindo” a atuação do Comando do 5°BPM na redução dos índices de violência – sobretudo em Petrolina.

O subcomandante revelou já ter conversado com Guerra, na semana passada, sobre o assunto, inclusive de que a PMPE iria tomar “outras estratégias” para reverter esse cenário no município. Até o momento, explicou ele, Petrolina já registrou 109 homicídios no ano.

“A gente precisa dar uma resposta rápida à sociedade. Portanto, não existe nenhuma aresta, da parte do governo do estado com os profissionais de segurança pública. Até porque eles serão lotados em outras áreas”, argumentou Vilaça, referindo-se também ao delegado seccional da Polícia Civil, José Renivaldo Silva, que a exemplo de Guerra, foi exonerado do cargo. Vilaça chegou a fazer um comparativo do fato com uma mudança de técnico num time de futebol, a qual acontece não pela incompetência do técnico, mas pela situação que ora se apresenta.

Coincidência

Perguntado sobre a decisão do governo de afastar Guerra e José Renivaldo justamente há poucos dias de ambos terem concedido uma entrevista à imprensa local trazendo à tona os problemas enfrentados pelas polícias, Vilaça foi categórico em afirmar que o fato “não passou de uma coincidência”. Ele ressaltou que ainda não há um nome definido para assumir o lugar do atual comandante do 5°BPM, mas boatos dão conta de que Ricardo Peres da Silva pode voltar a assumir a tropa. (foto/reprodução)

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome