STF retira juiz de apuração de fraudes e ministro ironiza: “Pode mandar para a Vara de Cabrobó”

1

82168_ext_arquivoO ministro Gilmar Mendes discordou da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que retirou das mãos do juiz Sérgio Moro – responsável pela Operação Lava-Jato – a apuração de fraudes no Ministério do Planejamento.

Para ele, retirar a investigação das mãos do juiz vai prejudicar a apuração de um caso complexo, que vem sendo investigado há muito tempo por um grupo formado por mais de 300 pessoas.

Mendes ainda ironizou ao dizer que a investigação poderia ser enviada para Cabrobó, no Sertão do São Francisco. “Pode mandar para a Vara de Cabrobó. Não terá o mesmo apoio. E sem falar da perda do fio da meada e do conhecimento acumulado com o desenrolar das investigações”, afirma o ministro Gilmar Mendes.

Os ministros analisaram o caso envolvendo a senadora do PT, Gleisi Hoffmann, suspeita de ter recebido dinheiro de um escritório de advocacia investigado na Lava Jato.  Segundo a investigação, os recursos não saíram da Petrobras, mas de um contrato com o Ministério do Planejamento. (fonte: G1/Brasília)

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome