Sob protestos da oposição, Casa Plínio Amorim define uma sessão virtual por semana até agosto

3
Foto: Jean Brito/CMP divulgação

As sessões virtuais da Câmara de Vereadores de Petrolina acontecerão uma vez por semana, às terças-feiras, durante o recesso parlamentar deste mês e o de agosto, em virtude da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). O Projeto de Resolução 001/2020 foi aprovado pela maioria da Casa Plínio Amorim em sessão extraordinária convocada pelo presidente da Mesa Diretora, vereador Osório Siqueira (MDB), na manhã de hoje (9).

Além do dia, também ficou acertado que o horário das sessões por videoconferência, até então realizadas a partir das 14h30, voltarão para o turno da manhã (a partir das 9h).

A decisão, no entanto, foi a contragosto de boa parte da Casa, incluindo todos os vereadores da oposição. Líder da bancada, Paulo Valgueiro (MDB) não subscreveu o Projeto de Resolução justamente por defender a realização das duas sessões semanais. Ele lembrou que o Poder Legislativo de Petrolina já havia passado os meses de abril e maio sem sessões, devido à pandemia. Além disso, uma portaria à época determinou que, por conta disso, o mês de julho (período de recesso parlamentar) haveria as duas sessões semanais para compensar.

O governista Alvorlande Cruz (Republicanos), no entanto, alegou que a Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) tem quatro sessões semanais, mas no atual momento só vem realizando uma. O projeto acabou passando por 17 votos, mas teve 3 abstenções – de Valgueiro e de mais dois oposicionistas, Professor Gilmar Santos (PT) e Elismar Gonçalves (Podemos).

“Falta de diálogo”

O único voto contrário ao Projeto de Resolução foi de Cristina Costa (PT). Ela garantiu, no entanto, que sua decisão não se tratou do número de sessões. Segundo a vereadora, a bancada governista se reuniu previamente para definir que seria apenas uma sessão por semana, e quando bateu o martelo sobre a questão é que levou o projeto para os oposicionistas. Segundo Cristina, essa matéria deveria ser deliberada por todos os vereadores eleitos pelos petrolinenses, e não apenas pela bancada do prefeito Miguel Coelho (MDB). Ela voltou a lamentar “a falta de diálogo” dos governistas em relação à oposição, já que não é a primeira vez que isso acontece na Casa.

3 COMENTÁRIOS

  1. Essas amebas já que não querem trabalhar nem virtualmente imagine presencial. A população tem que está de olho nesses parasitas, se o salário continua a mesmo valor, se diminuir o trabalho tem que diminuir o salários é assim com o trabalhador normal porque não com esses improdutivos que aproveita a ocasião pra cuidar das sua coisas particular recebendo o salário do nossos impostos. Isso não corrupção não? Se apropriando sem trabalhar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome