Sob forte comoção, corpos das cinco pessoas da mesma família mortas durante tiroteio no Ceará são sepultados em Serra Talhada

por Carlos Britto // 09 de dezembro de 2018 às 12:23

Corpos das cinco pessoas da mesma família são velados em Serra Talhada. (Foto: Caren Diniz/TV Asa Branca)

Sob forte comoção, os corpos das cinco pessoas da mesma família que morreram na sexta-feira (7) durante uma tentativa de assalto a bancos com reféns, que deixou 14 mortos após um tiroteio com a polícia em Milagres, que fica na Região do Cariri do Ceará, foram sepultados em Serra Talhada (PE), no Sertão do Pajeú, ontem (8).

O empresário João Batista Magalhães, de 46 anos, o filho Vinícius Magalhães, de 14, a cunhada de João, Claudineide Campos, de 41, acompanhada do marido, Cícero Tenório, de 60, e do filho, Gustavo Tenório, de 13, que foram feitos reféns e mortos, foram velados ontem em uma funerária no Centro da cidade.

Os outros três parentes foram levados para o distrito de Carmo, em São José do Belmonte, também no Sertão do Pajeú, e o sepultamento ocorreu no final da tarde.

Viagem ao Ceará

De acordo com familiares, João Batista tinha ido a Juazeiro do Norte, no Ceará, por volta 21h30, buscar três parentes que estavam vindo de São Paulo para passar os festejos de fim de ano em Pernambuco. O voo deles chegou na cidade às 23h.

Quando o empresário voltava para Serra Talhada passou pelo local onde estava acontecendo a tentativa de assalto. Os criminosos tomaram o carro e fizeram o empresário, o adolescente e as três pessoas vindas de São Paulo de reféns, conforme informaram os familiares.

Perícia

A Secretaria da Segurança Pública do Ceará confirmou a identificação de 8 das 14 pessoas mortas. Das 14 vítimas do tiroteio, seis eram reféns e outras oito são suspeitos de participação da quadrilha que tentou roubar as agências. Três criminosos foram presos.

O caso

Um grupo de criminosos armados e com reféns tentou assaltar duas agências bancárias da cidade de Milagres, na Região do Cariri do Ceará, na madrugada da sexta-feira. Houve intensa troca de tiros e pelo menos 14 pessoas morreram, segundo informou a Coordenadoria de Medicina Legal (Comel) da Perícia Forense (antigo IML) da cidade de Juazeiro do Norte, que recolheu os corpos.

A tentativa de roubo aconteceu por volta de 2h17 da madrugada. Houve confronto entre os policiais e os criminosos. Diversos carros da PM foram usados para conter a quadrilha. Devido à ação da Polícia Militar, o grupo criminoso não conseguiu levar o dinheiro de nenhum dos estabelecimentos bancários. Os dois bancos ficam na Rua Presidente Vargas, no Centro do município, que tem 28 mil habitantes. (Fonte: G1 Caruaru)

Sob forte comoção, corpos das cinco pessoas da mesma família mortas durante tiroteio no Ceará são sepultados em Serra Talhada

  1. Márcia Moura disse:

    Antes tivessem realizado o assalto, e não houvessem as mortes! A polícia valoriza mais os bens materiais! Tinham que ver antes os reféns para preserva-los! Não concordo com esse tipo de ação?!

  2. Marcos disse:

    Policia despreparada, a cearense, a pernambucana, enfim a brasileira, o resultado vidas ceifadas.

  3. Maria Rejane Rocha disse:

    Acho que nossa vida é nosso maior patrimônio. A solução não esta fora de nosso corpo. O espírito santo que conduz o ser humano, contudo, não se sabe mais, já que milhares de pessoas são mortas todos os dias no nosso país. Não há o que fazer

  4. Everalzinho de Souza disse:

    A dor e o sentimento são inenarráveis. As perdas inestimáveis. Mas vivemos em uma sociedade, onde o respeito às lei, são cruciais, para a normalidade do convívio. Se vira moda esse negócio de reféns, todos os dias haveria milhares de assaltos como esse. E nada poderia garantir a vida dos inocentes, mesmo a polícia não reagindo!

  5. Benedito Teobaldo Da Silva disse:

    Policiais e bandidos são a mesma coisa sendo que um veste a farda da lei pra disfarçar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.